sábado, 7 de janeiro de 2017

Resultado do desafio: Maria, a perguntadeira (*)

Em primeiro lugar entra o mais importante, as respostas das pessoas, as palavras das pessoas, porque eu tenho tendência para pensar que um mundo onde as pessoas conversam umas com as outras, seja o meio escolhido, escrito ou oral, é um mundo bem capaz de um dia chegar a algum entendimento. Tenho cá para mim que quando nos fechamos no nosso mundinho, só com as nossas palavras, empobrecemos. É assim como viver para dentro do umbigo, sitio que por vezes precisava de ser ventilado. Como as casas.
...
1. O que é ser imparcial quando se escreve?
A melhor resposta: 
"escrever a verdade, apenas a verdade"

2. O facto de se receber dinheiro pode influenciar uma opinião? 
Parece-me que a resposta mais "clean" foi esta:
"se o receber dinheiro não tiver a ver com o salário, pode influenciar, influencia"

3. Serão mais credíveis as pessoas que escrevem sem receber qualquer tipo de compensação? 
Parece-me muito bem a direcção desta resposta:
"Diria que talvez mais puras, seja lá isso o que for"

4. Pode-se medir a credibilidade? E pesar? 
Sem dúvida que esta resposta é muito equilibrada:
"Pode medir-se por actos e omissões. Pesar: por efeitos e consequências"

5. Ser credível está na moda, ou não é uma questão de moda? Se não é, é o quê então? 
Aqui escolhi duas respostas que vestem muito bem esta pergunta:
a) "a credibilidade não é uma moda mas sim um princípio"
b) "Para mim ser credível vem do berço desde que nasci e graças à boa educação que tive e cumprir era regra, caso contrário "vinha chumbo":). Seria bom que a credibilidade fosse tão apreciada, acatada, praticada, valor nato e verdadeiro"

6. A liberdade de escrever sem receber dinheiro será mais genuína? 
Também eu acredito nisto:
"É. Não tem a condicionante que trava e entrava"

7. As opiniões escritas de uma figura pública valem mais do que as opiniões de pessoas ditas comuns? 
Foram novamente duas as respostas escolhidas:
a) "Desgraçadamente sim. A visibilidade da dita dá sempre um empurrãozito, por vezes desastroso, mas isso é outra conversa"
b) "Ambos os lados podem ter o seu valor positivo ou negativo mas para muitos a figura pública é a melhor mesmo que só tenha dito m****"

8. Será que só se precisa de uma opinião na hora do voto? Será que nas restantes horas do ano é bom o voto de silêncio para não incomodar as pessoas que precisam de opiniões na hora do voto? 
Novamente duas respostas escolhidas, uma mais espontânea, outra mais delineada:
a) "Claro que sim...nada como manter um povo "ignorante, desatento, e desinformado"! Isto aplico a todos, mas a todos e na charanga das campanhas aí vêm de enxurrada para baralhar ainda mais a todos que têm a paciência de os ouvir!"
b) "O voto de silêncio é uma mais valia importante. Deixa o caminho livre para, na hora da verdade, permitir a dança de acordo com a batuta do maestro"

9. Será que as opiniões de gente comum só são disparatadas a roçar a burrice se não forem ao encontro dos interesses de quem as lê?  
Duas respostas de quem sabe das coisas:
a) "porquê o olhar tão atento ao cidadão comum se com frequência este escreve de forma mais assertiva do que os 'special one'?"
b) "As opiniões são uma burrice pegada se forem escritas a pensar nos interesses de quem as lê. Há gente comum esperta, muito esperta, mesmo"

10. Será que é o dinheiro que manda nisto tudo e, vai daí, os que o idolatram ficam aborrecidos quando se apercebem que uma opinião menos favorável pode desaguar em menos refeições no Gambrinus? 
Esta resposta resume tudo na perfeição:
"o dinheiro não é (ou não devia ser) sobreponível à seriedade"

11. Será que as redes sociais são assim tão más? Ou será que as redes sociais começam a fazer-se ouvir no bom sentido? (favor esquecer caixas de comentários em jornais online, aquilo normalmente é um esgoto a céu aberto)
Escolho três respostas para esta última pergunta:
a) "as redes sociais têm coisas boas e más mas há nelas uma propensão para dar relevo à estupidez e à maldade"
b) "Talvez se comecem a fazer ouvir no bom sentido, mas ainda há muito ruído de fundo, olá se há!"
c) "Começam a fazer-se ouvir no bom sentido quando não permitem comentários ordinários e nada e nada"

- / -

Todas as respostas escolhidas e que se encontram espalhadas pelo texto com as devidas aspas, são do caro Observador, da Fatyly e da GL. Existiu uma quarta participação mas em forma de comentário sem respostas, portanto, não contou.

Para conhecer os autores das mesmas é clicar em cima do nome de cada um aqui mesmo em cima. Para entrar no texto que deu origem a este resultado e ler todas as respostas na íntegra é entrar neste elevador. Quem não gostar de viagens de elevador é descer pelas escadas dois andares.

Resta-me agradecer às pessoas que se disponibilizam para entrar nestas coisas, interagir com quem não conhecem, reforço que só temos a ganhar quando damos a nossa opinião sobre o que quer que seja (opinar emagrece, se não emagrece faz de conta que sim) seja no mundo virtual, seja naquele que de tão real por vezes dói como o "caracinhas" que, como toda a gente sabe, é o diminutivo de caraças  lá do Carnaval e dos palhaços. Palhaço por palhaço que caia na rifa um rico porque de pobreza muita gente já está farta. E pronto, fim-de-semana...  oh yeah!

- / -

(*) Diz-me o dicionário que o termo "perguntadeira" não existe, ora, eu sei bem disso. Chato, uma pessoa já não pode brincar com as palavras nem nada...

6 comentários :

  1. Afinal nem tudo o que escrevo é lixo. Vejo aqui aproveitadas algumas coisitas da minha autoria. Melhorei o currículo! :)

    Antes que Maria publicasse o resultado do desafio - posso chamar assim? - pensei nas pessoas que poderiam contribuir. Acertei em cheio. Talvez se a quarta participação tivesse visto a luz do blogue, continuasse a acertar. Mas isso é, agora, irrelevante, se é que alguma vez o não foi.

    Pode brincar-se com as palavras, quem disse que não? Ora se até com as pessoas se brinca ... eh eh eh esta foi boa!!!

    Venham daí mais desfios/concursos/mesas redondas e quadradas que a malta gosta.

    Um alerta: o elevador custou a arrancar.

    Hoje está sol, dia certamente dedicado a quem gosta de tratar do jardim.
    Beijinho, caríssima dona Maria ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas quem é que disse que tudo o que escreve é lixo? Não me diga que ainda não desactivou aquilo dos anónimos e tal. Toda a gente sabe que gente muito corajosa diz anonimamente tudo aquilo que lhe vai na alma limpinha comós-canos-de-esgoto. Veja lá se alguém assume o perfil para dizer coisas daquelas que incluem palavrões cabeludos e insultos e isso. Ora!

      Caro Observador, quer acredite quer não, até pensei que ninguém iria participar. Estava preparada para isso. Este género de coisas implica que as pessoas se "dispam" um bocadinho, essa parte pode ser "perigosa", digamos assim. É como responder a comentários, revelamos mais de nós quando respondemos do que quando simplesmente escrevemos um texto e ponto.

      (não tenho culpa se o elevador custou a arrancar, garanto que paguei a electricidade, ahahahah)

      Hoje foi dia de tirar as luzes de Natal lá de fora, caramba, uma pessoa fica triste como a noite, já para não falar do facto de ficar com as mãos arranhadas e mêmo mêmo a sangrar :)))

      Beijinho para si também. Bom fim-de-semana.

      Eliminar
  2. Olha para mim a rir e a sentir-me tipo "vedeta":)))) e ao reler o que escrevi pensei que não mudaria uma vírgula.

    Estava expectante quanto aos participantes e digo-te que gostei de todas as respostas, mas gostei mais ainda das tuas escolhas conforme foi proposto.

    São por estas coisas que me fazem andar por aqui e frequentar os dos meus dois colegas:))) e outros.

    Mas já agora gostaria de ver e saber o que responderias, ó pá queres uma ajudinha tipo TIR?

    Obrigado por mais este desafio e já estou sentada na primeira fila à espera do próximo.

    Um abraço para ti e aos meus "colegas":) e a todos um bom serão e um bom domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fatyly, isto de ter um blog é compensador exactamente neste ponto, quando a pessoas desse lado se disponibilizam para entrar nestas coisas. Pena que ainda sejam poucos a participar, contudo não me posso queixar das visitas :)

      Eu cá gostei das respostas, deu foi trabalho a cruzar todas, vai na volta até foi bom não existir mais gente a participar, só sairia o resultado no próximo ano (ahahahah).

      (O que eu responderia não interessa, o protagonismo neste género de desafio fica todo desse lado porque é assim que deve ser)

      Tenha uma boa noite, Fatyly :)

      Eliminar
  3. Ui, que lindo!
    A sô dona Maria tem uma arte muito especial em incentivar, "empurrar", estimular as alminhas que a visitam a dizer de sua - ou nossa?! - justiça.
    E arranja questões interessantes vs pertinentes, e sabe, ó se sabe, colocar as questões, e... E vai daí ninguém resiste ao desafio.:)

    Para a caríssima Maria as minhas felicitações pela ideia. Para os companheiros neste desafio o que dizer? Que é um privilégio ter-vos como colegas.:)

    Um óptimo Domingo para todos, em especial para a anfitriã.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto que as pessoas participem nestas coisas de livre e espontânea vontade, admito, não sou de pressionar ninguém, no entanto existiu um desafio em que realmente convidei alguns bloggers porque queria conhecê-los de uma outra forma que não a de escrever textos nos seus respectivos blogs. Mas o normal é deixar as coisas correr livremente.

      Bom domingo, GL :)

      Eliminar