quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Ó Senhor Jesus Cristo, venha, por favor, cá abaixo ver isto (isto da lei do financiamento dos partidos)

Eu cá não percebo nada de política porque, a bem dizer, o que realmente me interessa são pessoas, pessoas daquelas a sério, pessoas a brincar arrumo-as ao lado da política, a tal que cada vez mais me interessa menos. 

Dizem eles, os políticos, que nós, os simples e comuns mortais devemos participar cada vez mais nisto da política, não devemos mostrar-nos seres desinteressados, é necessário ter uma opinião (no entanto, quando temos uma opinião e não indo essa opinião ao encontro de interesses previamente formatados, somos quase sempre apelidados de gente dada ao disparate), devemos votar, pois devemos, nisso estou de acordo, só que, quer-me cá parecer que votando ou não quando eles se decidem reunir lá pelo sitio do Parlamento, aquilo é de tal forma luminoso - muita gente pensante e brilhante a pensar -, só não dá curto-circuito porque Nosso Senhor Jesus Cristo e o Papa Francisco estão muito atentos, trabalham de forma árdua para que o mundo, de alguma forma, não fique totalmente às escuras.

Onde é que eu ia? Já me perdi. Ah, acabei de me encontrar. Isto não está fácil... Dizia eu que seres pensantes e brilhantes quando decidem ser ainda mais pensantes e brilhantes dá nisto:


Resumindo e concluindo, o país ofereceu-nos neste final de ano um prato recheado de dois sabores altamente sofisticados. Vejamos.

1. O escândalo que rebentou há meia dúzia de dias em que a principal protagonista era uma senhora dona daquilo tudo, dona de uma IPSS. Fiscalização, zeritos. Donos, para lá de cinco milhões deles. Palermas, todos aqueles que insistem que a honestidade é que é. Palermas, eu não disse. A ver se incluo na minha lista de ano novo um não esquecer de deixar de ser palerma.

2. Partidos políticos que podem, eventualmente, estar acima de toda e qualquer fiscalização. Partidos políticos completamente isentos de IVA? A sério? Isso não é um qualquer sintoma de febre das galinhas nem nada? É que quando a febre dá nas galinhas nascem pintos carecas - achei que esta parte era substancial e digna de sustentar toda esta minha teoria.


8 comentários :

  1. Já é altura do contribuinte deixar de ser preguiçoso/parvo!
    (manifesto em divulgação, ajuda a divulgar)
    .
    .
    O CONTRIBUINTE NÃO PODE PASSAR UM CHEQUE EM BRANCO A NENHUM POLÍTICO!
    .
    Leia-se, DEMOCRACIA SEMI-DIRECTA: isto é, votar em políticos não é (não pode ser) passar um cheque em branco... isto é, ou seja, os políticos e os lobbys pró-despesa poderão discutir à vontade a utilização de dinheiros públicos... só que depois... a 'coisa' terá que passar pelo crivo de quem paga (vulgo contribuinte).
    -» Explicando melhor, em vez de ficar à espera que apareça um político/governo 'resolve tudo e mais alguma coisa'... o contribuinte deve, isso sim, é reivindicar que os políticos apresentem as suas mais variadas ideias de governação caso a caso, situação a situação, (e respectivas consequências)... de forma a que... o contribuinte/consumidor esteja dotado de um elevado poder negocial!!!
    -» Dito de outra maneira: são necessários mais e melhores canais de transparência!
    [mestres/elite em economia já 'enfiaram' trapalhadas financeiras monumentais... quem paga, vulgo contribuinte, não pode deixar de ter uma palavra a dizer!]
    .
    Exemplo:
    Todos os gastos do Estado [despesas públicas superiores, por exemplo a 1 milhão (nota: para que o contribuinte não seja atafulhado com casos-bagatela)], e que não sejam considerados de «Prioridade Absoluta» [nota: a definir...], devem estar disponíveis para ser vetados durante 96 horas pelos contribuintes na internet num "Portal dos Referendos"... aonde qualquer cidadão maior de idade poderá entrar e participar.
    -» Para vetar [ou reactivar] um gasto do Estado deverão ser necessários 100 mil votos [ou múltiplos: 200 mil, 300 mil, etc] de contribuintes.
    {ver blog « http://fimcidadaniainfantil.blogspot.pt/ »}
    .
    Uma nota: a Democracia Directa não tem interesse - serve é para atafulhar o contribuinte com casos-bagatela.
    .
    .
    .
    Anexo:
    Uma opinião um tanto ou quanto semelhante à minha: Banalidades - jornal Correio da Manhã (antes da privatização da transportadora aérea):
    - o presidente da TAP disse: "caímos numa situação que é o acompanhar do dia a dia da operação e reportar qualquer coisinha que aconteça".
    - comentário do Banalidades: "é pena que, por exemplo, não tenha acontecido o mesmo no banco BES".
    .
    Um exemplo: Vítor Constâncio, coadjuvante na nacionalização do BPN, foi premiado pela MÁFIA DOS CALOTES: foi para o Banco Central Europeu.
    E não só: muitos outros mestres/elite em economia já 'enfiaram' trapalhadas financeiras monumentais... a quem paga, vulgo contribuinte.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Li o seu comentário e o que me apraz dizer, ou neste caso, escrever, é que o Natal pelos vistos não serve só para celebrar o nascimento de Jesus, comer rabanadas e cantar o jingle bells, o Natal nos dias que correm também serve para os políticos legislarem, à socapa, enquanto a malta-povo anda distraída e muito feliz a desembrulhar presentes. Dos distraídos não reza a história.

      E é isto, penso eu, mas não tenho a certeza...

      Eliminar
  2. E por falar em legislar ... sabia a Maria que Marcelo promulgou diversos diplomas algumas horas após ter sido intervencionado cirurgicamente a uma hérnia umbelical?
    Ora isto só pode ser interpretado como uma sede de protagonismo por parte do presidente dos afectos.
    Poderia o senhor Marcelo promulgar mais tarde, depois de ter alta clínica? Poder podia mas não era a mesma coisa, como dizia o outro.

    Sobre o tema de fundo desta sua publicação, não me apetece falar. É tudo tão rasca que me repugna.

    Tenha uma boa sexta, estimada Maria.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabia, sim senhor, foi uma das notícias que ouvi de manhãzinha, na hora do pequeno-almoço. Nesta parte sou bem capaz de lhe dar alguma razão, caro Observador, não existia qualquer necessidade de o fazer, a malta sabe que o nosso Presidente usa pilhas Duracell mas... Os jornalistas também podiam deixar o nosso Presidente em paz, se por um lado acho bem que se dê a notícia e ainda bem que tudo correu pelo melhor, por outro convém descolar da porta do Hospital.

      (o tema só é rasca porque a nossa classe política, toda ela, repito, toda ela, não esteve nada bem na fotografia, fazer as coisas pela calada revela que estamos perante pessoas muito pouco transparentes, que não sabem dar um bom exemplo, quando se trata de se governarem fazem-no com uma celeridade estonteante, quando se trata de devolver, por exemplo, indemnizações a pessoas que se perderam os seus familiares nos incêndios, é sempre para amanhã, mais do mesmo, portanto...)

      Para si também, caro Observador, uma boa sexta-feira.
      Beijinho.

      Eliminar
  3. Sempre disse que os políticos viviam da politica e não para a politica. O voto contra do CDS e do PAN é para quê se afinal sempre foram TODOS financiados por nós ...os tótós de sempre? Não houve grande alterações ao que existia, houve sim um acréscimo e essa do IVA...vai lá vai! Ninguém fala do aumento nas subvenções vitalícias que a meu ver é algo que me dá vómitos!!!!

    O Presidente em convalescença fez muito bem em promulgar quatro diplomas (li agora no SAPO) e entre eles está um que há muito é esperado e é caso para dizer...caramba custou mas foi! Sobre este deu recado a Costa para enviar ao Constituinte e também li que Costa já disse que não. Que irá fazer o Presidente? Anda não li nada sobre isso.
    Nos comentários da notícia realçam o facto do MRS trabalhar após cirurgia...e porque não? Se lhe apetece e consegue porque não? O meu genro há dois meses aconteceu-lhe o mesmo e apenas passou uma noite no hospital porque a dita foi quase ao anoitecer e já em casa trabalhou no computador e só lhe fez bem! Nisto acho que as criticas são...nem sei o que dizer!!!!

    O meu espanto maior é que o PSD e o tal advogado Hugo Soares ter sido o mentor...pois não há alianças em prol do país - saúde, educação, indemnizações etc, etc, etc....mas para dourar o poleiro venha e já a nós o vosso dinheirinho!
    Já agora quero saber é a opinião do Santana, para poder dizer que todos os políticos são farinha do mesmo saco.

    Um beijo e já comi um chocolatinho porque estava azeda com esta manobra numa de "o povo é mesmo burro"!





    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Partidos políticos completamente isentos de IVA só pode ser uma brincadeira de mau gosto. Parece que estão todos a dar o dito pelo não dito. Enfim! O que mais me admirou foi o PCP e BE ali metidos, então dizem-se do lado do povo e tal, mas quando se fala de trazer ao bolso milhões ficam todos 'bué. amiguinhos. Bolinhas, mas é. PSD é mais do mesmo. PS, ora sobre o PS também haveria muito para dizer em relação a este assunto específico mas agora a malta não tem tempo. CDS, bem o CDS lá tentou ficar bem na foto, só que a foto já tem por lá algumas fissuras, votar contra foi um gesto bonito, apenas isso, só que de beleza e boas intenções está o inferno cheio. O PAN, bem, o PAN esteve genuinamente muito bem, penso eu.

      (sabe a Fatyly, e sabe com certeza porque já o escrevi inúmeras vezes, que gosto bastante deste nosso Presidente, é um Presidente inteligente, esperto, sabe gerir muito bem duas coisas completamente distintas, só que, tendo a concordar, neste caso não havia qualquer necessidade de o fazer no Hospital, tem que saber dosear aquilo de querer estar sempre em cima do acontecimento, é bom que esteja, as pessoas esperam que assim seja, só que a fasquia está a começar a ficar demasiado alta. as expectativas idem, temo que as pessoas ao primeiro deslize não o perdoem, as pessoas quando querem também sabem usar daquilo da frieza muito bem, não nos iludamos, esperemos que não...)

      (nunca tive grande opinião em relação ao Santana Lopes, isso não quer dizer que aprecie o estilo do Rui Rio, que não aprecio, olhe, venha o Pai Natal e escolha ;)

      Aceite um beijinho e tenha uma boa noite, Fatyly.

      Eliminar
  4. Dlim...Dlão e o presidente vai dizer Não e como tal vai haver alterações e bem grandes. Ainda dizem que o alarme do povo não serve para nada? Isto de darem um valor monetário ao voto foi algo que sempre me causou uma irritação do caneco. Se isto ficar como foi cozinhado já pensei no que aconteceria se o povo não filiado votasse em branco? Hummm

    Falei do Santana porque será ele a ganhar já que, embora tivesse achado mal o facto de deixar o que estava a fazer, é o que tem mais "baterias" para um PSD completamente do avesso e Rui Rio hummmmm não sei.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que irá vetar esta lei do financiamento dos partidos. A ver vamos...

      (o PSD precisava, urgentemente, de uma volta de 180º, um Santana Lopes é capaz de ser uma de 360º ;)

      Eliminar