domingo, 19 de fevereiro de 2017

Maria pergunta a um domingo e não a uma quinta-feira ou noutro dia qualquer

1. Como é que as pessoas que não leram o livro de Cavaco Silva fazem comentários sobre o livro de Cavaco Silva?

2. Será que se está a assistir a mais um fenómeno do Entroncamento que passa por comentar os comentários daqueles que efectivamente leram o livro e dizem de sua justiça?

3. Será que foi este novo emprego de comentador de comentadores que fez com que a taxa de desemprego baixasse em Portugal?

Agora sai um itálico para a mesa do canto.
(eu cá estou muito atormentada com estas coisas, sou uma pessoa que se atormenta com pouco)

10 comentários :

  1. Nota de interesses: nem que me pagassem me atrevia a ler seiscentas e tal páginas de lixo.

    O que sei do inoportuno livro de Cavaco deriva da leitura de artigos sobre o mesmo, de comentários feitos por pessoas em quem posso confiar.
    O que se sabe do lixo, perdão, do livro, é suficiente para sugerir a Cavaco uma ida urgente ao psiquiatra.
    Ah, as pessoas que me fizeram chegar alguns apontamentos sobre o best seller cavaquista, nada têm a ver com o Entroncamento, tal como eu.
    Não é verdade que criticámos José António Saraiva pelo livro em que deu a conhecer as conversas privadas tidas com pessoas que lhe deram a conhecer determinadas passagens da vida pessoal?

    Este livro demonstra o que não vale, o que nunca valeu, o homem que dizia nunca se enganava e raramente tinha dúvidas.

    Bom domingo, Maria, um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, mas uma coisa é o caro Observador ter numa roda de amigos em quem confia, opiniões que sabe serem rectas no sentido de que não favorecem este ou aquele só porque sim, outra bem diferente é, por exemplo, ser convidado para comentar o dito livro num telejornal que passa em horário nobre (ou não) e dizer que não leu o livro mas ouviu ou leu comentários de outras pessoas que já o leram. É que este tipo de opinião retira automaticamente qualquer tipo de credibilidade que a pessoa em questão possa porventura ter. Não é o livro que fica mal visto, é a própria pessoa que fica de alguma forma mal vista. Talvez este fenómeno possa ser catalogado por carneirada-criticÓ-literária-industrializada e isso, parece-me que se deve evitar a todo o custo.

      O livro de José António Saraiva entra noutro campo, penso eu, aí entra a falta de ética, o revelar conversas íntimas que teve com pessoas em ambiente informal. Ora, aquilo que eu falo na mesa de uma esplanada qualquer, à conversa descontraidamente com amigos, não é a mesma coisa que falar numa sala de reuniões em ambiente profissional com outro tipo de pessoas.

      (não pretendo ler o livro porque a figura de Cavaco Silva como Presidente da República me decepcionou, apenas por isso, tenho de ser coerente comigo mesma)

      Tenha também um bom domingo, caro Observador. Beijinho.

      Eliminar
  2. Sugiro que quando tiver oportunidade, leia aqui:
    https://estatuadesal.com/2017/02/18/ajustes-de-contas/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, caro Observador, logo mais à noite vou ler o artigo do link.

      Eliminar
  3. Bom, eu não li o livro nem tenho intenção de o ler. O que sei dele, ouvi na TV (que não vejo, mas oiço os telejornais) ou li na net. Mas a falar verdade, como é tema que não me interessa não presto muita atenção.
    Comentador de comentador é profissão?
    Um abraço ensolarado, com cheiro de maresia e carnaval, que trouxe agorinha mesmo de Sesimbra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elvira, eu também já tentei ouvir algum tipo de critica fundamentada. Fundamentada no sentido de que alguém leu realmente o livro e entretanto retirou dessa leitura as suas próprias conclusões, só que, até agora, nada. A ver se alguém lá da tv aparece e esclarece aqui o povo que somos todos nós.

      Isso do "comentador de comentador é profissão?", foi uma forma de brincar com a situação, embora exista por ali uma pontinha de verdade, comentadores de serviço existem, são remunerados, portanto, que se inspiram naquilo que outros comentadores de serviço, remunerados também, já disseram, às tantas uma pessoa já não sabe de quem é o comentário original.

      Ah, foi a Sesimbra? Fez muito bem, o dia também esteve magnífico por aqui.
      Um abraço para si também, Elvira.

      Eliminar
  4. O único que ouvi foi o David Dinis do Público, que tinha lido sim e deu o seu parecer. Daqui a nada irei ouvir a opinião de Santana Lopes e o outro que agora deu-me uma branca sobre o seu nome, para saber a sua opinião.

    Agora comentar sem ler e fazer sobre "a opinião de outros" é péssimo. Tal como aqui Maria, tento ser o mais isenta possível...leio o que puseste, disparo(salvo-seja) para a "gaveta dos comentários" e só depois é que leio os comentários. Fiz apenas uma ou duas vezes e já não me recordo o assunto em que subscrevi totalmente o comentário de alguém.

    Não tenciono ler, conheço quem já o tenha lido e me disse apenas isto "nada de novo sobre o péssimo ministro e presidente Cavaco Silva que escolheu um momento inoportuno em que Sócrates anda a contas com a justiça...com que finalidade?"

    Enfim, prefiro terminar as 600 páginas do livro "Só nós dois de Nicholas Sparks" que me leva para longe da cebolada deste país:))))

    Beijocas e uma boa tarde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, isso de se dizer como ouvi alguém na tv, aquilo do "não li o livro, mas li/ouvi algumas coisas por aí..." é algo que não consigo entender. Se os comentadores são pagos para comentar, para dar a sua opinião acerca disto e daquilo, é exactamente disso que as pessoas estão à espera. Não de comentadores que comentam outros comentadores, ou daqueles que não são carne nem são peixe, são lula. Bah!

      Também me parece ser esse o caminho certo, Fatyly, primeiro escrever o que achamos em relação ao tema em questão, publicar, só depois ler os outros comentários de forma a não sermos influenciados, se, de qualquer forma, quisermos acrescentar algo depois de ler outros comentários, é só deixar algo em resposta a outro com o qual concordamos ou não. Penso que esta é uma forma honesta de comentar, mas cada um fará como bem entender.

      Tenha também uma boa noite, Fatyly :)

      Eliminar
  5. Maria... Estou mesmo à pressa, tenho que sair já, que não tarda, são 9 horas, mas... Eu ainda não me deparei com nenhum, mas sei que há excertos do livro a circular na imprensa... Acho, portanto, que são esses excertos que os comentadores comentam e analisam... Tal como antes analisaram o livro do Saraiva...

    Até logo :) Abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São, se os comentadores são pagos exactamente para esse fim, para comentar, o que as pessoas esperam é que a coisa seja feita de forma minimamente competente, honesta. Ora, se existe um livro que foi escrito por um ex-Presidente da República, goste-se ou não desse ex-PR, não se comenta naquela de não perder a carruagem do imediato. Espera-se até se ler o livro. Foi apenas isto que quis transmitir com este meu texto.

      Abraço, São :)

      PS: O livro de J.A.Saraiva foi analisado de um outro ponto de vista. Existia por ali a questão ética. Nada a ver.

      Eliminar