terça-feira, 29 de novembro de 2016

(Maria escreve carta ao pai Natal blogosférico)

Querido pai Natal blogosférico (blogosférico e não só), 

Espero que te encontres bem junto da mãe Natal e dos teus mamíferos ruminantes, mais conhecidos por renas. Também espero que tenhas feita uma dieta porque sabes que a obesidade abdominal pode colocar em risco o teu coração e, já sabes, que as criancinhas não conseguiriam compreender um Pai Natal sem coração, ou com um coração fraquinho só naquela de ter que carregar com uma barriga muito grande ao longo de vários trezentos e sessenta e cinco dias. Desculpa, se fui muito fria nisto de escrever que tens uma barriga muito grande e que com aquele cinto muito apertado pareces um chouriço mal amanhado prestes a rebentar, sabes que não pretendo ferir a tua susceptibilidade, só que as verdades precisam de ser ditas. Estás à vontade para me dizeres também verdades, se possível envia por carta manuscrita, com selos daqueles que se colam lá no canto superior direito ou esquerdo - conforme as ideologias de cada qual - para a minha caixa de correio que está lá fora à chuva como uma caixa de correio que se preze, é uma caixa de correio muito corajosa. digo-te. Não sei se irei responder, estou a ser verdadeira, tal como sei que não me irás responder, e sei que estás a ser verdadeiro. Somos uns verdadeiros nisto de não escrever.

Adiante que faz um frio que não se aguenta e tenho os dedos quase a ir para dentro. Para dentro das luvas, achei melhor explicar a parte do para dentro não vá alguém interpretar isto de maneira torta. O costume das pessoas tortas.

Sabes, pai Natal blogosférico, estou muito apreensiva e, até, chateada, com isto das pessoas que escrevem em blogs, uma grande maioria não escreve aquilo que gostaria de escrever, parece-me, posso estar errada, vai na volta até estou, mas tenho andado por aqui a ler blogs neste tempo em que não escrevi nadica de nada e, percebi, que muitos só escrevem para agradar às pessoas que os lêem, (devem ter medo de perder "amigos", seguidores e isso) não conseguem ter a coragem de escrever realmente o que lhes vai na traqueia, e isto, parecendo que não, mata blogs como se não houvesse amanhã. Para este Natal gostaria que os blogs fossem como árvores, que a morrer, morressem de pé. E calçados, já agora.

Recebe dois abraços apertados (um é para gastar já e o outro é para quando te sentires em baixo).
Maria, do blog que teima em amanhecer (a teimosa, portanto)



(isto é um exercício para te inspirares, 
podes começar mais devagarinho e beber água de vez em quando, 
adeus, sim, até para o ano)

8 comentários :

  1. Este post fez-me bem, soube-me a pouco.
    Já agora, que tal sugerir que o 'papai noel' frequente um SPA daqueles 'bué da bons'?
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (eheheh)

      Estou a contar consigo nisto de escrever com a traqueia, como digo no texto. Traqueia para quem não saiba é aquela estrada estreita, cheia de árvores e flores amarelas nas bermas, que leva o ar aos pulmões. Isto para quem tem pulmões, porque sei que existe gente que não tem coração, quanto mais pulmões :)

      Eliminar
    2. "(...)gente que não tem coração(...)'
      Pois, é isso.

      Eliminar
    3. (não esquecer que nos dias que correm mais são aqueles que não têm coração mas têm um carro topo de gama, pronto, isto hoje não sai nada de jeito... :))))))

      Eliminar
  2. Gostei desta carta. E gostei da menina no ginásio. Ai quem me dera ter a agilidade dela. É que a minha barriga, não sendo bem a do Pai Natal, (será mais parecida com a da Mãe Natal, acho eu) estava a precisar de abater um pouco. Mas se eu tentasse fazer aquilo, ia ter de numerar primeiro os ossos para depois conseguir montar o esqueleto sem ter os braços a saírem dos joelhos.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahahah, desconhecia esse seu lado espirituoso, Elvira, e olhe que me parece muito saudável.

      Um abraço e obrigada por entrar no espírito :)

      Eliminar
  3. Gostei da carta e não me sinto incluída no pacote de agradar quem me lê e sobretudo para cobrar comentários.

    Tive um ano muitooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo queres mais muitooooooooooooooooooooo difícil e não preciso de fazer o exercício da menina, porque tenho barriga, mas como dizem os meus...colada às costas:))))

    Gosto do Pai Natal
    Não gosto da hipocrisia das campanhas em prol de...que já começaram
    Gosto da publicidade do Natal sobretudo da Coca-Cola a minha bebida que de vez em quando me sabe tão bem.
    Não gosto de outra publicidade de um tal fulano que não sei o nome que retira as prendas por um fio, que diz à avó que o filho parece um cão...ou seja...da MEO se não me engano.
    Gosto da noite de 24 para 25 e 25 não me diz nada e nem saio de casa.

    Pai Natal, como bem sabes este ano o número foi reduzido para menos quatro, e também sabes bem a razão, cansei de dar "pão para malucos e materialistas".

    Já me deste o saco com as prendinhas que irei distribuir: à minha mãe que irá cear connosco, as filhas, genros e netos, os dois cães e a gata:)))))

    Para a Maria, agradeço que devolvas esta espécie de carta deste camião TIR e que lhe dês tudo, mas tudoooooooooooooooooooooooooooo o que ela precisa e quer. Porquê? Olha porque sim e se faz o favor não me faças perguntas:)))

    Saio de mansinho com um sorriso rasgado e vou agora dar uma grande volta a pé, porque não há melhor coisa do que levar com chuva e vento nas trombas para recarregar os neurónios.

    Volto mais tarde.

    Aquele abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É visível nalguns blogs, nalguns textos, que as pessoas escrevem com muito cuidado não vão perder "amigos", seguidores, comentários. Todos sabemos que é fácil passar de bestial a besta. Seja no mundo real, sej ano mundo virtual. Basta um milésimo de segundo, uma opinião mais vincada, diferente, que não vá ao encontro dos que se encontram do lado de lá e... já fomos. Ora, isto não pode acontecer, gente adulta sabe argumentar, e quando não concorda com o que está escrito argumenta de forma construtiva, não age de forma infantil. Parece que a infantilização também veio para ficar.

      Fatyly, situações difíceis, anos difíceis, a uns dá para emagrecer, a outros dá para engordar (no meu caso dá para emagrecer, fico sem fome, já cheguei a pesar 49 quilos só porque tinha um problema grave para resolver e não sabia como fazê-lo). Ou seja, existem pessoas que tentam colmatar maus momentos com comida e vai daí arranjam ainda mais problemas. Engordam muito, arranjam problemas de saúde e a auto-estima ainda fica mais em baixo.
      ...

      "chuva e vento nas trombas para recarregar os neurónios" :)))))))

      (para si e toda a sua família um Natal daqueles que se pode esticar ao ano todo :)

      (obrigada, Fatyly, pela simpatia, eu nem preciso de muito para me sentir bem, aliás, o que precisava para ser feliz não volta mais, já aprendi a viver com esse facto)

      Eliminar