sábado, 28 de maio de 2016

(uma das minhas paixões)

Só para conseguir de alguma forma preservar a minha sanidade mental.


(ainda bem que existe música, bailado, que me permite abstrair de todo o lixo, ódio, que por aí circula, que raio é que se passa com as pessoas, mesmo?!?)

25 comentários :

  1. Ai, Maria :)... O que foi pôr aqui.... Há pessoas que dizem que a música clássica deprime.... Acho que quem diz isso, de certeza que não conhece Strauss!

    Abraço e obrigada :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A São conhece pessoas muito estranhas. Deprime lá agora!! É experimentar ouvir música clássica com o som bem alto (é assim que gosto de ouvir) e aquilo tem um efeito exorcizante :))

      Entretanto este vídeo é muito muito leve. Bailado faz bem à alma. E quem não conhece o Blue Danube??

      Bom fim-de-semana, São.

      Eliminar
    2. Estranhas? Strauss? O autor de Blue Danube? Não tem nada de estranho....

      Não posso ouvir muito alto porque gosto de ouvir assim por esta hora e se ouço muito alto ao fim de meia hora tenho a GNR à porta....


      Deorime se ouvirem só o Bolero de Ravel... E mesmo assim acho que é mais ficarem hipnotizados do que deprimidos

      Até amanhã :)

      Eliminar
    3. São, tenho uma teoria muito minha que diz que, quando as pessoas estão sempre predispostas para o lado tristonho da vida, até ouvir o "ó malhão malhão" as deprime.

      Eliminar
    4. Pode não ser para o lado tristonho, Maria.... Pode ser saudade :)..."Ó malhão, malhão " é música da juventude de pessoas que têm agora 70, 80 anos... Ouvir pode trazer recordações e....

      Abraço :)

      Eliminar
    5. É um facto que existem pessoas mais predispostas para o lado tristonho da vida do que outras. Até a escrita reflecte esse lado. A coisa é monocórdica. Se a malta beber sempre daquele "sumo" acaba por cortar os pulsos... sem querer :))

      (estou muito, mas mesmo muito longe de ter 70/80 anos e, no entanto, sei a letra do "ó malhão malhão", de cor)

      Eliminar
  2. Gosto imenso de Strauss e desde pequena que me habituei a ouvir porque os meus pais ouviam e muito:) e oiço muitas vezes. Este video já o conhecia e está uma beleza e doçura para a alma:)

    Enquanto é época de ténis e ciclismo, abstenho-me de tudo, mas de tudo mesmo:)))) porque já basta ficar intoxicada pelas "partidas" da vida à qual não podemos fugir mas saber contorná-las.

    Um bom domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fatyly, esta última semana foi abundante em notícias que incitam ao ódio. E eu cá acho que as pessoas de há uns tempos para cá começaram a escolher um caminho muito perigoso. Odeia-se por tudo e por nada, não se discute saudavelmente assuntos, simplesmente... odeia-se. Talvez seja por isso que a facilidade com que se tira a vida a um ser humano seja cada vez mais banal.

      São exactamente nestes momento que convém parar, respirar, e ouvir, quem sabe, um vídeo com o Blue Danube. A música tem esta facilidade de nos reconciliar com o lado melhor da vida.

      Ténis, ciclismo, desporto em geral, também me parece uma boa forma de uma pessoa se abstrair.

      Tenha também um bom domingo.

      Eliminar
  3. Isto não é bom nem é mau, é maravilhoso!
    Bom domingo, Maria.
    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maravilhoso, parece-me um adjectivo bem escolhido. Quem inventou a música devia ser uma pessoa de bem com a vida, ou vai na volta talvez não. Será que a inventou exactamente por não ser uma pessoa de bem com a vida? (não ligue, caro Observador, por vezes digo/escrevo coisas estranhas)

      Bom domingo. Beijinho para si também.

      Eliminar
    2. Alguns compositores não eram pessoas de bem com a vida.
      Apenas um exemplo: Tchaikovsky, mal amado no seu país, criticado severamente pelos que diziam ser a sua música um desastre, até no estrangeiro, não fosse Coco Chanel e teria, quem sabe, 'passado para o outro lado da vida'.

      Eliminar
    3. Tchaikovsky foi um compositor dado a depressões, talvez tudo isso tenha a ver com o drama familiar pelo qual passou, ou de uma vida pessoal com contornos em modo ziguezague. Eu acho que deixou obras notáveis, mas isto é só a minha opinião, nada mais.

      (admito que não percebi a parte do 'passado para o outro lado da vida')

      Eliminar
    4. Não contesto, bem pelo contrário, o valor do trabalho de Tchaikovsky. Teve imensos problemas na vida e, apesar disso, fez o que fez.

      (ora admita lá que percebe o que quero dizer com o 'passado para o outro lado da vida').
      Vá lá, não custa nada ;)

      Eliminar
    5. A ver se me apanha na curva, caro Observador... :)))

      Eliminar
    6. Não gosto de apanhar na curva, seja quem for.
      Ou é na recta ou ... deixai-o(a) ir :)))))

      Eliminar
  4. Que bela partilha, Maria. Efectivamente, limpa-se muita coisa que vai acontecendo durante a semana! No meu caso não, pois estou a atravessar uma fase maravilhosa, com a minha mudança de casa! É todo um respirar novo!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (é o tal lado da vida que vai ficando mais ou menos escondido e só é partilhado de quando em vez)

      Mudar de casa é muito bom. Existe quem não goste e consiga viver a vida toda no mesmo local, na mesma casa, eu não conseguiria tal coisa. Também me sinto feliz sempre que mudo de casa. Se não me engano acho que já mudei umas quatro vezes. Sendo assim espero que esse estado de felicidade dure muito.

      Beijinho, Carpe.

      Eliminar
    2. Espero que sim, Maria. Que dure muito :) Felizes, merecemos ser todos!
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Música clássica tem sim um efeito relaxante, eu gosto muito de Chopin. Faz sentir-me em paz e não há nada de deprimente, sempre me admira pensar que foi um ser humano que escreveu aquilo, tão complexo e perfeito. Eu coloco pra meu bebezinho dormir... Afinal é de pequeno que se aprende! Compartilhe mesmo gostos maravilhosos como esse! Bjs Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E de repente apercebo-me que as pessoas desse lado também partilham de algumas das minhas paixões, ora esta foi uma revelação muito interessante e, ó se gostei :)

      Beijinho, Giselle, para si e para o seu bebé.

      Eliminar
  6. Maria, apenas uma palavra: OBRIGADA por esta belíssima escolha.
    Quem não gosta de clássicos, nem de bailado, é ou está doente. Podem argumentar que nem todos têm formação musical, etc., etc., como se fosse necessário ter o Conservatório para apreciar a beleza da harmonia, o poder mágico da dança.
    A Maria duvida que vivemos numa sociedade doente? Nem são necessários grandes esforços para constactar isso, é dar uma voltinha por alguns blogues - face, então é de fugir!- e ficamos esclarecidos.
    Maria, vamos acertar umas contas, pode ser?:) A Maria, muito mais nova sabe o Malhão, eu, com idade para o saber, nada! Mundo injusto, este!😀
    Uma boa noite para si.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não diria que está doente, GL, mas diria que ouvir música é bem capaz de ajudar a ultrapassar algum tipo de doença. Doenças reais e doenças da alma (bom, doenças da alma também são de alguma forma doenças reais).

      Para gostar de algo, sentir prazer com algo, as pessoas não precisam de ter formação musical, só precisam de se sentir bem quando o som que lhes chega ao ouvido produz bem-estar. No entanto este tipo de música, dança, ainda continua ligado a um certo elitismo, o que a meu ver é errado. Se calhar estava na altura de começar a destruir muros também neste aspecto. Para que isso aconteça tem que existir vontade de ambas as partes e outro tipo de mentalidade. Quanto mais me embrenho em determinados assuntos, mais chego à conclusão que Portugal e as pessoas que por cá moram precisam de ser um pouquinho mais "elásticas".

      Tenha uma boa semana, GL.

      Eliminar
  7. https://www.youtube.com/watch?v=IvhcaAiym-0

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Alexandra, apesar de Adele não ser uma das minhas preferidas, sei reconhecer que tem uma bela voz.

      Eliminar