quinta-feira, 3 de maio de 2018

Exmo. senhor deputado João Galamba, o seu incómodo foi notado e registado


Aleluia!
(o vídeo merece a pena ser visto, é clicar no ponto de exclamação)


Esta minha expressão não foi usada para evidenciar alegria, a tal da aleluia, antes pelo contrário, foi apenas uma forma de exclamar (daí o ponto de exclamação no final) que já não era sem tempo, embora se tenha notado que foi tudo como que arrancado a ferros, embora se tenha notado algum desconforto lá no ontem à noite, na casa da SIC Notícias, num espaço conduzido por uma jornalista que não desarmou - o sorriso por vezes é uma arma poderosa, penso eu - tenho para mim que, se fosse outro género de jornalista, provavelmente, teria sido mais dura. De repente veio-me à memória o nome de Margarida Marante...

12 comentários :

  1. Já não existem jornalista da classe da Margarida Marante. Depois estranha-se que o PS, na voz do Calamba ou de qualquer outro, só agora tenha comentado o assunto. Mais ainda estranham-se outras coisas a que o PS deu aval como por exemplo deputados serem reembolsados por viagens para as quais já recebem um subsídio. Mas isto sou eu a pensar, euzinha que não entendo nada de política, e nem tenho filiação partidária, e às vezes até me passa pela cabeça que são todos iguais. A única diferença é que uns se sentam no poder e sabemos o que fazem, os outros podem armar-se em moralistas porque sabem de antemão que nunca se sentarão lá.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão naquela sua afirmação inicial quando se refere a Margarida Marante, sempre que penso na jornalista, consulto uma qualquer notícia lá mais para trás - isto das novas tecnologias tem esta parte muito positiva - entristece-me perceber que uma profissional com um percurso brilhante, tenha tido um desfecho de vida tão trágico. Existe um vídeo no Youtube que é obrigatório ver, numa parte Margarida Marante diz isto: "(...) tem a ver com a minha maneira de estar no mundo, com a minha maneira de estar em sociedade, tenho sempre opinião, e o direito à opinião é uma coisa que eu não prescindo (...)"

      É este o vídeo:
      https://www.youtube.com/watch?v=IhcoX0Q1-A0

      - / -

      Quanto a João Galamba, bom, eu vi aquilo em directo ontem à noite, e notou-se, claramente, que disse o que tinha de dizer, sim senhor, mas o incómodo foi evidente. Acho que aqui não tem a ver com a cor partidária, não se trata de atacar o PS, a ser verdade tudo o que tem vindo ao de cima ultimamente é realmente bastante grave tudo isto, e seria da mesma forma grave se se tratasse de um outro partido com igual relevância.

      Começa a espalhar-se por Portugal, de Norte a Sul, essa opinião generalizada que a Elvira também diz sentir: "às vezes até me passa pela cabeça que são todos iguais". A imagem dos políticos está cada vez mais na mó de baixo.

      Abraço, Elvira.

      Eliminar
  2. Boa tarde
    sou nova por aqui
    vim cá ter porque andava no blogue de uma amiga e descobri a "maria madeira"
    o seu primeiro post tem um pouco de conversa de política e eu, nesse tema, não me manifesto!
    O segundo post deixou-me completamente apaixonada...
    Fiquei deslumbrada com a forma fácil como escreve, fácil de entender leia-se
    Cativa a sua escrita e gostei dos seus gostos culinários

    Cozinho pouco, mas... adoro vir tirar ideias
    e, com tudo o que ali deixou, já tenho uma ideia
    Obrigada pela partilha.

    Também gosto muito de misturar ingredientes
    vou aproveitar a dica de uma lata pequena de cogumelos laminados
    meia dúzia de castanhas congeladas
    ervas aromáticas, tomate, brócolos
    gengibre moído nunca falta, açafrão das índias
    Também eu gosto bastante de comida picante!

    Dei uma valente gargalhada ao ler:
    são raros os homens que conseguem acompanhar uma mulher nisto da comida picante, fraquinhos eles.

    Estou 100% de acordo!!!

    Outra coisa que achei estranho:
    por vezes faço comida e ponho canela moída!

    Mas, vou experimentar...

    Ora nem mais (quem fala assim não é gago) adorei:
    Diria que não ter medo de cair, é a fórmula perfeita para se viver um grande amor.

    Também encontrei por cá a Elvira, que já nos cruzamos pela blogosfera há uns bons aninhos

    ADOREI
    Parabéns

    Tulipa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde, (Tulipa)

      Antes de mais, muito obrigada pelas suas simpáticas palavras, admito que gosto bastante quando as pessoas desse lado lêem da primeira à última linha e entretanto dizem de sua justiça. Ou seja, o que gostaram, o que não gostaram, qual a razão de isto ter agradado mais do que aquilo. Talvez seja essa a perfeita sintonia entre quem escreve e quem lê. A interacção é saudável. Pode dar um pouquinho de trabalho, no entanto é compensador no final.

      (a parte do estranho, leia-se pôr canela moída de quando em vez na comida, são experiências que vou fazendo, a primeira vez foi num arroz a que juntei umas passas que tinham sobrado do final de ano, fiz uma misturada qualquer, cheguei a pensar que o dito arroz iria ficar enjoativo, não ficou, ficou bom - o problema é que muitas vezes faço tudo de improviso, não anoto nada, entretanto quero repetir e por vezes vejo-me grega)

      ...
      Passando a este post, o tal que fala de alguns políticos feitos à maneira deles e sobre os quais a 'Tulipa' não gosta de se manifestar, eu acho mais piada a estas coisas, piada entre aspas, do que a novelas - a bem dizer não gosto lá muito de novelas, aquilo é muito cansativo, não tenho paciência -, tudo isto de gostar de dar a minha simples opinião sobre estes assuntos, apenas a opinião de uma cidadã, prende-se com o facto de já em adolescente, eu e o meu pai gostarmos de falar de política, o meu pai achava-me piada, fomentava a coisa, a minha mãe revirava os olhos e não entendia a razão de eu não falar de coisas normais para uma miúda de 15/16/17 anos. A verdade é que aquilo era sempre animado lá em casa na hora do debate pai vs filha. Ainda hoje é.

      Tenha um óptimo dia (final de dia, diria) e volte sempre que achar por bem.

      Eliminar
  3. Tinha eu assistido, ao vivo e a cores, a esta conversa, tenho a dizer:
    - João Galambas assumiu o que devia ser assumido, por ele ou por outro dirigente PS qualquer;
    - O ridículo deputado 'laranja', cujo nome me custa pronunciar, que outra coisa não fez se não provocar o que não lhe saíu bem. O habitual, de rsto, naquela figurinha reles do PSD;
    - Uma jornalista 'em estágio' a dar-se muito mal com o auricular por onde, certamente, algum dos venenóides da règie daquela casa que já me causa urticária, tentava puxar por ela e ela, coitada, não tendo a seu lado, como habitualmente, o Pedro Mourinho para lhe dar uma mãozinha, desejosa que aquilo acabasse rapidamente, sem capacidade para outra coisa que não fosse aquele sorriso palerma que não desarma ninguém, nem mesmo às escuras.

    João Galamba é das pessoas mais competentes que a política tem, no presente. E nunca, nem que uma vaca tossisse, lhe retirariam uma palavra, um gesto, um tique que o pudessem encostar à parede.

    Quanto à política vigente, é a que temos e pouco (ou nada) há a fazer. Não contem é com gente como o Galamba para fazer de bobo da corte. Interpretação que encaixa como uma luva no tal pê-ésse-dê-zinho Duarte Marques, fulano que até a barba irrita.

    Teria eu uma ou outra coisita mais a dizer mas não nesta altura, ainda refém do jet lag provocado por uma viagem entre Lisboa e Cacilhas que tal como a SIC que é Notícias me incomodou.

    Ora ora, Maria, venha de lá um chá de camomila e está feito.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba, caro Observador, não lhe vou oferecer uma chávena de chá de camomila, vou oferecer um bule, versão cinco litros, de chá de camomila :))))

      Vamos aos seus pontos:
      1. João Galamba assumiu, mas João Galamba assumiu tudo aquilo acompanhado de batatinha a murro e de um sapo bem grelhado que vai custar a digerir.
      2. Não conheço o tal deputado do PSD, nunca o vi mais gordo, a bem dizer nunca lhe tinha posto nem uma pestana em cima. Sim, concordo, tem ali um tique qualquer que não agrada.
      3. Não diga mal da jornalista porque eu até simpatizo muito com a jornalista em questão. Também não é preciso arrasar dessa maneira. Pronto, podia ter sido um pouco mais dura, mas olhe que a forma provocadora, meio deselegante, com que João Galamba lhe respondeu, a olhou, também não foi nada de se lhe tirar o chapéu. Acho que lhe cheirou que ali existia uma jornalista não muito à vontade com o tema, e, vai daí, próprio de quem se acha, e João Galamba acha-se, toca de usar de alguma arrogância que não lhe ficou nada bem. Isto na minha opinião, obviamente.

      Ninguém está a encostar o João Galamba à parede, estranho foi este silêncio todo de alguns elementos do PS até agora. De repente, de uma assentada só, parece que foram logo três (?) a pronunciar-se e a dizer que é uma vergonha, ou lá o que é. Vai na volta está a escapar-me qualquer coisa aqui pelo meio...

      Beijinho para si também, caro Observador e, não se zangue, a troca de opiniões é sempre muito saudável :)

      Eliminar
    2. Continuação de troca de impressões:
      Está a escapar-lhe qualquer coisa, não duvide.

      End of (this) story :)

      Eliminar
    3. Acho que já descobri, neste breve intervalo de tempo, o que me estava a escapar :)

      Eliminar
  4. Esta jornalista pode não ter a classe nem a presença da Margarida Marante, mas há certos sorrisos que acabam por ser impagáveis de tão sarcásticos eles parecem ser...

    Há imagens que valem por mil palavras, dizem, e sorrisos também... :)
    (frase essa que, a meu ver, ganha um especial relevância por saber que o assunto discutido envolve a televisão)

    João Galamba, esse, deu-me a parecer que ficou com uma noz entalada na garganta. Se calhar, doravante, é melhor dar uma pequena formação de pequenos socorros aos jornalistas e políticos, para que aprendem a executar a manobra de heimlich no caso de vir a ser necessário. É que as vergonhas estão a crescer tanto no mundo politico (a um ritmo alarmante, seja em número como em dimensão) e estão a ficar tão indigestas, que alimento o receio de que um dia alguém possa morrer sufocado por elas...

    Boa noite, Maria. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu achei aquele sorriso da jornalista, enigmático, se me pedissem para colocar uma legenda no sorriso, não conseguiria, vai daí resolvi ir buscar a imagem da Mona Lisa com um olho negro e a boca retorcida. Funciona como se fosse um género de legenda. Cá coisas minhas...

      A manobra de heimlich não é mal pensado, não senhor.

      Boa noite, Francisco :)

      Eliminar
  5. Tenho imensas saudades de Margarida Marante e até hoje não apareceu igual. Teve um fim bem trágico e que descanse em paz.

    Vi o programa julgo "Esquerda - Direita" e gostei da jornalista com um sorriso lindo porque não é nada fácil dosear um debate do género. Sempre gostei muito de João Galamba quer na forma de estar/falar e sobretudo do seu conteúdo. O do PSD que agora não me recorda o nome...é de bradar aos céus e com o que diz...perde toda a razão quando defende o indefensável da sua dama. Já lá esteve outro jovem...a mesma coisa!

    Para mim o falarem só agora da "vergonha nacional" com elementos do PS (já agora poderiam juntar o Manuel Pinho que começou com 1, depois passou para dois e a noticia de hoje já vai em 3,5 milhões de euros) a meu ver acho que foi a altura certa porque até quem apoia Sócrates já mudou de discurso e nas entrelinhas dizem tudo e malham na morosidade da justiça (que concordo até um determinado ponto). Queria era ver o que fariam com este novelo de mil pontas...

    Jornalistas, deputados etc, etc. e até a sociedade onde me incluo deveriam denunciar quando se deparam com casos estranhos sem medo de ficarem como a "Mona Lisa" que mostras.

    É o que eu acho, errado ou não é a minha opinião:))

    Beijocas e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao contrário de muitas pessoas, eu acho que continuam a existir bons profissionais no jornalismo - tivesse eu tempo e disposição para fazer uma lista com nomes -, só que o mundo mudou, mudou e muito com isto das novas tecnologias, e existindo uma mudança tão drástica, a forma de fazer jornalismo também ela mudou, muito provavelmente ainda se está a tentar a adaptar. É preciso limar muitas arestas. Penso eu, mas que sei eu.

      Margarida Marante era uma mulher directa, corajosa, nos dias que correm ser directo e corajoso, seja em que área for, é sinónimo de ter que enfrentar uma vida muito apedrejada, digamos assim.

      Admito que não vou muito com a postura de João Galamba, não quer dizer que não o ache um homem inteligente, forte nisto da política.

      Ora, com as legislativas à porta - daqui a um ano e meio, se não me engano - Sócrates tinha que ser atirado borda fora, têm neste momento de manter a casa do PS sem qualquer mancha, pelo menos manchas demasiado visíveis. O objectivo é a maioria absoluta, ainda que eu ache a coisa impossível.

      E aqui são bem vindas todas as opiniões, vão essas opiniões ao encontro ou de encontro à minha.

      Tenha também um bom dia, Fatyly :)

      Eliminar