quarta-feira, 8 de março de 2017

(uma pessoa de repente percebe, tarde demais, provavelmente, que responder a comentários não é coisa boa)

Desde que criei o blog, para além disso que me move ser o facto de gostar de escrever, uma das vertentes que ele deveria incluir, era o de as pessoas, se assim entendessem, poderem interagir. Achava eu, imbuída do meu lado meio naïf nisto dos blogs, que isso seria uma mais-valia.

Só que, passado este tempo e reportando-me a estes dois ou três dias em que basicamente uma das leitoras, comentadoras, deste blog, de modo compulsivo, quase a roçar o doentio, não pára de me enviar comentários em modo stalker, eu cheguei à conclusão que isto de tentarmos ser simpáticos com estranhos que estão do outro lado do écran, no mundo virtual, pode ser uma grande armadilha. Ao abrir as portas do blog através da caixa de comentários, ao dar resposta, percebi, agora, que dá azo a certos abusos por parte de quem já deve ser na vida real uma pessoa muito abusadora. Tenho para mim que quando a pessoa não percebe quais são os seus limites, quando alguém não percebe que chega a um ponto em que tem de parar, que não pode e não deve obrigar outro a ouvir, e insiste e insiste e insiste, é alguém que vive obcecado com isto da Internet. A obsessão nunca foi grande conselheira, tão pouco grande companheira.

Acho que, só agora, e numa conversa com um amigo ontem, percebi que muitas pessoas andam por aqui porque se sentem sozinhas, porque estão carentes, porque precisam de atenção, porque precisam de falar, porque precisam de amigos. O Facebook é bem capaz de ser, nos dias que correm, a única companhia que muita gente tem. Infelizmente tornou-se também ele uma verdadeira obsessão. Dei comigo a pensar no que seria a vida de muitos se de repente ficassem para sempre sem Facebook? Sem blog? A mim, pessoalmente, não me afecta rigorosamente nada e tanto não me afecta que este é bem capaz de ser o meu último post neste blog. Neste, porque a bem dizer tenho um outro onde escrevo diariamente. Com um outro registo. Com um outro tipo de abordagem aos temas. Com um outro modo de escrever.

*

1. Não tenho feitio para andar por aí de blog em blog na tentativa de angariar seguidores.
2. Não tenho feitio para ter uma qualquer obsessão (lá está a obsessão outra vez) de querer muitos comentadores na caixa de comentários, gosto mais daquilo de qualidade ao invés de quantidade.
3. Não tenho feitio para perseguir alguém até ao seu blog só porque não gostei do comentário que a pessoa deixou num outro - como já me aconteceu e continua a acontecer.
4. Não tenho feitio para romances e coisas que tais no mundo virtual. Não pretendo envolver-me com ninguém. Não estou assim tão desesperada. Respondo da mesma forma quer se encontre um homem, quer se encontre uma mulher, do outro lado. A única diferença que poderá existir é perceber se posso "brincar" um pouco mais com aquela pessoa, ou se tenho que ser mais séria. Se percebo que a pessoa é mais seca na forma como comenta tento apenas ter mais cuidado na resposta. Se percebo que a pessoa é mais reinadia, ora, a vida são dois dias e a morte, pelos vistos, acontece num só milésimo de segundo.

*

Preciso de viver no mundo virtual de forma diferente daquela em que vivo no mundo real.
Não gosto de obsessões.
Não gosto de pressões.
Não gosto que me travem a liberdade de poder dizer o que penso, escrevendo.
Aqui, querem travar. Mudo-me para ali...

21 comentários :

  1. Vou ficar com muita pena se este for o último post. Gosto do blogue, da forma como aborda os temas, gosto da pessoa que imagino os escreve, e que provavelmente nada tem a ver com aquilo que imagino, mas isso também não interessa nada para aquilo que aqui me trás, que é ver lá na sidebar que que há uma nova publicação, no seu link.
    Posto isto desejo-lhe um resto de dia feliz.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elvira, desta vez só lhe deixo um muito obrigada. Vou continuar a passar pelo seu blog, ler o que escreve, isso é certo, talvez seja em modo silencioso, mas é um modo de ler como outro qualquer.

      Um abraço para si também.

      Eliminar
  2. Acabar com o que quer que seja só porque alguém tem um comportamento a atirar para o medíocre, não me parece bem. Ao fazer-se uma coisa dessas estamos a 'dar o ouro ao bandido'.
    Estamos fartos de gente mesquinha, gente pequenina, gente frustrada.
    Como não pode deixar de ser, será a Maria a decidir. No que me diz respeito, espero que continue por aqui. Com toda a sinceridade o digo.

    Dito isto ... até já, ao próximo post.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Observador, não é um comportamento a atirar para o medíocre, é um comportamento obsessivo. Doentio mesmo. Não que um amigo que lê este blog não me tivesse prevenido que a pessoa não inspirava confiança, mas, lá está, se a pessoa comentava usando o perfil do blog, eu sempre aceitei, sempre respondi. Esse foi o meu mal. Percebo agora a razão de nunca comentar posts a não ser posts polémicos, nunca comentou posts daqueles mais leves que por vezes me dá para escrever, esses nunca lhe interessavam. A obsessão pelo JRS. A obsessão pelo LPN, deveria ter-me colocado de sobreaviso, mas não, fui deixando andar.

      Só hoje já me enviou 6 comentários longos, muito longos mesmo - que apago logo de seguida porque aquilo tem todo tipo de insinuações - todos para o mesmo post, tem uma fixação qualquer por determinados posts, penso que são aqueles que sabe lhe darão mais visibilidade. E acho que acabei de encontrar a pessoa que me perseguia alguns bloggers que por aqui comentavam, e outros da minha lista, a intenção era deixar o blog às moscas. Mal sabia eu a quem estava a abrir a porta do blog...

      (vou fazer uma pausa e escrever no outro)

      Obrigada, caro Observador.

      Eliminar
    2. (um outro blog, caro Observador :)

      Eliminar
    3. Percebi que seria um blogue mas a pergunta é qual.
      Tenho que explicar tudo, óhhhhhh deuses! :)

      Eliminar
    4. "óhhhhhh deuses!", digo eu. Ó ó ó (três ósss), caríssimo Observador, faça o favor de ler a resposta que já dei por aqui, pelo menos a três pessoas em relação a essa pergunta. Tudo eu... tudo eu :))))

      Eliminar
    5. Já percebi, 'prontes'!
      E agora a pergunta é outra: como é que o povo vai ter conhecimento do outro (blogue)? É coisa para surgir no Google? Surgirá publicidade nas tvs'? Vai ser apresentado em Belém com pompa e circunstância?

      Fui...

      Eliminar
    6. É coisa para surgir na CNN (ahahahah)

      Eliminar
  3. Já por vezes te fizeram o mesmo e o que te dizer? Que tens toda a razão e procura o que melhor for para ti.

    Respeito a tua vontade porque todos temos uma vida lá fora e isto para mim funciona como "um livro de bolso". O que deixo escrito é a minha verdade e sabes bem o que penso sobre o assunto. Basta ler o que escrevi em posts idênticos.

    Viveria muito bem sem a internet e não ando no Fuçasbook:))) e realmente o teu amigo tem toda a razão no que disse "que muitas pessoas andam por aqui porque se sentem sozinhas, porque estão carentes, porque precisam de atenção, porque precisam de falar, porque precisam de amigos." e eu acrescentaria algo que sei por ser verdade: porque estão doentes, porque estão amarrados a uma cama e alguns com doenças terríveis.

    Força campeã e continua neste espaço, já que pelo que li e até noutros posts o outro teu blog... não é para todos.

    Um grande abraço e não te deixes ir abaixo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, Fatyly, nunca me fizeram o mesmo. Se se refere à história da entrevista, isso é totalmente diferente, a pessoa em questão tem um blog na base do hate-blog, ou seja, a intenção daquele blog é viver à custa de outros, normalmente persegue blogs e respectivos autores mas, nesse caso, até são blogs considerados relevantes nisto da blogosfera, o meu é irrelevante, penso eu.

      Esta pessoa era leitora e comentadora assídua por aqui, fazia quase parte da mobília deste blog, só aí dá para perceber a enorme diferença. Chegou a fazer insinuações com o caro Observador, inclusive, dando a entender coisas - aliás, não deu a entender, escreveu com todas as letras - ora, a pessoa só pode ser doente, muito doente. Provavelmente anda por aí na Internet à procura de cambalhotas e pensa que todos são iguais. Gente imbecil, mas é. Com cabeça suja, também.

      Apercebi-me com isto tudo que, ainda bem que não tenho Facebook, isto veio ainda mais reforçar a ideia que tenho do Facebook, que aquilo não interessa a ninguém. Aliás, a interessar é só por uma questão profissional.

      Essa parte que referiu não foi o meu amigo, fui eu, a que ele referiu foi que se apercebeu, porque tem acesso a este meu blog - lê tudo, portanto - que a pessoa em questão não inspirava confiança. Tinha toda a razão, cada vez que me lembro do que li naqueles comentários, acho que o facto de não existir o tratamento por tu impediu mais coisas, ou seja, não deixou um à vontade tão grande para me chamar nomes. Pouco faltou.

      Abraço, Fatyly.

      Eliminar
  4. Acredite que este post me deixa muito triste. Há pessoas assim, pequeninas, que só se comprazem em tornar os outros infelizes, em magoar, destruir, e a Maria tem sido - por que será? - o alvo preferencial de alguns.
    É óbvio que fará o que bem entender, o que for melhor para si, mas que lamento se decidir deixar o "Amanhecer", disso não duvide. É que faz falta, acredite.

    O seu outro blog deve ser só para convidados, não sei, mas é bom saber que, ainda que deixe este ficará escrevendo, algures, aquilo que tão bem sabe fazer.
    Há tempo dizia que há pessoas que escrevem bem. Tem razão, mas há poucas que escrevam com alma, essa é a grande diferença.

    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. GL, isto é tudo muito estranho, tendo em conta que eu sempre tratei muito bem esta pessoa aqui no blog. Parece-me alguém muito descompensado. Agora quase bate tudo certo, sempre que eu abordava o tema redes sociais, o virtual e o real, o dizer que gostava mais de olhar as pessoas nos olhos, a pessoa em questão ficava chateada, portanto dá para perceber que deve estar habituada a isto de perseguir as pessoas por aí. Deve viver atrás do écran em modo obsessivo. É isto que as redes sociais está a fazer a muita gente, está a tornar as pessoas obcecadas e a achar que por detrás de um écran podem tudo. Já comentou novamente este post e eu, claro está, não publico, já me enviou email com um nome inventado de um homem, está doente.
      ...

      Não, o meu outro blog não é só para convidados, só que não me convém, por enquanto, dizer que blog é, posso apenas dizer que gosto muito da minha outra "casa" :)

      Beijinho e obrigada pela sua simpatia.

      Eliminar
  5. Maria,
    Sei, sem grande esforço, a quem se refere, tal como saberão todos os seus habituais seguidores. É que, por mais virtual que seja a coisa, há traços que são inconfundíveis, quando surgem fazem despoletar todo o tipo de alarmes. Mas, creia-me, esse é um retrato do mundo em que vivemos, tanto no real como no virtual. Chegados aqui, diga-me uma coisa: por causa de uma, duas, ou mesmo três pessoas, será que devemos avaliar o mundo duma determinada forma, ao ponto de tomar decisões em que, aparentemente, "todos levam pelo mesmos"? Tenha calma, Maria, a vida é demasiado preciosa para dar valor ao que menos importa. Detectou forças negativas? Ignore-as, pura e simplesmente, caso contrário elas não a largam a si. É que, tenho a certeza que sabe, há pessoas que se alimentam da energia dos outros. Mas, creia-me, não tem tem que fechar as portas todas, tem apenas que ser mais selectiva. Creio que me entendeu.

    Um abraço, com muita estima :)

    ResponderEliminar
  6. Maria,
    Como complemento ao anterior comentário, gostaria muito, sinceramente, de ter acesso ao outro blog. Se não quiser divulgar o endereço na caixa de comentários, facto que (não) entendo, agradecia que o fizesse para o meu mail. Pode ser?

    Uma excelente quinta-feira :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (acredito que saiba, aliás, dei uma pista que, para quem segue o que escrevo chega lá rapidamente)

      AC, até há relativamente pouco tempo quando me falavam em boas e más energias e daquilo que muito bem escreveu no seu comentário - "há pessoas que se alimentam da energia dos outros" -, eu costumava ficar perplexa não entendendo minimamente o que era isso das energias. Passado que foi algum tempo comecei a estar mais atenta, o corpo realmente dá sinais, fica inquieto, portanto é mesmo uma questão de sensibilidade, saber ler esses mesmos sinais. Penso que hoje já sei, ou aprendi a detectar e, sim, infelizmente existe muita gente que se alimenta da energia dos outros. Enfraquecemos nós (inconscientemente) para que outros fiquem mais fortes. Só por isso convém uma pessoa afastar-se o mais possível. Pode toda esta conversa tocar o absurdo, só que não existe rigorosamente nada de absurdo nisto das energias.

      Eu na vida dita real até sou bastante selectiva, ou aprendi a ser, só que na virtual é um pouco difícil ser, o blog é público, uma pessoa não sabe muito bem como agir... por vezes as campainhas soam, é bem verdade.

      (direi qual é o outro blog um pouco lá mais para a frente, por enquanto vou fazer uma pequena pausa)

      Um abraço para si também e muito obrigada, AC :)

      Eliminar
  7. Não pode ser :( li o post que vem a seguir e pensei vir comentar neste, que já estão a prever mau tempo para sexta e assim não se podia fechar o blogue e depois li este - gosto de poder comentar e gosto das respostas aqui, como naquele que comentei antes fiquei a perceber melhor a ideia do post com a resposta...será que não dá antes para abrir outro blogue e dizer-nos a nós qual é para que essa pessoa não a possa seguir?
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso deve ser uma mau tempo passageiro, Gábi :)

      (naquele post antes, aquele que infelizmente é triste, eu resolvi ontem dar lá um salto rápido e, confirmou-se, existiu por lá uma pessoa que foi muito inconveniente, escrever aquilo quando a pessoa já não pode responder é de uma insensibilidade, de uma frieza, atroz; lá está, penso que o meu texto, afinal de contas, embora alguns não tenham gostado, não foi de todo descabido, parecia que estava a adivinhar...)

      Quanto ao outro blog, vou fazer uma pausa e a seu tempo digo - é mesmo por aí, não quero que a pessoa me siga novamente :)

      Beijinho, Gábi.

      Eliminar
  8. Sem qualquer tentativa de pressão da minha parte venho apenas deixar-te uma saudação e tenho pena de nunca mais ter conseguido ler algo escrito por ti e o cestinho das flores continua impecável. Desconheço se tens outro blogue...mas sinto a tua falta:)

    Beijocas e finalmente chove muito

    Fatyly-camião TIR:))))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fatyly,
      Antes de mais, obrigada pela sua simpatia. Acrescento que pretendo voltar a escrever neste blog (desisti da ideia de iniciar um outro), não sei bem quando, mas vou voltar... Daí ter "aberto" novamente o blog ao público possibilitando a leitura de posts e respectivos comentários.

      Aceite um beijinho e até já :)

      Eliminar