segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

No blog 'Delito de Opinião' está a acontecer um debate interessante sobre comentários anónimos... (também tenho algo a dizer em relação ao assunto)

Eu que sou completamente contra comentários anónimos - penso que já o referi aqui algumas vezes - e este ser contra é mesmo de forma radical, em qualquer plataforma digital o anonimato deveria ser proibido, podem sempre dizer que assinar como anónimo ou inventar um nome qualquer vai dar ao mesmo, pois aí é que está, este não anonimato que eu defendo implica a abertura de uma conta de e-mail e, a partir do momento em que é criada uma conta de e-mail, ainda que o nome escolhido não seja verdadeiro, se o comentário anónimo for uma ameaça ao/à blogger, ao/à jornalista, a quem quer que seja, escrevia eu, se a ameaça, a perseguição, possuir contornos que põem em causa a integridade física de alguém, aí a policia  pode ter o trabalho mais facilitado. Penso eu.

Também não sou a favor da não moderação de comentários em blogs, compreendo que exista quem assim tenha optado, só que isso dá azo a abusos por parte de quem se acha no direito de abusar, insultar, ser agressivo, perseguir, inclusive 'afundar' quem, por este ou aquele motivo, incomoda. Por vezes nem sequer é uma questão de incomodar, é uma questão de embirração. As criticas feitas ao autor não têm nada de construtivo, a intenção é meramente destrutiva. Parecendo que não, uma critica construtiva fica a milhas de distância de uma outra, a destrutiva. Resta é saber se temos capacidade de distinguir uma da outra.

Existe algo que muitos dizem, que é a parte de termos sempre do nosso lado o facto de poder eliminar de imediato comentários anónimos, pois, aí é que está, é que existe uma grande perversidade por parte de quem gosta de comentar anonimamente no sentido de causar o pior mal-estar possível ao outro, é o facto de saber que o comentário pode ser eliminado pelo autor do texto, mas que isso não impede que o autor do texto o leia, e ao ler pode sempre deixar mossa ainda que o dito comentário não venha a público. É a tal perversidade de que falo, a satisfação de quem na sua vida não sabe lidar com a frustração e usa as redes sociais, os blogs, para envenenar, para ameaçar, para insultar.

E mais.

Na minha opinião o autor de um blog ou de outra plataforma qualquer pode, e deve, se assim o entender, não publicar comentários ainda que assinados, ainda que exista um blog lá por detrás, se o mesmo estiver impregnado de intenções pouco claras. O que quero dizer com isto? Ora, somos todos adultos e, espero eu, com os dois olhinhos bem destapados. Podem alguns dizer que com isto se está a impedir a liberdade do outro se manifestar. Não. De todo. O que se está a impedir é que o outro, tendo intenções muito pouco claras, tenha qualquer tipo de protagonismo. Isso é o pior que se pode fazer a um troll (com ou sem assinatura).

E o que é um troll para quem não saiba? 
"individuo que coloca mensagens ou comentários provocadores, maldosos ou violentos em sítios de discussão pública online, com intuito desestabilizador."
(aquilo do desestabilizador é coisa para se sentir à distância, tem um cheiro característico, vai daí, corta-se o mal pela raiz, como diz o velhinho provérbio)
.
.
.
(entretanto existem comentários anónimos plantados em blogs, muitas das vezes pelos próprios autores desses mesmos blogs, ou por amigos, com a intenção de gerar mais tráfego, mais polémica, mais visualizações, sem estes comentários anónimos, oportunistas, muitos blogs seriam capaz de se afundar um pouco, ah pois! o chico-espertismo sempre a dar cartas).

6 comentários :

  1. Sou contra o anonimato, revele-se ele onde quer que seja.
    Esta frase que é minha dispensa a leitura do 'Delito de Opinião'.

    Boa semana, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não dispensa, não, caro Observador, a leitura do dito blog, é que, pelos vistos, a autora de um dos textos, penso que se chama Patrícia Reis (não tenho a certeza) escreveu um texto sobre este assunto da juíza que é querida (ler em modo irónico) e, vai daí , ameaçada em modo comentário anónimo, entretanto mais autores resolveram abordar o assunto - existe um comentário algures da drª Helena Sacadura Cabral, senhora de quem gosto muito, que é manifestamente contra comentários anónimos. Eu também sou. Ponto.

      Boa semana para si também, caro Observador.

      Eliminar
    2. Não li, Maria. Parecia eu que estava a adivinhar que 'lá pelo meio' havia trovoada.
      Patrícia Reis é uma jornalista que dizem ser, também, escritora. Ora, sendo escritora, é perfeitamente natural que escreve disparates.

      E cá vou eu ... cheirar limões ;)

      Eliminar
    3. Caro Observador, não percebi, e isto é escrito com toda a honestidade, a parte de ser escritora e dos disparates?! Isso quer dizer que devemos todos queimar os livros que temos em casa? Vê, não percebi nada do comentário...

      (no entanto, acho que é sempre bom que se leia primeiro o que quer que seja para, depois, se emitir uma opinião; existem pessoas que por vezes criticam livros sem primeiro os lerem, é mais fácil, eu cá ou leio e digo de minha justiça, ou mantenho-me caladita, na base do shiuuuuuuuu ;)

      Eliminar
  2. Li o artigo e achei-o muito bom e vários, muitos comentários completamente descabidos, sem um pingo de decência e educação, já que sou totalmente contra o "anonimato".

    Quando assim é, acho que muitos jornais e blogues deveriam ter a "moderação dos comentários" mas dá trabalho fazes uma limpeza ou varridela...julgo eu de que...

    No espaço do Kruzes Kanhoto reparei que um ou dois comentários que fiz saíram como "anónimo". Ó valha-me um burro aos coices...tudo porque o Sr.Sapo queria que eu me registasse. Pedi desculpa e agora todos saem com o "Fatyly" no fim do comentário.

    Portanto estou em completa sintonia contigo.

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O primeiro texto foi da autora, Patrícia Reis, abordava a polémica em torno da juíza do caso Bárbara vs Carrilho, entretanto houve uma sequência de mais dois ou três textos (não tenho a certeza) de outros autores que também escrevem no Delito a abordar o tema 'anonimato', visto que a autora teria sido ameaçada com um comentário em modo anónimo, chegando ao ponto de autora afirmar que não teria qualquer problema em ir à polícia. Pois acho muito bem, isto de se andar em modo anónimo a ameaçar pessoas tem que começar a ser punido.

      A Fatyly no seu blog não usa moderação de comentários, os comentários são automaticamente publicados, o que é um risco, penso eu. No meu caso uso moderação de comentários e nem sequer permito comentários anónimos, ou seja, mesmo que alguém queira comentar anonimamente essa parte está desactivada. Pode-se sempre eliminar esse tipo de comentários, diriam uns, pois, pode-se sim senhor, só que, acaba por se ter que os ler antes de os eliminar e eu recuo-me ler gente desequilibrada e cobarde, se têm que dizer algo que o digam usando o perfil. Só são corajosos para escrever determinadas coisas em modo anónimo, são donos de tomatinhos cereja mas é...
      ...

      Quando os blogs estão instalados numa outra plataforma, neste caso o Sapo, quando se comenta nesses blogs tem que se preencher os dados, não é um registo, é apenas preencher os dados, entretanto pode deixar gravado e não o terá que fazer novamente, ou não grava e sempre que comenta terá que preencher novamente. Não faz sentido algum, o Sapo deveria rever a coisa, aquilo é chato.
      (isso de assinar com Fatyly no fim de um comentário que diz 'anónimo' pode ser complicado, vá que alguém usa esse método para se fazer passar por si, é preciso ter cuidado nisto da Internet, nada como ter lá o nosso perfil como garantia)

      :)

      Eliminar