quinta-feira, 2 de junho de 2016

Ventos que sopram de França e falam de touradas... (pena que por cá os ventos não sejam no mesmo sentido)

Diz a notícia que reporta a 2015 que em França a tourada foi tirada da lista de Património Cultural. Eu que não sou francesa nem nada mas que no toca a este assunto bem gostaria, por vezes sinto-me com se vivesse ainda na Idade dita Média quando me dizem que em Portugal se passa exactamente o oposto, por aqui queremos e lutamos para que a tourada faça parte do Património Cultural. Este é um tipo de herança que não me interessa nem um pouco. A minha cultura é outra, uma cultura da batata que não tem no horizonte massacrar animais enquanto alguns se vestem a preceito e  batem palmas. O máximo que faço é espetar os dentes de um garfo numa batata. Não é nada excitante mas é o que se arranja. O que vale é que a batata foi morta a murro primeiro. Sou uma pessoa pacífica, portanto.

Sei, a coisa não é assim tão simples, fala-se que o desemprego seria algo muito sério e que a extinção da raça taurina não é bem-vinda. Compreendo, pelo menos tento compreender esse lado também, só que a única imagem que não me sai da minha cabeça é um animal na arena a ser espicaçado, sangue e pessoas sedentas de qualquer coisa estranha. Existe um tipo de sede que não entendo, esta das touradas francamente não entendo. E também não entendo isto de pais não se importarem que o futuro dos seus filhos seja o de provocar um bovino, animal possante, que pode chegar a pesar 900 kg. Mas isto sou eu que sou uma simplória e não percebo certo tipo de espectáculos e de escolhas. Se calhar é melhor ir ali ao lado estudar mais um pouquinho para um dia poder discutir como gente grande as coisas realmente importantes da vida. Esta de touradas fazerem parte do Património Cultural de um país. Eu que pensava que cultura era algo completamente diferente...



(coisas de crianças, isto de deitar a língua de fora, é não ligar)

15 comentários :

  1. Mais uma situação que tresanda a interesses financeiros.
    Li algures, não me recordo onde, os milhões que algumas famílias ganham por criarem, e venderem, os chamados touros de morte. Gente conhecida, do mundo tauromáquico, a ganhar muiiiitttooo a preparar animais para morrer às mãos dos 'heróis'.

    Não gosto de tourada. Aflige-me ver os touros massacrados, ensanguentados e aquela malta, gente fina, a espetar mais e mais e mais.
    Um dia resisti e vi parte de uma tourada, via tv. Saltei de contente quando vi um touro, provavelmente enraivecido e com toda a razão, dar uma cornada num cavaleiro atirando-o pelo ar. Claro que o cavalo também sofreu com essa cornada mas foi coisa pouca, felizmente.

    Essa de na Tugalândia se querer e lutar para que a tourada faça parte do Património Cultural é, no mínimo, demonstração do atraso mental de quem ganha rios de dinheiro com o 'espectáculo'.
    A cultura está, infelizmente, ligada a coisas que de cultura nada têm.

    Já que aqui estou, porque não cumprimentar a irreverente mas astuta Mafalda?
    E como ainda aqui estou, porque não deixar um beijinho à Maria?
    Assim seja!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tocou num ponto em que ninguém quer tocar, os reais interesses que se encontram por trás de tudo isto. Nessa parte ninguém fala, não existem debates em que alguém fale abertamente acerca do assunto. Eu pelo menos desconheço a existência desse tipo de debates, a existir esta Maria agradece que alguém informe, gostaria de ouvir atentamente.

      Lembro-me que em criança esta coisa das touradas já me desagradar, bastava a tv estar ligada e fosse tourada, que eu sai dali para fora rapidamente. Cresci e continuo na mesma, se calha a fazer zapping, entrar na RTP (penso que é na RTP que costuma passar este tipo de espectáculo) que mudo de canal o mais depressa que consigo.

      A parte em que os protagonistas são só os cavalos, essa parte, admito, agrada-me sobremaneira. Isso sim, é digno de se ver.

      Querer que a tourada faça parte do Património Cultural é algo que não compreendo. É suposto uma pessoa orgulhar-se por fazer parte de um país que acha normal espicaçar e derramar sangue de animais? É aqui que entra aquela parte do gáudio ou lá que raio chamam a uma grande quantidade de felicidade?

      (acho que a Mafaldinha agradece, caro Observador)
      (e esta Maria também, beijinho :)

      Eliminar
  2. Subscrevo. Aliás assinaria de boa vontade uma petição para acabar com as touradas.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu que nem sequer sou pessoa de assinar petições, nisto estou consigo, também eu assinaria de boa vontade uma. Caramba, como é que alguém bate palmas ao ver um animal a ser espicaçado numa arena?!?

      Abraço, Elvira.

      Eliminar
  3. Desde que me lembro que sou gente nunca gostei de touradas. Nunca consegui ver nem via tv.

    Mudar mentalidades demoram séculos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema, Fatyly, é que os séculos passam e as mentalidades são lentas e teimosas e oportunistas que se fartam. Entretanto existe esta coisa chata de se morrer e não se conseguir assistir a mudanças que nos orgulhariam. E... é isto.

      Eliminar
  4. Olá, Maria :)
    Também não ligo muito a touradas,ou melhor não ligo nada, mas ainda hoje li o comentário de alguém, provavelmente ligado ao mundo da tauromaquia, que dizia que é incrível como as pessoas abominam tanto um mundo (uma modalidade) que, na verdade, não conhecessem...

    Acho que é uma questão que dá pano para mangas... Porque eu consigo perceber os argumentos de ambas as partes, até porque... Lá está : não conheço assim tão bem a modalidade por dentro... E depois isso levanta outras questões... Se somos contra as touradas também devemos ser contra corridas de cavalos, de cães, lutas de galos... E, já agora, é muito bonito ver araras ali no zoomarine içar bandeiras e andar de mota e nunca pensamos se aquilo é algo natural e se não sofreram para aprender aquilo.... Já para não falar de quantas morreram para aquelas poderem estar ali... Araras não são animais para viver assim em cativeiro, mas para andar em liberdade... E não é a andar de mota nem a içar bandeiras...

    Há dias, uma formadora minha, advogada, dizia que se querem proibir os menores de assistir a touradas, então também deviam de proibir que vissem matar uma galinha, mas asim continuam a acrefitar que elas nascem já mortas e depenadas, no talho e que os ovos nascem da prateleira do supermercado .. Eu acho que não é um bom exemplo, porque uma coisa é eu dizer (quem diz eu, diz uma pessoa qualquer) "Olha, filho, vamos matar esta galinha para a nossa alimentação... Os tubarões e os leões também nos comem se nos apanharem, portanto, precisamos de comer e nem todos conseguimos ser vegetarianos"... Outra coisa, totalmente diferente, é um espectáculo de tortura gratuito.... Não se trata de sobrevivência, mas simplesmente de torturar um animal e fazer disso uma festa... Mas depois há as pessoas que dizem que é ser hipócrita comer carne do talho, e achar as touradas uma tortura, quando aqueles touros não sofrem nada comparado com o sofrimento dos animais que são abatidos para alimentação, que as condições terríveis em que vivem o pouco tempo que vivem os animais que compramos no talho em nada se compara com a vida que têm aqueles touros, que andam ao ar livre e que nem sofrem assim tanto numa tourada como as pessoas pensam...

    Há ainda quem diga que a tradicional matança do porco também é um espectáculo de tortura, em que se chamam os amigos e vizinhos para ver e se faz uma festa à conta da morte de um porco.... Bom, aqui sou eu que digo que as pessoas falam daquilo que não conhecem e farto-me de rir com tanta ignorância... Só posso dizer, para já, que essa de "chamam os amigos e vizinhos para ver" me faz rir à brava! É que normalmente, esses que vão só para ver até não são muito bem vindos :D :D :D... Até porque normalmente não vão só para ver, vão para ver e comer.... Não é isso que se pretende numa matança de porco... Assim se vê o que as pessoas sabem... Provavelmente, eu também não saberei muitas coisas em relação à tauromaquia...

    Já agora... Isso de "Ah e tal, em França é que é bom porque são gente civilizada..."... Bom, a lógica é boa, mas é típico do povo português dizer que é o pior em tudo.... Sim, porque também nos curvamos aos civilizados espanhóis e esses são mais aficionados das touradas do que os portugueses... Portanto, tudo nos outros é melhor e em nós é pior!! Nada de novo :)

    Abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá São,

      Eu cá acho que a São lê os meus textos na diagonal. E qual a razão que me leva a dizer isto? Ora, é simples, vamos começar pelo final do seu comentário:

      Esta sua parte:
      "Já agora... Isso de "Ah e tal, em França é que é bom porque são gente civilizada..."... Bom, a lógica é boa, mas é típico do povo português dizer que é o pior em tudo".

      Agora respondo a isto de França com um copy/paste do meu texto:
      "Eu que não sou francesa nem nada mas que no toca a este assunto bem gostaria".
      Pois, lá está, eu digo de forma muito clara um "no que toca a este assunto", portanto estou a referir-me única e exclusivamente ao facto de a França ter tirado as touradas da lista de Património Cultural. Ponto e faça-se um parágrafo. E não, não sou a típica portuguesa que diz que somos os piores em tudo, essa parte daria pano para mangas, mas esse não é o tema do texto, portanto avancemos.

      Quanto ao resto e no que toca a esta parte: "(...) que é incrível como as pessoas abominam tanto um mundo (uma modalidade) que, na verdade, não conhecessem". Aí é que está, não preciso de conhecer a "modalidade" para a abominar (e ó se a abomino) basta-me olhar um animal na arena a ser espicaçado, a escorrer sangue, pessoas a bater palmas ao massacre desse mesmo animal. Mais nada a dizer. Aliás, mais uma coisa, o simples facto de se usar a palavra modalidade, portanto actividade desportiva, diz logo tudo. Espicaçar um animal na arena é um desporto? Boa. Estamos no bom caminho...

      Existem animais que são criados para alimentar o ser humano, que eu saiba os touros não são criados para esse efeito. Os touros são criados para servir de espectáculo - um bocado estúpido e cruel, diga-se de passagem. Se querem assistir a espectáculos, encham os nossos teatros, vão ao cinema, concertos, ballet, música e por aí fora, isso sim, é contribuir para que a cultura no nosso país não morra de vez.

      E é isto.

      Eliminar
    2. A mim às vezes também me parece que a Maria também lê os meus comentários na diagonal... Ou melhor, não lê as entrelinhas :D... Porque não precisa ser francesa para abominar as touradas.... Até porque há muuta gente em Portugal que abomina e, provavelmente, muita gente em França que gosta de touradas e que não ficou satisfeita com a decisão.... De modo que, dizer que neste aspecto não se importava de ser francesa, não faz muito sentido...

      Eu percebo esse argumento do espectáculo e dos animais que são criados para a nossa alimentação. Mas é precisamente isso que muitas pessoas dizem que é hipocrisia, porque defendem que os animais que são criados para a nossa alimentação vivem esse pouco tempo que vivem em condições miseráveis, simplesmente, como nós não vemos esse sofrimento, fazemos de conta que ele não existiu.... Também compreendo este argumento. Aliás, tive uma colega que só comia carne de animais criados na quinta da família, não pelo motivo de algumas pessoas que dizem que o sabor da carne é melhor, que é mais saudável, e etc... Mas porque dizia que esses, o tempo que viviam, viviam felizes e quando chegava a hora deles, eram abatidos com o mínimo de dor possível, para a alimentação.... E havia pessoas (outros colegas) que defendiam precisamente o contrário : que não eram capazes de comer um animal que tinham visto feliz e com vida (é mais ou menos o meu ponto de vista também) . Ela dizia que respeitava e compreendia, mas que, pensássemos bem se isso não era um pouco hipócrita.... "Ah e tal, como eu não vi...." percebo a ideia dela...

      Quem chamou modalidade foi a pessoa que fez esse comentário, não eu... Mas pensando bem.... Terá a sua lógica... Não sofrerão mais os animais que são criados só mesmo para alimentação? Ah, essa colega também só comia ovos caseiros, de galinhas que viviam em liberdade na quinta... Ainda me lembro de a ouvir dizer "se soubessem as condições em que vivem as galinhas que põem os ovos do supermercado"... Não era fundamentalista ao ponto de não comer um bolo de pastelaria, ou uma onelete em casa de alguém ou coisa que o valha, mas evitava comer ovos de supermercado, por esse motivo.... O irmão era veterinário num matadouro.... Hum... Pois...

      Dizer que as pessoas também fazem uma festa porque morreu um porco é que eu sei que é, no mínimo, ignorância!!! Essa realidade conheço eu muito bem... Há quem diga que já não vale muito a pena porque hoje em dia já quase toda a gente tem talhos perto, a carne nem é tão cara assim, vai-se comprando à medida que vai fazendo falta.. Mas ainda há quem ache que vale bem a pena, que poupa imenso dinheiro, mesmo tendo em conta o trabalho que dá.... Ah, pois é... Dá trabalho!!! É que desmanchar um porco, transformá-lo em febras, costeletas, rojões, chouriças, dá trabalho!!! E não é a família nuclear de uma casa que consegue fazer isso... E então agora era lindo a pessoa dizer "Olhe, vizinho, tal dia venha ajudar na matança do meu porco, mas traga farnel de casa, que eu não dou comida a ninguém!"... Não... As pessoas vão ajudar, vão trabalhar, obviamente que também comem! Há também outra comida, porque só lá para o meio da tarde é que haverá carne de porco pronta para comer (porque alguém já tratou disso)... Era lindo as pessoas irem trabalhar e ficarem à espera de haver carne daquele porco para comer!! Ora, depois é natural que as pessoas juntas à volta da mesa, muitas que estão meses sem se ver, conversem e riam e convivam.... Mas chamar a isso "uma festa porque morreu um porco" e comparar com as touradas é a mesma coisa que comparar a obra prima do mestre com a prima do mestre de obras! Ora, assim como eu vejo que muita gente não faz ideia do que é uma matança de porco, se calhar eu também não faço ideia do que é o mundo da tauromaquia...

      :)

      Eliminar
    3. São, vou voltar a escrever, eu fui buscar um artigo que fala de França e referi que nem me importaria de ser francesa porque o artigo diz que tiraram, vou repetir, tiraram, as touradas da lista de Património Cultural. Nós por cá, em Portugal, queremos que faça parte do Património Cultural. O tema do post é este, não adianta querer manipular as coisas noutro sentido.

      Não como carne vermelha há muitos anos. Gosto de peixe e basicamente só como peixe e legumes, o que me deixa satisfeita é que os peixes moram lá na água deles e vai daí colocá-los numa arena para gáudio de muitos é capaz de ser difícil.

      O mundo da tauromaquia para mim é espicaçar um animal e deixá-lo a escorrer sangue enquanto as pessoas batem palmas muito contentinhas da vida. Era fazer ao contrário (vou entrar em modo disparate) pôr as pessoas na arena, espetar-lhes coisas e deixar os touros sentados a bater palmas. Terminei o modo disparate... C'um raio, isto numa sociedade que se quer desenvolvida é inconcebível.

      Eliminar
    4. Mas eu percebo, Maria... Tanto que já me viu muitas vezes criticar o Miguel Sousa Tavares por causa daquela história das pessoas terem pena dos touros e não dos pugilistas... Nada a ver. Para mim, as pessoas estão e acho que sempre estarão primeiro que os animais... Acho que primeiro está o meu semelhante... Mas nenhum pugilista envereda por esse caminho obrigado... Quem é pugilista, até ao ponto que sei, é porque quer... Logo, péssimo exemplo...

      O que quero dizer é que fiquei a pensar quando ouvi aquilo de "não conhecer a modalidade"... Se calhar, há coisas que desconheço, não sei... Porque, comi referi, também me faz confusão ver araras a andar de mota e a içar bandeiras, tal como os animais do circo .... Não sabia que as araras na natureza andavam de mota e içavam bandeiras... Tenho que falar com uma a ver se tem alguma Harley para ne vender, baratinha... Oa golfinhos também não são para andar com pessoas às costas... E, voltando às touradas, acho estranho que ninguém pense nos cavalos e só nis touros.... É que violência psicológica acaba por ser mais grave...

      Por outro lado, acho que estamos a cair num fundamentalismo animal para lá de exagerado... Qualquer dia, somos multados porque passamos por um cão na rua e não dizemos "bom dia"... É que nem me parece que tanto fundamentalismo seja benéfico para os animais... Pelo contrário, em certos casos, até pode prejudicar :(

      Boa semana :(

      Eliminar
    5. Não gosto de pugilismo, não entendo o pugilismo. Não percebo a parte de alguém se deixar esmurrar por desporto e esmurrar outro alguém por desporto. Não consigo ser tão inteligente quanto as outras pessoas. Lamento. O sangue no pugilismo também me faz confusão (sempre o sangue). O facto de muitos ficarem desfigurados é coisa para achar aquilo muito estúpido.

      Lá está, sei do que gosto e do que não gosto. Quer sejam touradas, quer seja pugilismo, a coisa é medieval.

      Ó São poupe-me à parte da violência psicológica, caramba, somos adultos ou não?! Aqui falou-se de animais e espicaçar animais por puro prazer. Nada mais.

      Essa do cão também foi um tiro ao lado. Nem vou comentar porque não faz sentido algum. Convém argumentar mas com algum sentido.

      Eliminar
    6. Eu também não gosto de pugilismo, mas o que quis dizer foi que quem envereda por essa vida é porque quer, enquanto que o touro é obrigado a ir para a arena... Bom, se calhar.... Haverá alguns que foram para aquilo por uma questão de necessidade, depois vêm responsabilidades, filhos para sustentar... Mas nem queria ir por aí... Acho que haverá sempre opção... Para o touro não há opção, de modo que, não achei com sentido a comparação feita pelo MST quando disse que as pessoas tinham pena dos touros e não tinham dos pugilistas...

      Quando falei da violência psicológica estava a referir-me aos cavalos usados nas touradas. Há estudos que revelam que os cavalos sofrem com aquela situação a nível psicológico, mais do que os touros, e as vezes também a nível físico... Mas nunca se ouve falar deles... Só se fala dos touros... Até parece que os cavalos vão para ali porque lhes apetece! Pode ser que encontrem uma égua jeitosa por lá...

      A questão do cão é assunto para outro tópico... Só quis dizer que hoje em dia há um fundamentalismo em relação aos animais... Quando se vê comentários sobre o caso de um gorila que foi abatido para não haver perigo de fazer mal a uma criança que caiu no local do zoo onde ele estava nos seguintes termos "Se fizesse mal à criança, paciência! São coisas que acontecem! Era uma espécie rara, há poucos gorilas! Crianças há muitas".... Acho preocupante :(

      Abraço e boa semana :)

      Eliminar
    7. Não se pode comparar o incomparável (passo o que tiver de ser passado). De um lado temos o Homem, animal racional, dizem, mas eu começo a ter muitas dúvidas... e do outro animais irracionais. Colocar ambos no mesmo patamar (que é como quem diz tourada e pugilismo) e fazer comparações não faz qualquer sentido. A existir comparações tem que ser obrigatoriamente dentro do mesmo género.

      Boa semana para si também, São :)

      Eliminar
    8. Foi isso que quis dizer... Daí ter achado o comentário do MST completamente sem sentido :)... Mas vindo dele não me espanta!

      Abraço :)

      Eliminar