quinta-feira, 4 de agosto de 2016

(só vim aqui deixar a minha toalhita-blogosférica a marcar lugar porque sou bem capaz de voltar em Setembro)

Se os que frequentam a praia de Armação de Pêra (pêra, com um chapéu de sol em modo circunflexo) podem, querem lá ver que eu não posso?!

Ah e tal disseste que te ias fazer à vida. Pois disse. É bem verdade. Acontece que as letras estão fartas de me azucrinar a paciência e eu, como sou fraquita, cedi com muita facilidade. Sou uma fácil, é o que é.

Nos "entretantos" apercebi-me que têm acontecido coisas realmente importantes em Portugal. Soube que:

1. Existe gente que se dedicou à pesca. Pesca dos pokémons. Bom, isto é bem capaz de contribuir para a descida do desemprego. Uma descida virtual, mas que não deixa de ser positiva. Digo eu que nunca sei se descer é bom ou nem por isso. Parece-me é que a pesca lúdica inebria os sentidos e isto dos sentidos inebriados - bêbedos mesmo - faz uma pessoa mais feliz. Sejamos mais felizes na paz do Senhor-pokémon. Ámen e um queijo,

2. Também me chegou ao ouvido direito, porque o esquerdo está a apanhar sol grátis em modo open space lá para os lados do Algarve, que o raio do IMI vai fazer das suas. Ora bem, eu, pelo sim, pelo não, prometo que nunca, nunquinha, vou abrir uma janela para que o sol me não entre pela casa adentro assim de rompante. Tenho muito medo dos rompantes desta vida... Juro, com um também à frente, que andarei de olhinhos fechados pela casa no sentido de não incomodar o Tejo. Eu e o Tejo sofremos de incompatibilidade de feitios. Estamos de costas voltadas. Só espero que ninguém se lembre de subir também o imposto na parte da chuva de Inverno que não me larga a janela da cozinha e a fustiga como se não houvesse amanhã. É lindo de se ver, porque é, mas eu preciso do dinheiro para comprar ovos...

27 comentários :

  1. Olá Maria,
    Que bom lê-la novamente! Sem dúvida que se passam coisas interessantes em Portugal. Umas mais do que outras, ainda agora com presentinhos de Natal antecipados para um Ministro do Governo.
    Deixe ficar a toalha que ninguém a tirará do lugar, prometo.

    Beijinhos e Boas férias

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carpe,
      Não sei não se isso de me ler novamente é bom ou nem por isso :)))

      Presentinhos de Natal em Agosto? Ah, isso devem ser meias de lã em promoção. Não nos apoquentemos.

      Beijinhos para esse lado também e boas férias.

      Eliminar
  2. Ora viva, desde a última vez que pensei ser mesmo a última.
    Sobre pokécoisos recuso-me a falar. A minha integridade mental mantém-se e, além disso, se falasse neles, os pokécoisos, teria de ser bruto para com os pokémaníacos.
    Ponto 1 arrumado.
    O ponto 2 ainda é mais fácil de abordar. Então, se a malta lesse a legislação, a tal de que não podemos argumentar desconhecimento, não dizia/escrevia autênticos disparates não dando, por isso, motivos para que se lhes chamasse bestas, algumas quadradas.
    Sou um gajo porreiro e tenho a mania de ajudar as pessoas. Leiam o Decreto Lei 41/2016. Mas façam-no com atenção e, nessa altura, certifiquem-se de que o Tico e o Teco estão sintonizados.
    Está a ver, Maria ... se tivéssemos hábitos de leitura da boa, em vez de andarmos atrás - salvo seja - dos R dos Santos desta vida, evitávamos fazer figuras tristes.

    Até lá para Setembro, certo?
    Um beijinho para si e outro para mim :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó Meu Deus, ó Meu Deus, ainda agora aqui cheguei e já estou a precisar de uma aspirina em tamanho xxl :)))

      Ó caro Observador, já deveria saber que a mim só me dá para escrever disparates. E ironias também. Sei que são ironias muito mal passadas, mas eu prometo que vou treinar melhor a nobre arte de bem saber grelhar sem queimar. Pelo menos sem me queimar.

      Decreto Lei 41/2016? Pronto. Está bem. Vou ler. Prometo. Vai na volta já li, isto nunca se sabe o que uma pessoa lhe dá para fazer quando não tem nada ali à mão mais jeitoso para fazer (eheheh).

      Tico. Teco. R. dos Santos. Nããããã... isso é malta da pesada. Passo.

      Beijinho para si também. O Setembro que me aguarde. Vai ser a "matar".
      (agora deu-lhe para se beijar a si próprio, é? :)))))))

      Eliminar
    2. Beijar-me a mim próprio, um exercício que faz bem ao ego :))

      Eliminar
    3. Um ego bem ginasticado, digamos assim :)

      Eliminar
  3. Chapéu de sol espetado...lugar reservado. Olhava para ele e pensava "esta Maria nunca mais voltará, ai, ai, não acredito e vou aguardar. Abençoadas "letras que te andavam a zucrinar a paciência" e acho que és tão fraquinha, tadinha que nem "pau de marmeleiro ou dos embondeiros da minha terra".

    Ponto nº. 1 - graças a isso há dias ia atropelando dois pokémons VELHOS-COLADOS-AOS-TELÉLÉS, toca de atravessarem a rua à toa, mais velhos do que eu e disse-lhes uma carrada de asneiras em kimbundo, sim porque sou uma Lady educada e ainda pediram desculpa. Na volta o boneco estava no tejadilho do meu carro. Que febre e os netos já tiveram as devidas advertências em longas conversas sobre o assunto.

    Estou p'ra ver as broncas que irão surgir no novo ano escolar... e já agora no parlamento olarilólé:))))

    O lado positivo da coisa é que novos e velhos deixaram o sofá. Felizmente sou pouco pegada a ele

    2- Pois o IMI também vai subir para todos e já tive a reprimenda do "Sr. Observador que bem observa" de que também irá descer. Lê o Decreto Lei 41/2016 que ele recomenda:))))) mas não adormeças por favor:)))

    Gostei de te ver, estás moreninha, bonita como sempre e com um sorriso de orelha a orelha, mas o Setembro não pagou imposto? Ou usou dinheiro dos contribuintes...espera será a GALP? "Vai ser a matar"? ai vai, vai...uma guerra tremenda com as seguradoras que irão encontrar um "cocó inoportuno" que ocasionou o incêndio num carro. O mesmo fritou e num ápice...foram apenas quatrocentos e tantos e "nós pagamos, pagamos, pagamos" mas já estou a ver o eco de "não pagamos, não pagamos, não pagamos" (oxalá que me engane).

    Não disse nada de jeito o que peço desculpa e vou dormir, porque amanhã é dia de SOS-Mãe

    DISSE...

    Camião TIRRRRRRRRRRRR...fuiiiiiiiiiiii:)))


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pronto, agora é a Fatyly que me diz que sou "tão fraquinha, tadinha que nem "pau de marmeleiro ou dos embondeiros da minha terra". Caramba, uma pessoa não aguenta tanta violência :)))))

      Essa teoria de que pescar pokémons faz com que as pessoas saiam do sofá é demasiado rebuscada para mim, Fatyly. Já a ouvi muito por aí e não consigo compreender. Então as pessoas precisavam de bichos virtuais para se porem a mexer? Ouvi uma rapariga dizer lá nas notícias quando questionada por um jornalista responder que assim ela e o namorado têm conhecido Lisboa. Fiquei com os nervos em muito mau estado, acredite. Não fosse o Deus-Pokémon e a rapariga permanecia toda a vida sentada na santa ignorância de jamais conhecer Lisboa. Vou ali beber algo para me acalmar. Isto não está fácil.

      (aqui que ninguém nos ouve, convém dizer que aquilo é muito entusiasmante, o tal do Decreto Lei 41/2016, shiuuuuuuuu, acho que o caro Observador já está a dormir, ufa :)))

      Eu também gostei muito de a ver, Fatyly, obrigada pela parte de que estou "bonita como sempre", isto de uma pessoa não ver bem ao longe dá muito jeito (ahahahah).

      Tenha uma óptima noite e obrigada por ter deixado por aqui tanta energia da boa. Como sempre, aliás.

      Eliminar
    2. O "caro Observador" já acordou!!!

      Eliminar
    3. (sei, deve dormir com um olho aberto e outro fechado, mas é)

      Eliminar
    4. Se é assim que os escorpiões dormem ... :)

      Eliminar
  4. Ai voltastes! Que alivio, pensei que dessa vez tinhas ido de vez. Essa coisa de pokemon também me pegou de surpresa, não vejo graça nessas coisas e me preocupa ver aonde esse mundo esta indo. Um abraço forte, Maria espero que as palavras te importunem mesmo e que não desapareça assim. G

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existe o "mudasti" e o "voltasti", neste caso voltei, sim. Melhor, só volto no verdadeiro sentido da palavra em Setembro. Existe entre mim e esta coisa das letras uma relação de pura amizade. Por vezes tento afastar-me delas (elas, as letras), tentar convencer-me que uma relação à distância funciona, só que... não funciona. Gosto de escrever e gosto de ler quem também gosta de escrever. Note-se a parte do "quem também gosta de escrever", porque existem uns que se esforçam e, aí, a coisa não passa. Não flui. Não convence. Quer se escreva bem ou nem por isso, quando a alma lá está, sabe bem isto. Isto, que para mim é uma espécie de bóia de salvação. Dificilmente nos afogamos quando nos agarramos à escrita.

      Ah, e depois temos que saber lidar com os pokémons desta vida. O que quer que isso queira dizer.

      Um abraço para si também, Giselle, e um beijinho para o seu bebé.

      Eliminar
  5. Olá, Maria :D, que bom vê-la :D... Tenho vindo cá frequentemente, mas agora já há uns dias que não vinha, que surpresa boa :)

    Em relação aos pokemons, não percebo onde está a novidade. Desde miúda que ouço falar na caça ao gambuzino!! A diferença é que ninguém gostava de confessar que tinha sido apanhado na caça aos gambuzinos... Era motivo de vergonha... Agora passou a ser de orgulho... Ok, siga.... Há coisas bem piores no mundo, como a questão do IMI.... Acredita que logo quando li a notícia a primeira vez pensei que era piada? E mais não digo, porque não ne quero chatear muito, muito menos estando de férias e tendo cá o meu filho de férias :).... Mas mesmo sem ter casa própria é uma questão que me irrita...

    Já agora que tocou só ao de leve no assunto, não percebo é a polémica / mediatismo em volta das toalhas e sombreiros colocados de madrugada na praia de Armação de Pera.... É chato, mas aí então é que não há novidade nenhuma, fora de ironias. Como sabe, vivi no Algarve mais de 40 anos... Sempre houve praias do Algarve em que isso era prática comum... Pelo menos sempre ouvi falar disso..

    Um grande abraço :)

    ResponderEliminar
  6. Olá, Maria :)
    Não percebo porque é que não aparece aqui um comentário que já enviei ontem de manhã :(. Não chegou aí? :(

    Abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá São,
      Peço desculpa, tive um pequeno problema com o computador e só consegui publicar hoje.

      Em relação aos pokémons, a bem dizer é uma questão que não me incomoda, apenas não compreendo o sentido da coisa, ou seja, isso de andar à caça/pesca de bichos virtuais na rua, com o telemóvel/smartphone espetado no ar é, no mínimo, estranho. Mas isso sou eu que tenho outro tipo de gostos, vai na volta também serão... estranhos

      O IMI... bom, o IMI, a mim só me dá para rir, já que chorar faz rugas. Optei por brincar um pouco com o tema. Digamos que foi uma saída mais tranquila, a outra seria para uma pessoa se aborrecer a sério.

      A praia de Armação de Pêra daria tema para desenvolver, só que não deu. Talvez volte a ele um dia destes.

      Gostei de saber que tem o seu filho consigo, isso é que é uma boa notícia. Aproveite o máximo.

      Um abraço para si também :)

      Eliminar
    2. Eu disse que me irritava porque já duas pessoas que me dizem que os senhorios já tocaram no assunto "Ah, pois.... Sabe.... Já deve ter ouvido falar... Deve ter que ser feito um ajustezinho"

      Agora, os pokemons não me incomodam nada.... Não acho piada (no sentido de me atrair) , mas eu também sou ave rara com os jogos.... Não jogo nada... Nada mesmo.... Lá muito quando o rei faz anos uns 10 minutos daqueles que é para atirar bolas consoante as cores, mas é só... Farto-me logo.... Nunca fui muito de jogos....

      :)

      Eliminar
    3. Eu gosto de jogar, mas são outro tipo de jogos. Não sou viciada, é um facto, no entanto sempre que me sinto mais stressada, ou em momentos em que preciso de me desligar de algum problema grave por uns breves minutos, os puzzles, jogos de estratégia, jogos de perguntas e respostas/cultura geral, testes de QI (uma pessoa tem que estar atenta não vá a inteligência esconder-se em parte incerta, ahahahahah) descontraem-me :)

      PS: os senhorios podem fazer isso de "ajustezinhos" assim sem mais nem menos??? Humm...

      Eliminar
    4. Pois, eu também acho que não podem, mas sempre podem assustar um bocadinho... E se o inquilino for ingénuo.... Conhece a expressão "Lançar verde a ver se colhe maduro"?

      Esses de cultura geral, às vezes também faço...
      Mas é raro....

      :)

      Eliminar
    5. São, o mundo está a abarrotar de gente que só anda cá para "assustar um bocadinho". As pessoas têm de deixar-se disso de se assustar e perguntar a quem de direito os seus... direitos.

      Tenha um bom fim-de-semana :)

      Eliminar
  7. Vim só colocar uma pedrita mais pesada em cima da toalhita, não vá a dita voar!
    Pois é, Maria, as malfadas - pobrezitas! - letrinhas que dançam e voltam a dançar, e vai daí resolvem juntar-se e formar palavras, as tais que nos azucrinam, e nos inquietam.
    Ah! Mas nós trocamos-lhe as voltas, e brincamos com elas, e fazemos "gato sapato" das vaidosas que se sentem superiores só porque, lá está, nos azucrinam.
    Ora faça o favor de voltar com um bonze invejável, a acutilância de sempre e, se possível, um bocadinho feliz.
    Que a porta se mantenha aberta.:)

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá GL,
      Gosto muito de a ver por aqui. Pode pôr à sua vontade uma pedrita mais pesada em cima da toalha, desde que não seja um pedreguho que me impeça de me sentar quando voltar , está-se bem :))

      Eu e as letras dançantes que não param de rodopiar à minha volta, temos um grande problema ainda por resolver. Ainda não encontrei o tom certo. Ainda desafino um bocado. Um bocado, é favor. Desafino mas é muito, no entanto tenho cá para mim que enquanto desafinar é sinal de que a vida e tudo o que viver acarreta, ainda mexe muito comigo. Se mexe, se dói, se irrita, se desassossega, é capaz de ser bom sinal, penso eu.

      Um abraço para si também, obrigada pela simpatia e, boas férias, se for esse o caso :)

      Eliminar
  8. ieeeeeeee finalmente uma boa notícia blogosférica :)
    até Setembro então :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gábi, não exageremos, não é coisa para ser rotulada de "boa notícia blogosférica" :))))

      Beijinho.

      Eliminar
  9. Que bela notícia amiga. Melhor que isto só a notícia de que tinham acabado os fogos em Portugal.
    Sempre disse que Setembro era o melhor mês do ano.
    Abraço

    ResponderEliminar
  10. Ops. Voltei. Fiquei tão entusiasmada com a sua volta, que me esqueci dos pontos. A verdade é que não me preocupam os Pokémons. Também não o IMI. Os primeiros porque já tenho idade para ter juízo. O segundo porque não tenho por hábito ler as coisas na diagonal.
    Um abraço e continuação de boas férias. Eu estive em Lagos, 40 dias e espero voltar mais uns dias em Setembro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elvira, eu é que agradeço a simpatia e o facto de as pessoas terem paciência para ler o que escrevo e, ainda por cima, comentar. Comentar, conforme o tema que apresento, o que acham disto ou daquilo. Essa parte é um enorme incentivo para quem gosta disto de escrever e interagir com quem está desse lado. Portanto, o meu muito obrigada por estar atenta.

      (quanto aos fogos, tendo em conta que nasci na ilha da Madeira, a minha tristeza é imensa por ver aquele povo a passar por tragédias destas, essa tristeza estende-se, obviamente, a Portugal Continental onde moro desde sempre, nada mais triste do que ver um país tão bonito quanto o nosso, pintado de negro, está na hora de começar a penalizar fortemente pessoas que se dedicam a incendiar, não podem existir "desculpas" para este género de situação... é a vida, as casas, os bens de pessoas, que estão em questão, espero que o governo não deixe cair em saco roto tudo o que se está a passar neste momento.

      Os incêndios que assolam o país acabam por catapultar a história dos pokémons e do IMI directamente para a gaveta das "brincadeiras", digamos assim.

      Quarenta dias em Lagos é muito bom. Admito que não conheço muito bem Lagos, penso que só lá estive uma vez, é local onde pretendo voltar brevemente.

      Receba também um abraço.

      Eliminar