domingo, 13 de maio de 2018

Cá vou eu dar uma dica às dicas das decoradoras lá dos interiores


Mais concretamente a uma decoradora de um programa em que entra a Bárbara Guimarães de que agora não me recordo o nome, ou recordo-me vagamente. Penso que é um: e agora o que é que eu faço? Não é um programa daqueles de se lhe tirar o chapéu no que a decoração, remodelar, diz respeito, mas come-se. Ou vê-se.

Dizia às tantas esta decoradora na parte da arrumação de livros em estantes que:

1. a) e b) Aconselha arrumar os livros na horizontal e aconselha também - grande catrefada de conselhos que me impingiram de uma só vez nesta manhã de domingo - que as lombadas fiquem arrumadas por cores.

2. Aconselha que as telas não sejam penduradas nas paredes, mas sejam encostadas em cima das estantes. Acho que aquilo é muito à frente.

*
Maria, eu portanto, acabei de chegar à parte da malhação.

1. a) Arrumar os livros na horizontal implica que se eu quiser ler um livro que se encontre em último ou em penúltimo lugar a contar de baixo, tenha de retirar toda a pilha de livros que se encontra em cima. Coisa que não só implica desgaste, rouba tempo, e é capaz de deixar os nervos de uma pessoa todos esfrangalhados. Pode resultar para quem tem meia dúzia de livros e muito provavelmente nem sequer os lê, no entanto não resulta para que tem muitos, que é o meu caso. Tenho livros na horizontal, mas são dois ou três que se encontram em cima dos que estão bem arrumados na vertical e isto por falta de espaço lá na rua dos livros.

1. b) Arrumar livros com as lombadas por cores - a ver se tomo um calmante e um copo de bagaço antes de me debruçar sobre esta temática deveras fracturante -, ó senhora decoradora das dicas meio estranhas, quem é que goste de ler a sério, mas mesmo goste de ler a sério, se lembraria de coisa mais supérflua, sem sentido, do que essa coisa de arrumar livros tendo em conta a cor das lombadas? não me diga que as pessoas quando compram livros, não os compram porque gostam do autor, mas porque a lombada do livro é cor-de-rosa e fica mesmo bem com os cortinados da sala que são em verde seco estaladiço?

2. Esta moda das telas encostadas e não penduradas é de uma enorme falta de segurança, isto se se colocarem, como foi a sugestão da decoradora em questão, em cima de estantes. E vai que existem crianças em casa, aquilo com um encontrão sem querer na estante e lá vem a tela por ali abaixo direita à cabeça dos mais pequenos. Se for uma tela valiosa, é a cabeça e a tela que vão à vida. Um dois em um, portanto. E se se dá um leve tremor de terra, é ver telas a saltar de cima de estantes para cima das pessoas e dos animais. Um festival de alegria e cor. São as lombadas coloridas a dançar o malhão malhão com as telas muito à frente. Termino dizendo que não desgosto de ver quadros grandes, telas em formato também ele grande, encostadas a uma parede, mas no chão, num local onde se encontra um vazio que precisa de ser preenchido de forma intimista, digamos assim. 

*

Só numa coisa concordei com esta decoradora, luzes amarelas sempre, é uma luz mais confortável, porque isto de usar luzes brancas em casa, deixa uma pessoa aos tremeliques-iques-oques. Luz branca é uma luz muito agressiva. Fria. Não gosto, portanto. Tendo em conta que já existem luzes amarelas económicas... As luzes brancas deveriam ser proibidas por toda a cidade, em restaurantes, cafés, lojas, supermercados, caramba, por vezes uma pessoa entra em certos locais e só consegue aguentar com todo aquele foco de luz branca em cima, de óculos de lentes muito escuras. Deixa o sistema nervoso a ferver. Eu sei, tenho um sistema nervoso muito sensível. Não tenho culpa, agora é tarde, já não aceitam devoluções.

9 comentários :

  1. Vi um ou dois programas e sinceramente achei algo tão fraco, mas tão fraco que desisti. Prefiro ver "Querido, mudei a casa" e outro estrangeiro que agora não me lembro o nome, mas que dá num canal por cabo.

    Vamos primeiro à foto e como gostei embora tu "pesques sempre casas tão altas que me assusta":)))

    Agora ao assunto:

    1.a)- Fiquei um pouco baralhada com o teu argumento, na diagonal tens que tirar a pilha dos livros? Ou será na horizontal? Eu prefiro na vertical, mas havendo um espaço e não tendo algo que os apoio ficam na diagonal e tiro facilmente qualquer um deles. Mas tento arranjar rapidamente o tal apoio porque com o tempo os ditos ficam meio torcidos:)) Todos postos pelos autores!

    1.b) essa das cores não lembra ao diabo e mesmo os livros apenas para crianças (hoje não os tenho porque as filhas levaram-nos) estiveram sempre como disse no a)

    2.- Telas em cima das estantes? Vai lá vai quem tenha filhos e telas além do que referes no que toca a segurança, ainda pode surgir nas ditas mais uns rabiscos que os miúdos adoram fazer em tudo que é sitio. Se for Mirós até não faria diferença, mas uma paisagem e outras coisas que gosto...dava-me o treco:)))

    Quanto à luz...tu és do time da minha mãe e tirem-me desse filme, melhor dizendo das luzes amarelas e fracas. A luz da foto é branca/natural claro, mas detesto falta de claridade e aqui na minha casa sempre foi luz branca da Silva - todas elas já economizadoras e se um dia proibirem como pretendes, bem que irei infringir a lei. Restaurante, café à média-luz, etc...não entro! Detesto Maria e amarelo só aceito se for um cravo:)))

    As da rua são amarelas mas não me incomodam tanto como as usadas no que referi. Gostos:))) e ou hábitos não sei!

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão, Fatyly, já rectifiquei, escrevi na diagonal quando queria escrever na horizontal. Obrigada :)

      - / -

      É fraco o programa, sim senhora, tem razão, mas eu não sou lá muito fã do canal SIC Mulher. Acho sempre que os programas são assim para o fraquinho, como se as mulheres fossem umas flores de estufa. Existem excepções, obviamente.

      Quanto ao 'Querido, mudei a casa' quando passava na SIC não perdia um único programa, gosto do formato, também gosto bastante desta temática, decoração/remodelação, entretanto desde que o 'Querido' passou para a TVI, não faço a menor ideia do paradeiro do dito programa. Nunca sei quando passa, a que horas passa, e sei lá que mais. Nunca mais vi. Não encontro o raio do programa :)))

      Sim, existem formatos deste tipo de programa muito bons, costumo ver dois, de momento escapou-me os respectivos nomes...

      Ora aí está, os livros, penso eu, são arrumados nas estantes pelos autores. Se não estiverem na vertical são mais difíceis de manusear sempre que se precisa. Logo eu que ora consulto um, ora consulto outro, se estivessem arrumados todos na horizontal dava-me uma coisinha má. Alguns decoradores de interiores pensam que as casas das pessoas não são para serem vividas, mas para ficarem ali qietinhas, lindinhas, para a fotografia.

      Se for um Miró não faria difereneça? Caramba, Fatyly, acaba de me espetar uma faca directa ao meu pobre coração. Logo eu que não me importava nada de ter um Miró pendurado numa parede cá de casa. Sei que nem toda a gente gosta do género, mas eu gosto, admito.

      Mas as luzes amarelas não são fracas, quer dizer, depende da voltagem. Existem lâmpadas com uma intensidade de luz maior e menor. Eu, por exemplo, no quarto e para ajudar a ter aquilo de um ambiente tranquilo para melhor dormir, tenho lâmpadas amarelas mais fracas. Não costumo ler na cama, normalmente leio no sofá e quando me dá o sono largo o livro e vou deitar-me, portanto no quarto é quase tudo à luz da vela. Na cozinha são amarelas mas mais intensas. Na sala são uma mistura de mais fortes e mais fracas, depende do sitio em que as mesmas incidem. Na casa-de-banho idem aspas, aliás na casa-de-banho também tenho velas e acendo-as quase todos os dias. São as formas de cada um viver a sua vida, nada mais, mas olhe que jantar num restaurante com aquelas luzes muito brancas, é stressante, aliás, esse também é um factor para eu escolher este e não aquele restaurante. Comida, atendimento, limpeza e luzes amarelas.

      Abraço para si também e um beijinho para a sua mãe que é da minha equipa nisso de gostar mais de luzes amarelas :)

      PS: Na minha rua são só luzes amarelas e aquilo é uma beleza à noite. Ó ó :)))

      Eliminar
    2. Errata: quietinhas e não 'qietinhas', claro.

      Eliminar
  2. Os programas para todos os gostos, até para os maus gostos.
    A minha moda faço-a eu. Jamais me deixarei guiar pela opinião de quem, com frequência, demonstra não estar alinhado com o bom senso.
    Respeito opiniões, claro, mas com sumo do bom. Pode ser de limão, por exemplo :)

    Bom resto de semana, caríssima Maria.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é propriamente um programa de mau gosto, diria que é um programa que não aquece e tão pouco arrefece. É morno. Fraquito.

      Decoração para mim não é moda, aliás, sou muito pouco dada a modas, terá mais a ver com dicas que por vezes ajudam nisto de melhor aconchegar a casa de cada um. Para que as casas não sejam espaços frios, desconfortáveis. Por vezes nem sequer é preciso ter muito dinheiro.

      Concordo pois, concordo nesta sua parte: "não estar alinhado com o bom senso". Foi o caso desta decoradora. Entretanto neste programa específico achei que a sala remodelada ficou pior depois de ser... remodelada. Ou seja, antes da modificação aquilo tinha muito mais personalidade, depois, apenas se tornou uma sala padronizada ou lá o que é. Sem grande interesse.

      Beijinho para si também e tenha também uma boa semana, caro Observador :)

      Eliminar
  3. Não conheço o programa, que nunca vi, creio que já disse que só vejo TV quando o rei faz anos.
    Ou quando sei que a dois vai dar algum programa que me interessa, quase sempre sobre poesia. Livros tenho muitos. Todos na vertical, excepto os vinte e tal que tenho para ler, que estão na estante por baixo da TV na horizontal. Depois que forem lidos, ficarão na vertical e irão para outro lado. As telas soltas também não sou de acordo, penso que há sempre o perigo de caírem, não pelo valor, todas as que tenho foram "borradas" por mim) mas pela minha saúde.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existem dois canais - falo dos nacionais - que normalmente acelero quando vislumbro lá ao longe a tabuleta dos ditos. Esses dois canais, não tendo nada a ver um com o outro, são a SIC Mulher e a CMTV. Um é demasiado cor-de-rosa-mulher-fofinha, o outro é demasiado encarnado-sensacionalista. No entanto acho que a SIC Mulher faz todo o sentido existir, pode parecer uma contradição mas não é, o que se passa é que tenho a perfeita noção que nem todos podemos gostar de amarelo, embora eu goste de amarelo.

      Poesia é mais na RTP2. Acho que mais nenhum canal aposta em poesia em Portugal. A Poesia está a ser atirada para a prateleira sem dó nem piedade. Tempos duros estes para a poesia. Nos blogs, existem trezentos mil blogs de poesia, no entanto de qualidade só se aproveitam uns três ou quatro, isto dos que conheço, a maior parte dos blogs de poesia são de poesia caseira, terá o seu valor para a pessoa que escreve, mas não terá, segundo o meu ponto de vista, grande interesse para a maioria. Saber escrever poesia não é para todos, diria.

      Faz sentido isso que a Elvira escreveu, quando ainda não se leram alguns livros manter os ditos na horizontal. Quanto às telas, pois se a Elvira pinta, têm valor, penso eu. Também gosto de "esborratar" e tenho uma tela pintada por mim no meu quarto, para mim tem um valor incalculável, fui eu que pintei, deu-me muito trabalho aquilo tudo, para além de serem momentos muito especiais esses de pintar e ver a 'obra' concluída.

      Abraço para si também e tenha uma boa semana.

      Eliminar
  4. Acho que os livros na horizontal devem ter o propósito de servir de base para meter uma moltura com fotos ou uma jarrinha de vidro por cima, já que no fim de contas a maior parte só compra livros para decorar as estantes mas nunca chega a lê-los, e as lombadas por cores devem ter como finalidade fazer a biblioteca doméstica parecer um arco-íris...
    Muito à frente, sem dúvida... :)

    Um bom dia para si, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora, está tudo dito, também acho que o propósito deve ser exactamente esse, servir de base para uma moldura ou uma jarrinha de vidro, quando os livros não servem também de base para os pés de uma cama improvisada. Pobres livros, tratados como escravos ou como acessório. A vida também não está fácil para os livros :)))

      Aquilo da sugestão das lombadas por cores... matou-me. Um dia destes são bem capazes de sugerir que, se estivermos insatisfeitos com as cores das lombadas dos livros já há muito tempo em casa, na estante, já existem tintas específicas para se pintar as lombadas no sentido de fazer pendant com a cor da roupa e dos sapatos usados nesse dia. Uma pessoa leva o seu livro debaixo do braço, mas aquilo é tudo em bom :)

      Boa semana, Francisco.

      Eliminar