terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Ufa, finalmente acabaram os balanços

É que, para onde quer que uma pessoa se voltasse lá vinha um balanço de encontro ao nariz. 

Tentava-se ler um jornal, uma revista, e lá vinham oitocentos e quarenta e quatro balanços. Ligava-se a televisão só naquela de descontrair um pouco dos balanços dos jornais e revistas, e lá vinham para somar aos oitocentos e quarenta e quatro balanços anteriores, mais novecentos e catorze balanços vindos de diversas áreas, ele eram as notícias ditas sérias, ele eram as notícias rosa pouco sério, ele era no entretenimento. Tentava-se esquecer os balanços dos jornais, revistas, televisão e cassete pirata, pensava-se, bom, vou voltar-me um pouco para a rádio, sou bem capaz de escapar aos balanços, nada mais errado, mais duzentos e três balanços em cima que, por sua vez, se somavam aos oitocentos e quarenta e quatro da imprensa, mais os novecentos e catorze da televisão. Isto tudo somado dá... dá... ora, é só fazer a conta, como nos aconselhou um dia António Guterres. 

(caminhando mais rápido no tempo com pressa de abandonar 2017 e os balanços)

Isto está bonito, está - pensei de mim para mim - com tanto balanço em cima sou bem capaz de nem sequer conseguir entrar em 2018 de tão espalmada que fica toda e qualquer sanidade mental a balançar desta forma tão predisposta à queda. À previsibilidade. A previsibilidade mata, mata lentamente, mas mata. Bonito, bonito, era elaborar um qualquer balanço à previsibilidade tão acarinhada por muitos.

(continuando já com o cansaço a fustigar-me a paciência violentamente)

E os blogs? Sou bem capaz de ter alguma sorte, nos blogs não se fazem balanços, nos blogs fazem-se reflexões. E realmente fizeram-se reflexões, só que, as pessoas, teimam em chamar-lhes balanços. 


(muita, mesmo, e não falo de rock nem de samba)
(e dá rectas com cê também, achei importante referir esta parte)

6 comentários :

  1. Não sou de balanços, prefiro projectos e desejos. Quer para mim, quer para os outros.

    Balanços nos blogues? Às tantas a malta enjoava de tanto balançar :)

    A vida pode dar, dá, essas três coisas: samba, rock e merda. Ou não.

    Beijinho, caríssima Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou consigo, caro Observador, projectos e desejos (sem esquecer os sonhos que são o tempero da vida) empurram-nos para a frente, enquanto que os balanços, os balanços até são importantes, só que os balanços quando não são bem esgalhados, passo a expressão, sabem sempre a mais do mesmo. Já as reflexões podem acrescentar bastante, infelizmente, são poucos aqueles que têm coragem de entrar por aí, exige o tal 'despir-se', as pessoas na net só se despem se aquilo lhes render dinheiro, sexo ou likes. Nada contra, cada um saberá de si e o Senhor por estas alturas não terá grande bagagem para saber de todos ;)

      Beijinho para si também.

      Eliminar
  2. E agora, que começamos o ano, são as resoluções. Haja paciência! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tinha-me esquecido dessa parte, Marta, a das resoluções, é preciso mesmo uma boa dose de paciência de Jó :)

      Eliminar
  3. Nunca fui de fazer balanços, sou mais de "sonhar acordada" todos os dias do ano. Mas de facto televisões, jornais e revistas...venha o diabo e escolha. Junto a essa lenga-lenga a corrupção etc e tal. Todos os anos é o "vira o disco e toca o mesmo" e fico super enjoada com o cheiro a fritos vindo de todo o lado onde muitos se gladiam pelo bolo-rei sem respeito algum por quem estava na fila. Depois são os pratalhões com umas caganitas de comer (os taus gormet), os malditos foguetes e os banhos no primeiro dia do ano em que gabam-se de tudo e mais alguma coisa e passado alguns dias está tudo Centro de Saúde com carraspanas do caneco. Enfim, respeito quem entra nessa euforia e ganhei bastante na poupança de energia porque praticamente liguei a tv uns cinco ou dez minutos ontem apenas ouvi o discurso do MRS e gostei e até agora não foi ligada:)))

    Com tantos balanços ainda vou borda fora e sim a vida por vezes é pautada por "merda":)))

    Um resto de boa tarde

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahahahahah, a Fatyly é única, os seus comentários causam uma extraordinária (este adjectivo aqui vale ouro) boa disposição, e digo isto sem qualquer ponta de ironia, se me fosse dada oportunidade sugeria que fossem colocados cuidadosamente em cápsulas amarelas e distribuídos pelas pessoas substituindo um qualquer anti-depressivo :))))

      Tenha uma boa noite, Fatyly, e obrigada por essa boa energia que passa para este lado, ó se passa :)

      Eliminar