sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Post ressuscitado e pouco aconselhável a pessoas muito sensíveis

Titulo original do post: 'coisas que eu digo e que, se calhar, mais valia ter-me dedicado à plantação da pevide'.

Nota de interesse (ou mesmo sem qualquer interesse): como este post caiu no feedly há 3 dias e não era suposto, ainda não tinha decidido publicar, lá me vejo na obrigação de o fazer. Alertaram-me para o facto e, cá vai.

Informam-se os mui queridos leitores mais sensíveis para a ocorrência de possíveis danos a nível cerebral aquando da leitura do mesmo. Maria, eu portanto, não me responsabilizo por tal coisa e alerto para o facto de não valer a pena pedidos de indemnização, estou nas lonas. Tenho dito.


Dito isto, vamos a isto.

.
.
.
Ontem (que foi no passado domingo), numa conversa despretensiosa de final de hora de almoço, o assunto de repente escorregou para a parte que, em Portugal, se ganha muito mal se compararmos com outros países da União Europeia. Entre o que um diz e outro disse e outro faz questão de ir dizendo contrabalançando com o que outro tinha acabado também de dizer, eu, tranquilamente, atiro para cima da mesa um: ah pois, mas ninguém deveria ter uma remuneração superior a um Presidente da República, a um Primeiro-Ministro, a um médico e a um professor. Estas quatro responsabilidades - o substantivo usado não o foi por mero acaso - são essenciais para o desenvolvimento de um país. 

De repente, alguém que não fazia parte daquele núcleo mas que provavelmente tinha estado atento à conversa, diz em alto e bom som: o Pedro Teixeira ganha dez mil euros por mês, é a TVI que paga. Fez-se um silêncio, alguns cruzaram o olhar com um ar de interrogação. Numa pesquisa rápida com esta coisa dos smart e dos  (ler por favor ai) terminados em phones, a dúvida desvaneceu-se com uma simples foto de Pedro Teixeira nu deitado numa cama.


Pronto, daqui se deduz que até os provérbios já não são o que eram.
Provérbio alterado à última hora:
Quem tem rabo tem tudo, quem não tem rabo não tem nada.
(se tiver rabo para publicar na Internet 
quase de certeza que não vai ganhar o ordenado mínimo 
daquele que dizem ser nacional, mas que não é nada bom; o ordenado, claro)

11 comentários :

  1. Ó ilustre aí desse lado ... pst pst, é consigo!
    Lidi e relido o texto, resolvi endossá-lo a um amigo meu que se chama Luís e é conhecido como o 'broncas'.
    Aguardo o feedback. Se tal acontecer ... ai 'balha-me Deuzezeze' ;)

    PS: isso de caír no feedly é alguma coisa que se coma? eheheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dei comigo a olhar para todos os lados a ver se encontrava o 'ilustre', até me dei ao trabalho de voltar a olhar para o rabo do Pedro Teixeira e, não, lamento, não vejo nada ilustre, o que consigo vislumbrar no horizonte munida de um ar teatral é que, o chico-espertismo numa de querer sobreviver a todo o custo adquiriu uma nova roupagem. Essa é que essa!

      Bom sábado, caro Observador :)

      ps: o verbo comer neste contexto é 'bués' de perigoso, o Pedro Teixeira desaprovaria quase de certeza, é isso e o assédio 'sensual', uns queixam-se que, ah e tal estou a ser assediado, e outros queixam-se se o seu apêndice caudal sofrer uma fraca adesão ao nível de likes :D

      Eliminar
    2. Filosofia a esta hora e ao sábado?
      Ai esta vida de blogger tem muito que se lhe diga. Ou bão.

      Eliminar
    3. (com isso da Filosofia, lembrei-me de repente de um professor que tive que tinha um ar peculiar, aparecia nas aulas como se tivesse dormido vestido, ou seja, tudo nele era amarrotado menos o cérebro que, esse sim, era de um verdadeiro génio, coisas)

      Blogger, ké-ké-isso? Serve para quê exactamente? :)))))

      Eliminar
  2. Danos cerebrais? Desde quando a lucidez provoca isso?
    É claro que os pilares da sua afirmação, pré-anúncio da situação do Pedrinho, é discutível, mas toda ela assenta na vontade de construir, de viver num país a sério.
    Um "país a sério" é coisa para milhares de páginas, eu sei, pois colide com uma forma de estar forjada ao longo do tempo, em que todo um povo teve que ganhar defesas para se confrontar com toda a espécie de dominadores que passaram por este rectângulo de clima ameno. Entendem-se as defesas, não a tolerância para com a falta de emancipação. Será que estamos condenados a ser bárbaros para toda a vida?
    Este tema é aliciante, Maria, diria mesmo inesgotável até que os passos certos aconteçam. Mas vejo pouca gente interessada, até porque, em prol da sobrevivência, quem era suposto ser lúcido se refugia, cada vez mais, no interior do rebanho...

    Continuação dum excelente sábado :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AC, eu cá acho (e este achar vale o que vale) que um país a sério tem de, obrigatoriamente, tratar as suas pessoas a sério. Tratar as suas pessoas a sério é não brincar com a vida das pessoas e, tão pouco, dizer, não dizendo, que isso de ser médico, estudar anos a fio, que isso de ser professor, estudar anos a fio, não vale rigorosamente para nada a nível de remuneração. Toda a gente sabe que os nossos médicos - nem sequer me vou aventurar para o lado dos enfermeiros - ganham muito mal. Toda a gente sabe que os nossos professores são tratados como se nada valessem, com uma total falta de respeito, são descartáveis portanto. O Primeiro-Ministro e o Presidente da República, ora, não é preciso explicar a razão de os colocar lá no sitio, não do pica pau amarelo, mas da responsabilidade máxima.

      (entretanto pedem-me para ser boazinha, não tecer qualquer tipo de opinião - as pessoas boazinhas não emitem opiniões, são boazinhas, eu cá não sou nada boazinha, nem sequer pretendo ir para o céu, aquilo é muito branco, não tem turquesa nem nada, é sempre a subir, cansa uma pessoa depois de morta - com os Pedro(s) Ferreira(s) desta vida que, caso não se saiba, nem sequer é bom actor, nem sequer é bom apresentador, logo, a minha opinião não tem a ver com inveja do ordenado do Pedrinho, a parte da inveja é sempre um argumento básico, pobre, previsível e muito ultrapassado, a minha opinião prende-se com o facto de cada vez menos entender o que se passa neste país, existem bons actores de várias gerações praticamente na miséria, e existe o... Pedro Ferreira e o seu... rabo... bah!)

      Obrigada, AC, pelos seus comentários sempre lúcidos, esses sim, lúcidos.
      Tenha uma boa noite. Aceite um beijinho :)

      Eliminar
  3. Como não sou nada de sensibilidades falsas já tinha visto a foto e gostei porque está bem concebida. De resto para mim é igual ao litro, porque o Pedrinho é giro mas sinceramente e na minha modesta opinião e porque não o conheço, falando profissionalmente há gente bem melhor. Vejo-o no "Apanha se puderes" (programa de perguntas e resposta que me fazem avivar e activar a minha memória) o rapaz é desastrado todos os dias e ouvir chamar "amor" a todos...ó balha-me Santa Quitéria. Até no novo programa "Nunca digas Nunca" acho que fiquei pelo segundo...enfim há gostos para tudo! Ganhar dez mil euros para constantemente apelarem ao maldito 760... vou antes apanhar vento nas trombas para respirar melhor e poupar electricidade:)))

    Sei e muito bem que neste país a valorização de alguém - médico, enfermeiro, etc, etc. e EU que trabalhei que me fartei, sem faltas e baldas não é para todos apesar de quem não tenha cursos e seja bem melhor a todos os níveis. Agora que estou reformada e em pé de igualdade com quem "usou e abusou e pouco rentável profissionalmente", penso que afinal poderia ter feito o mesmo e com o valor acrescido de ter sido pai e mãe, mas saio rápido desse pensamento e trilho o do meu orgulho pessoal por ter sido um exemplo de profissionalismo.

    Voltando ao Pedro há outros bem melhores mas neste país há a velha máxima de pagar muito esquecendo-se de quem foi mesmo um grande actor ou actriz. Mas também te digo, a minha opinião vale o que vale, estive a ver um bocado do novo programa do Herman José na RTP e sinceramente fiquei "sem graça" perante tanta ...nem digo mais nada

    Voltando à foto que gostei e se ele usou o tal "chico espertismo das redes sociais" problema dele:)

    Não sei se me fiz entender neste país a várias velocidades e com gente mandante que não vale absolutamente nada em detrimento de outros bem melhores, porque infelizmente muitos vivem da política ao invés de viverem para a política...onde se gastam milhões!

    Beijocas e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fatyly, o Pedro Teixeira é um produto das redes sociais e sendo um produto das redes sociais e sendo a maioria deste país constituído por mulheres, obviamente que existe aqui um oportunismo acrescido. Daí as fotos nu com o dito rabo em evidência, assim sendo, o Pedro Teixeira vai engordando a conta bancária (foi nesse ponto que escrevi que o chico-espertismo adquiriu uma nova roupagem) à conta da ingenuidade de muitas. Se o Pedro Teixeira fosse um bom actor, muito bem que ganhasse uma pipa de massa, só que não é. Se o Pedro Teixeira fosse um bom apresentador, muito bem que ganhasse uma pipa de massa, só que não é. Daí se deduz que neste país não é a qualidade que importa, são outras coisas que agora não vale a pena referir. As pessoas acabam por ter o que as pessoas escolhem, se as pessoas escolhem mediocridade, é mediocridade que têm, se as pessoas escolhem qualidade, acabará por ser qualidade que têm. A escolha está sempre nas nossas mãos, tenho cá para mim que estamos todos a enveredar pelo caminho errado, daí a fraca qualidade dos serviços. Portugal tem neste momento muita oferta para muito pouca qualidade. Não somos exigentes, ficamos contentes com qualquer coisita que nos põem à frente, é disso que o chico-espertismo se alimenta, é assim que cresce e para mal de muitos de nós, acaba por se reproduzir.

      Os médicos estudaram e ganham mal, tomara muitos médicos ganhar, já nem digo 10 mil euros, fico-me por metade desse valor. Os professores idem. A evolução do mundo está na formação, na educação, não está de todo em aproveitamentos deste género que nascem nas redes sociais e estão a tomar conta de toda a sociedade. Recuso-me a ir por aí. Os Pedro(s) Teixeira(s) desta vida também cabem neste mundo e ainda bem, só não invertem as situações por favor. E muito menos façam chantagem emocional, manipulações, dizendo coisas como estas às pessoas: 'mas é muito boa pessoa' - até acredito que seja, não é isso que está aqui em questão, o que está aqui em questão é apenas o lado profissional, remunerações pornográficas a quem não transpira grande talento.

      Tenha um óptimo domingo, Fatyly, e obrigada por dizer (neste caso escrever) sempre aquilo que pensa, ainda que a sua opinião neste caso seja oposta à minha :)

      Eliminar
    2. errata: onde se lê 'invertem' é favor ler 'invertam'.

      Eliminar
  4. Concordo contigo e talvez seja pelo meu desconhecimento em como se ganha dinheiro nas redes sociais porque sinceramente já me explicaram mas como estava mais preocupada com outras...entrou a 100 e saiu a 200:)))

    Aprender todos os dias e aceito tudo o que seja oposto à minha opinião. Irei pedir nova explicação :))

    Uma boa tarde de domingo com sol mas muito frio e obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sua filha conseguirá com toda a certeza explicar os meandros desta coisa da Internet.. Desta obsessão/paranóia pelos likes e pelos seguidores. Por vezes as pessoas escolhidas não o são por uma questão de qualidade, mas porque têm um milhão de seguidores e cem mil likes por cada post que publicam. As marcas acham que, se se colarem a estas pessoas também saem beneficiadas. Ora eu tenho uma opinião diferente, por vezes só se prejudicam. Mais cedo ou mais tarde o reflexo dessas escolhas pode sair bem mais caro. Penso eu de que...

      Para si também, Fatyly, desfrute deste domingo com frio, é bom sinal sentir frio, é sinal que a malta está viva :)

      Eliminar