quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Maria pergunta neste dia em que descobriu que existe um país com FIB e não PIB, para que serve realmente ter um blog?

Como de costume dei uma volta rápida pelas notícias e entrei num país muito pequeno. Um país que não será muito maior do que um botão mas que não é um botão, isto se pegarmos delicadamente no botão e mudarmos a décima quarta letra do alfabeto pela vigésima letra do alfabeto da língua que é nossa e é portuguesa com certeza, aí teremos o nome do país que me levou a esta introdução.

Li que por lá colocam o FIB (felicidade interna bruta) acima dos índices do PIB (produto interno bruto). Parece que a preocupação primeira de quem governa é a felicidade do seu povo. Tenho quase a certeza que quem governa deve ter comido alguma coisa estragada e aquilo trocou-lhe as prioridades, tendo em conta que a prioridade de quem normalmente governa - penso eu - não será muito na direcção de se preocupar se o povo é feliz ou não. Basta percebermos o valor dos ordenados que se praticam neste país, o de Portugal, e cruzarmos com os valores das rendas que se pedem por um simples T1 e, aí, percebemos que nos queixamos por coisa nenhuma.  Sim, estou a ironizar, mal, mas estou.

...

(já nem sei o que é que realmente me levou a escrever este texto, uma pessoa por vezes baralha-se toda e não sabe para que servem realmente os blogs).

- / -

Resolvi deixar aqui uma imagem do Mosteiro Taktshang (penso que se escreve assim), imagem essa capaz de nos tirar o fôlego de tão fabulosa que é. Um Butão de se lhe tirar o chapéu, é o que é.

(imagem net)

6 comentários :

  1. Chegou o desestabilizador de serviço!
    "FIB (felicidade interna bruta)" pressupõe que a felicidade existe. A verdade é que, até hoje, ainda ninguém me conseguiu definir o termo. Pelo que não consigo dizer o que quer que seja.
    Maria, aqui para nós, consegue definir a felicidade? Se consegue, chega-lhe o espaço de que dispõe neste seu cantinho? Vá lá, pense bem.

    E depois, ó e depois, não sabe o que a levou a escrever o texto!?!?

    Dar "uma volta rápida pelas notícias" faz mal à saúde. Atente no que lhe digo. Muitas vezes, nem rápida nem lenta, aquilo (notícias) provoca urticária.
    Baralhou-se? Como se eu acreditasse que Maria seja pessoa para se baralhar ... ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que a felicidade existe, vem é sempre em doses pequenas e só de vez em quando, isto para que a malta não enjoe e consiga saborear, desfrutar, em pleno, esses pequenos momentos de felicidade. Temos é que ter cuidado com a tal coisa da fugacidade. A felicidade é amiga íntima da fugacidade, não é à toa que as duas acabam em "de".

      O que me levou a escrever o texto foi mesmo o tal país que se chama "Butão" com u, que fica lá no sul da Ásia e que eu gostaria muito de visitar. Isso é que era felicidade da boa :)

      (eu cá às vezes baralho-me e muito com isto dos blogs, no meu caso o que me interessa é escrever o que me vai na alma, não estou muito preocupada com a polícia blogosférica, sabemos que eles "andem aí", mas a malta quer mais é que eles... apanhem sol, e eventualmente uma chávena de FIB bem quente).

      Eliminar
    2. Butão ... aquela coisa entalada entre a China e a Índia? Hummm, dizem que é um bocado aborrecido.
      Mas gostos são gostos e o resto é paisagem.

      A felicidade é um tema que dava para um debate mas, para bem dos assistentes, nada de filósofos.

      Polícia blogosférica? Ó p'ra mim com ar de preocupado :)

      Eliminar
    3. Caro Observador, eu disse que gostaria de visitar, não de morar definitivamente em Butão. Se clicar ali no texto, nas letras a azul que dizem "felicidade interna bruta", vai parar a um artigo que fala de Butão. É interessante.

      O conceito de aborrecido é muito vasto. Há quem goste de viver a vida furiosamente ao volante de bicicletas estáticas e acha aquilo muito estimulante e nada aborrecido. E há quem prefira o asfalto propriamente dito, fazer-se à estrada, esfolar os joelhos mas, visitar Butão lá mesmo no sitio de Butão. Até a viagem não me parece nada aborrecida. Conhecer outras formas de estar na vida, pessoas semelhantes e ao mesmo tempo tão... diferentes, não é nada aborrecido. Penso eu de que... :)

      Por falar em filósofos... Escreveu um filósofo que "a boa vontade é condição indispensável para sermos dignos de felicidade". Ah, pois!

      Já fui :)

      Eliminar
    4. Algo me dizia que Emmanuel Kant teria aqui uma oportunidade de se mostrar.
      A propósito (ou talvez não): terá Kant visitado Butão? Não acredito que um alemão se tivesse dado a essa aventura.

      A visitar Butão que seja mesmo o Butão. Aquele com os Himalas por perto :)

      Eliminar
    5. Como disse no seu comentário lá mais em cima "nada de filósofos", eu resolvi contrariar e arrastar um... filósofo (eheheheh).

      Eliminar