quinta-feira, 17 de maio de 2018

O que é que faz exactamente um Presidente da Assembleia da República?

Pergunto eu no exercício da minha função de não perceber rigorosamente nada de futebol.

10 comentários :

  1. Entre outras coisas importantississíssimas para o normal funcionamento democrático, manda (a polícia que se imagina não-política) evacuar as galerias sempre que o Poveco lá presente se alembre de protestar da hipocrisia e ̶p̶o̶u̶c̶a̶ nenhuma-vergonha que por lá se passa...

    Mais coisa, menos coisa; e alegadamente, claro está!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem me queria parecer que era isso. Isso e a digníssima comissão de baratas que, pelos vistos, anda por ali a salvaguardar coisas também elas 'importantíssississimas'.

      E alegadamente, também, claro está!

      Eliminar
  2. Cumpre e faz cumprir a Constituição da República Portuguesa.

    O que tem isto a ver com futebol?
    Marcelo, o presidente, limitou-se a dizer que perente os incidentes ocorridos ultimamente no e com o Sporting, se sentiu vexado.
    É esta a notícia: Marcelo Rebelo de Sousa já veio a público reagir à violência de que foram alvo os jogadores e técnicos do futebol da equipa principal do Sporting. Considera-se "vexado" com o que aconteceu.

    Esclarecida ou nem por isso?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem por isso. Nem por isso, caro Observador.

      Devo dizer que não entendo como é que a segunda figura do Estado Português resolve, de forma tendenciosa, incendiar ainda mais um assunto que por si só já estava em fogueira ardente. Essa não é a função de um político, muito menos a função de um PAR.

      O futebol há muito que tem episódios de violência, graves, muito graves. Gostava de perguntar onde estava a voz indignada dos políticos quando tais episódios aconteceram? O que fizeram? O silêncio por essa altura imperou, vá lá saber-se a razão. Talvez estivessem todos na hora do almoço, toda a gente sabe que quando se mastiga não se fala. Deve ter sido isso, sim, não tenho dúvida alguma.

      (com certeza que a postura de Bruno de Carvalho não é admissível, no entanto e tendo em conta que por vezes me dá para ouvir, observar, determinadas pessoas a falar de futebol, adeptos, comentadores, pessoas ditas comuns, oiço no discurso, comentários, posturas, de muitos deles, o mesmo tipo de arrogância, de agressividade, sobranceria, baixo nível, que o actual Presidente do Sporting transpira por tudo quando é poro - daí a dúvida se tudo isto não será também um reflexo da sociedade que temos? um género de desporto, dizem ser um desporto, mas eu tenho as minhas dúvidas e colo o rótulo de negócio, negócio que gera milhões e onde começam a faltar milhões todos se agridem com as suas putativas razões)

      (mas o caro Observador nem sequer simpatiza com Marcelo Rebelo de Sousa, a que propósito foi buscar neste exacto momento MRS?)

      Eliminar
  3. Faz imensas coisas mas nunca vi Ferro Rodrigues pronunciar-se contra a pedofilia, violência doméstica e a onda avassaladora da criminalidade e corrupção, mas no caso da trampa do futebol o que falou foi, na minha opinião, completamente defensor da sua dama e vi a "gana". Não havia necessidade... medidas urgentes só no futebol? que para mim não é desporto é uma máquina de fazer milhões, corrupções e outra coisa que não digo...mas que tanta falta fazem porque começa a ser "muito raro"!!!!

    Uma boa tarde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora, Fatyly, nem mais, eu até aplaudiria de pé se Ferro Rodrigues viesse a público aquando da morte de mais uma mulher, aquilo de somenos importância que é a violência doméstica, e dissesse que a partir de agora qualquer homem que maltratasse a sua mulher, não seria ela a sair de casa com os filhos debaixo do braço, mas o agressor que seria atirado automaticamente para a rua sem direito ao que quer que fosse. Isso sim, era coisa digna de um PAR. ou se calhar não, isso não é da jurisdição lá do PAR. Parece que nem os assuntos do futebol são. Parece, não tenho a certeza.

      Isso das medidas urgentes dava pano para mangas... Eu cá para mim isto é tudo muito estranho, mas pronto.

      Tenha também uma boa tarde, Fatyly.

      Eliminar
  4. Fui buscar Marcelo (salvo seja) porque percebi que a ilustre Maria se tinha referido ao PR e não ao PAR.
    Já agora aproveito para dar a minha opinião sobre o que Ferro Rodrigues disse sobre a festa de Alcochete com repecursões em Alvalade. Ora, sobre isso, não vejo nada de relevante que tenha ofendido as já ofendidas virgens espalhadas pelos cantos deste lusitano cantinho.

    Acho até muita piada quando certas pessoas resolvem denegrir a imagem de outras só quando estas outras lhes tocam em certas partes que não lhes dá jeito.

    A sério, caríssima Maria, o que é que o PAR disse que tenha sido descabido? Talvez pudesse já ter actuado em cisrcunstâncias anteriores mas, a bem da verdade, há que dizer que nunca nada de tão grave tinha acontecido e que justificasse a sua intervenção.

    Repare-se que foram várias as figuras políticas a levantar a voz perante Grunho de Carvalho. Perdão, Bruno de Carvalho.
    Nem Marcelo Rebelo Sousa e António Costa gostaram e vieram a público dizê-lo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fui buscar esta sua parte do comentário, caro Observador: "há que dizer que nunca nada de tão grave tinha acontecido e que justificasse a sua intervenção". Permita-me discordar. Já discordei. O futebol por si só já é um 'desporto' - a partir de agora sempre que me referir a futebol vou colocar aquilo entre aspas, não é um desporto, é um negócio de milhões - que gera violência, o fanatismo associado ao dito é impressionante. Por vezes consegue-se ver homens que nunca choram seja porque motivo for, mesmo que morra a mulher, os seis filhos, a avó, o cão, a pulga de estimação, mas se o seu clube perde choram como se o mundo tivesse terminado naquele exacto momento. Como raio é que isto entra na cabeça de alguém!?! Existem inclusive homens que maltratam as mulheres quando chegam a casa, o seu clube volta a perder e alguém tem de levar com toda aquela frustração em cima. Nada melhor do que uma mulher à mão para servir de saco de pancada. Coisas muito lindinhas estas, não há dúvida alguma. Eu passo, desporto é outra coisa bem diferente.

      Entretanto remato com um excerto de um artigo escrito por Filomena Martins:
      "É claro que o violento ataque a jogadores, treinadores e funcionários do Sporting na Academia em Alcochete é muito grave. É óbvio que este é um episódio que mancha a história do clube e do futebol português. Mas infelizmente não é o primeiro. E tenho muitas dúvidas que seja o último. Só assim de memória, e a minha nem é das melhores, recordo a morte do adepto, devido ao lançamento de um verylight, na final da Taça em 1996. O autocarro emboscado, e as agressões bárbaras à equipa de hóquei em patins do FC Porto, em 2000. A morte do sócio italiano do Sporting, atropelado por membros dos No Name Boys, há um ano. As constantes vandalizações de áreas de serviço e os episódios grotescos em cada época de futebol."

      E pronto, é isto.

      PS: Isto quando um político fala, falam logo dois ou três. Esta parte agora fez-me lembrar não sei bem o quê :))

      Eliminar
  5. As coisas estão à vista, não há como esconder. Pronto, somos o país que somos, para lá de toda a nossa boa vontade.
    A Maria é arguta, e mais não digo. :)

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este país do somos o que somos, esconde mais do que aquilo que revela.

      Beijinho para si também, AC :)

      Eliminar