quinta-feira, 12 de maio de 2016

Perguntem-me se eu já comprei alguma coisa nas sugestões dadas por alguns/algumas bloggers

Nem sequer existe a necessidade de perguntar porque eu já comprei. Poupei trabalho de imediato naquilo das pessoas terem que se esforçar a elaborar a pergunta. E se me perguntarem se tem a ver com a qualidade dos textos apresentados, digo de imediato que não, que na maioria das vezes nem sequer ligo aos textos, se fosse por aí, excepto raríssimas excepções (que também as há) então não compraria nada. O que a mim me faz ficar com o link de algo para pesquisar, o comprar um determinado produto tem a ver com aquilo que preciso de momento. Dou um exemplo: o verão está aí à porta, vai que estou à procura de umas sandálias de corda e pano, engraçadas, coloridas, com bom gosto e que ao mesmo me ofereçam alguma qualidade, o simples facto de, sem querer, entrar num blog que me mostra algo que vai ao encontro do que pretendo poupa-me o trabalho de andar à procura, fico com o link, vejo a morada e na primeira oportunidade vou à loja ver o produto. Se gosto, compro, se vejo que não justifica o preço, volto costas e faço-me à vida. Ainda não aderi àquilo das compras online, sou uma teimosa-militante que insiste que precisa de ver os produtos, tocar, experimentar e então decidir. Se se tratar de um produto que vai ao encontro das novas tecnologias, aí a informação tem que ser rigorosa, é um outro campo. Produtos que têm a ver com saúde, dietas (que nunca fiz uma na minha vida, nem pretendo), ou seja, produtos que requerem que seja um profissional a aconselhar, não, de todo, jamais compraria através da sugestão de um(a) blogger.

Continuo a achar que por vezes não existe qualquer necessidade de se deitar abaixo gente que pretende ganhar uns euros com isto da publicidade nos blogs, existem países em que já é uma profissão, bem remunerada por sinal, o que acontece é que tem que existir honestidade, transparência por parte dos bloggers, a mesma tem que ser devidamente identificada como sendo publicidade paga, os textos deveriam ser elaborados pelos respectivos bloggers, excepto naqueles casos em que há necessidade de introduzir informação técnica.

Ah, só mais uma coisinha-inha, normalmente não compro produtos sugeridos por figuras públicas, prefiro quando é gente dita comum a fazê-lo. Aí já me podem perguntar o porquê que eu respondo sem qualquer problema... no entanto se alguém desse lado quiser adivinhar o porquê desta minha posição, também seria um exercício interessante.

Outra, outra coisinha-inha mesmo quase a terminar, se calhar está na altura de mudar aquele discurso roto e cheio de teias de aranha que só lavar escadas é que é trabalho, Qualquer trabalho quando bem feito dá muito trabalho, independentemente do tipo de trabalho que se faça. E é isto.

20 comentários :

  1. "Qualquer trabalho quando bem feito dá muito trabalho, independentemente do tipo de trabalho que se faça".
    Aplausos para esta frase.

    Este texto, o seu, está bem elaborado. Por curiosidade e talvez não só, gostaria de saber quantas pessoas concordam com ele. Melhor dizendo, qual a postura das pessoas ao lerem e pensarem. O pensar é um pressuposto meu, com a minha mania das grandezas.

    Estou a pensar em pôr à venda um detector de mentiras, aproveitando o meu blogue. Boa ideia, não acha?
    Receio, no entanto, pela reacção de quem me visita, no blogue, bem entendido. Ficarão com medo de comprar naquela de não poderem, a partir daí, comentar assim como quem cumpre uma obrigação?
    Vou repensar.

    De momento, não tenho comigo nada para vender. Apenas para dar. Assim, resta-me dar-lhe ... um beijinho. Você merece :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Observador, quando escrevo um texto não é a pensar se as pessoas vão ou não concordar com ele, isso acabaria por me limitar, sairiam textos na onda oportunista, portanto textos que a única intenção que têm por detrás é colher seguidores e comentários. Aliás, estou convencida que essa parte é a mais fácil de se fazer. Estivesse eu voltada para esse lado e era bem capaz de criar um blog nessa onda sem revelar que era a mesma Maria deste blog... (consigo gerir este e já é muito bom). Agora, quando a pessoa teima em escrever, seja dotada ou não para escrita, e revela um lado genuíno (porque isso é possível perceber através das letras, basta estar atento e não se limitar a picar o ponto) passa para o lado de lá que o que escreve é aquilo em que acredita, aí, essa pessoa já me prendeu a atenção. Prefiro uma escrita honesta e com alguns acidentes de percurso, a uma escrita do mais correcto possível, mas que é fria e não me transmite rigorosamente nada. Sim, sou uma pessoa de paixões. Sem paixão a vida é insossa. As letras têm que ter sangue e pele e músculo e ossos e,e,e... sobretudo têm que me dizer que quem escreve fá-lo porque gosta e não por obrigação. O mundo está a entornar obrigações por tudo quanto é lado. Já não se aguenta.

      Quando alguém comenta num blog por obrigação, só naquela de picar o ponto, isso nota-se à distância. Não sei se já percebeu que normalmente os comentários pouco ou nada dizem. Se conseguia dar dois ou três exemplos? Conseguia sim senhor, só que não me apetece :))

      Já somos dois, eu também não tenho nada para vender, resta-me agradecer e retribuir os beijinhos e abraços que por aqui me vão deixando. Ah, e os sorrisos, gosto muito de sorrisos desde que sejam honestos. Eu e a mania da honestidade não me vão, nunca, deixar chegar longe.

      Eliminar
    2. Onde é que posso assinar esta sua resposta?

      "Não sei se já percebeu que normalmente os comentários pouco ou nada dizem".
      Já reparei e há muito tempo. São como refeições sem tempero. Blhacccc ...



      Eliminar
    3. Inté me encolho quando leio alguns dos seus comentários. Existem alguns que não sei se aquilo tem truque, rasteira e não sei quê. Preciso de comprar um descodificador e, para ontem (ahahahah).

      Neste caso referia-me a comentários em que a pessoa escreve duas palavras (e apenas duas) e percebe-se que nem sequer leu. É por aí...

      Eliminar
    4. Eu percebi mas resolvi acrescentar em bom.
      Um descodificador? Não encontra nesses blogues onde se vende tudo, até a família? :)

      As pessoas que escrevem duas palavras, ou sofrem de ileteracia - neologismo incluído - aguda ou são tão poupadas que nem as palavras se safam.

      Os meus comentários não são pensados, saem de improviso - gente fina é outra coisa - e não pretendem causar efeitos secundários :))
      Bom dia, Maria!

      Eliminar
    5. Vou começar por aquela parte do "até a família". Sou contra a exposição de crianças na net, aliás, sou contra qualquer tipo de exposição, sejam crianças, sejam adultos, embora no caso dos adultos lá saberão o que fazem (?) e as crianças ainda precisam de ser protegidas, no entanto não existe quem não se "derreta" quando vê fotos de crianças. Sendo assim temos aqui um problema, como é que continuamos a proteger as crianças e ao mesmo tempo continuamos a poder olhar para fotos de crianças que são absolutamente deliciosas?! Depois existe uma tremenda contradição, é que por vezes são as pessoas que mais criticam, que acabam por publicar fotos dos seus próprios filhos e acham que colocar um emoji qualquer a tapar a cara não se consegue ver. Ora, quem percebe um pouquinho de informática sabe que não é bem assim.

      Isso de uma pessoa se vender, daria pano para mangas, ó se daria. E olhe que é um tema muito interessante para se pegar. Perigoso, mas interessante. Provavelmente ninguém ficaria de fora.

      Também vou nisso do improviso. No meu caso é quase em tudo na minha vida. Começa na cozinha e acaba nos... comentários :)))

      Tenha também um bom dia.

      Eliminar
    6. "(...)emoji(...)"
      Só por isto, vale a pena passar por aqui.

      Eliminar
    7. (isso quer dizer que tenho de explicar o que é um emoji? Não tarda começo a cobrar prestação de serviços :DDDD)

      Eliminar
    8. Emojis = emoticons
      Estou certo ou estou errado ;)

      Eliminar
    9. Segundo o dicionário:
      "símbolo gráfico, ideograma ou sequência de caracteres [ex.: :-), :-(, ^_^] que expressa uma emoção, uma atitude ou um estado de espírito, geralmente usado na comunicação electrónica informal."
      ...
      São dez euros se faz favor :))

      Eliminar
    10. Dez euros? Recuso-me a pagar um mau serviço! Só vejo pontinhos, acentos circunspectos, perdão, circunflexos, tracinhos e parêntesis !?!?
      Uma exploração que só não é infantil porque já fiz 18 anos ;)

      Eliminar
  2. Nunca comprei nada online e gosto de ver "publicidade" no sentido que lhe dou no meu espaço. em 99,9% nem sequer ligo ao produto publicitado. Confuso né?

    Só consulto algo que pretendo e vejo se há ou não na loja mais próxima e olha que na maioria das vezes vou ao engano ou porque não há ou porque esgotou.

    Dispenso publicidade no meu espaço mas jamais sou contra todos o que fazem e neste mundo de cabos é hábito criticarem tudo e todos e digo-te que no dia em que eu for a escolhida...é para o lado que durmo melhor!

    O que digo sempre é o meu verdadeiro sentir, goste ou não goste, concorde ou não, e jamais com a intenção de mudar a postura do dono ou dona do espaço que ocupa. Muito menos por obrigação, para agradar, dar graxa etc e tal. Jamais em tempo algum, porque se tenho essa postura na vida real aqui mantenho a mesma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fatyly, eu só não compro online porque gosto muito de ver com os meus olhinhos, tocar para ver se aquilo tem qualidade (no caso de ser roupa, sapatos) experimentar para ver se gosto de me ver, é que ver num monitor é uma coisa e até parece ser giro e tal, mas por vezes sendo a própria pessoa a vestir/calçar, não funciona, não fica bem. Como não tenho tempo nem paciência para devolver e esperar por outro e não sei que mais, prefiro ir directamente às lojas, Ou seja, vejo online, consulto os sites, vejo o que me agrada e quando surge uma oportunidade desloco-me à loja. Sugestões de bloggers... já comprei quatro produtos. Dois livros, um perfume, umas sandálias. Não me arrependi.

      Publicidade nos blogs, desde que feita de forma transparente, honesta, que não seja uma coisa feita à pressa, em cima do joelho, é válida. Fazer publicidade a tudo e mais alguma coisa só para ganhar dinheiro, é de um oportunismo mal cheiroso. Gosto de coisas e pessoas que cheirem bem ;)

      (a Fatyly não precisa de se justificar, só uma pessoa muito desatenta é que não percebe a sua forma de estar, diz o que tem a dizer e mais nada, gosto disso)

      Eliminar
  3. A chave de ouro do texto está na última frase. Qualquer trabalho quando bem feito dá muito trabalho, independentemente do tipo de trabalho que se faça.
    Também nunca comprei nada online. Por várias razões. A primeira é que como já disse várias vezes eu sou um calhau com olhos para muitas coisas e uma delas é a informática. A outra é que eu gosto de mirar, remirar e tocar aquilo que preciso. Publicidade nos blogues? Porque não? Quem quiser ou precisar de ganhar alguma coisa mais, porque não tentar? Só lá vai quem quer.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elvira, o problema, a polémica enorme, da publicidade nos blogs prendeu-se com o facto de existirem bloggers que faziam publicidade encapotada, ora, publicidade encapotada é como se se estivesse a enganar as pessoas e, isso, não é correcto. A partir do momento em que o texto do/a blogger está assinalado com PUB., ou com a história da parceria, não existe qualquer razão para continuar com perseguições a bloggers que ganham algum dinheiro com a tal pub.. E muito menos se deve criticar alguém que terá as suas razões para o fazer. Cada um saberá da sua vida. Para mim desde que não se engane as pessoas, não vejo razões para deitar abaixo.

      Também eu já recebi (e penso que mais umas pessoas com blogs) por email uma proposta, não gostei do texto e da mesma proposta. Primeiro porque me pediam que eu não podia revelar que era publicidade, ora, se me conhecessem saberiam que tal coisa comigo não pega, entretanto o que pagavam para ter o produto aqui exposto durante um ano (penso que era um ano, não me lembro bem) era para rir, para finalizar o produto em questão nada tinha a ver comigo. Ou seja, o mundo continua a tresandar a chico-espertismo na sua mais alta performance.

      Um abraço para si também.

      Eliminar
  4. Não, não, nem pensar!
    Comprar porque um Blogger diz que é bom, isto ou aquilo? Comigo funciona ao contrário, perco a vontade de adquirir o dito, e via Net, nunca.
    Apenas uma excepção ao que afirmo acima: os livros. Se alguém a quem reconheço mérito para tal, sugere um ou outro livro, ou mesmo autor que não conheço então aí sim, aí vou à Livraria e decido se me interessa ou não, mas só com os meus amigos livros.:)
    Tenha uma continuação de boa noite, Maria.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. GL, não compro porque um blogger diz que é bom. Falar do produto de forma honesta é uma coisa, género falar da sua experiência com aquele produto... dizer que é bom só por dizer, porque já recebeu o texto por parte da marca e só fez copy/paste, para mim vale zero. É aí que entram as figuras públicas, tenho sempre a sensação que fazem publicidade a tudo e mais alguma coisa desde que lhes renda um dinheirinho, acaba por não ser lá muito credível. Logo, não me inspira confiança.

      Livros, já comprei dois. Isso que a GL escreveu "Apenas uma excepção ao que afirmo acima: os livros. Se alguém a quem reconheço mérito para tal". E como é que se consegue ler o tal do mérito? É que eu acho que essa parte é muito discutível :)

      (já me encontro no momento na hora do almoço, portanto tenha uma óptima tarde)

      Eliminar
  5. Ui, Maria, olhe que avaliar o mérito não é assim tão difícil!
    Há blogues - conheço poucos,é facto, a paciência não ďá para grandes pesquisas - que basta entrar para se "avaliar" a competência vs cultura da pessoa que o alimenta, a Ana do (in)cultura é disso exemplo.
    A Ana não aconselha o que quer que seja, a Ana "fala"/partilha aquilo que considera bom, e não apenas em termos literários.
    Se não conhece vá até lá e depois conversamos.
    Continuação de uma boa noite.
    Beijinho, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não conheço o blog em questão, agradeço a sugestão, a ver se dou lá um salto. Obrigada, GL.

      Existem bloggers a quem lhes reconheço o mérito nisto de recomendar livros (estava apenas a brincar um pouco, sou mesmo assim, não ligue). De repente lembro-me de uns seis blogs. Todos eles muito diferentes, mas gente que sabe do que fala.

      Beijinho para si também.

      Eliminar