domingo, 22 de maio de 2016

Maria fala da elegância nos Globos de Ouro e mais umas coisinhas para compor o ramalhete

Está feito! É só olhar para estas três fotos. Não são necessários rococós ou cocorocós ou lá o que é que muitas mulheres teimam em vestir. A simplicidade que por vezes nada tem de simples mas parece que sim, é quase sempre uma aposta ganha. Isto de despir-se de excessos e deixar transparecer apenas o bom gosto é coisa de valor. 

Nunca vou entender esta coisa das mulheres acharem que muita pele à mostra é sinal de sensualidade. E mostram a perna até ao umbigo. E mostram as maminhas até à perna que vai ao encontro do umbigo. E mostram uns olhares sedutores que escorrem até à perna que sobe ao umbigo fintando a maminhas que sobem novamente até aos olhares excessivamente sedutores e enjoativos. Tenho um amigo que por vezes olha para uma mulher e diz que tem um "olhar de cama" (os homens inventam cada uma). Vai daí desaparece em combate. Depois volta e eu pergunto-lhe: então??? Ele encolhe os ombros e responde: bah! (bom, não é bem bah, mas anda lá perto). Só por isso acho que olhares excessivamente sedutores e enjoativos levam os homens a lá ir muito depressa e a voltar mais depressa ainda.

Terminado este meu momento de pura poesia, vou voltar-me para o que realmente interessa. A beleza e o bom gosto de Inês Castel-Branco neste vestido encarnado que até pode ter um decote acentuado, as costas desnudadas, mas que nada tem de vulgar. A par com a beleza de Inês, a elegância de Mariana Monteiro num belo vestido preto. Portugal está muito bem no que a mulheres bonitas diz respeito. 

 


6 comentários :

  1. Passei para lhe desejar uma boa semana.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Elvira, tenha também uma boa semana.

      Um abraço.

      Eliminar
  2. Não vi nada em termos televisivos. Porque uma vizinha da minha filha dá revistas para a minha mãe desfolhei a caras e aí sim vi as "tóiiiiletes" femininas e masculinas. Enquanto apreciava pensei em ti e perguntei a mim mesmo...será que a Maria irá falar? Bingooooooo:))))

    Digo-te que houve de tudo. Alguns e algumas pareciam personagens de filmes de terror. Lembro-me de uma com um vestido, ou saia e blusa em xadrez que me fez lembrar uma personagem do Feiticeiro de OZ, mas agora não recordo o nome.

    Gostei imenso da Inês que mostras aqui e substituía a segunda pela Mariana Pacheco uma miúda ainda mais bonita e com uma fatiota simples mas elegante.

    Também li que os vestidos, jóias e calçado era tudo emprestado e havia algumas que pareciam umas árvores de Natal.

    Os homens esses coitados se fogem um pouco do "vira o disco e toca o mesmo" não sei o que dizer, sei apenas que ri a bom rir com dois ou três mas não me recordo os nomes.

    No que toca às "cotas" a Regina Duarte estava supinpa mas a tal Caneças metia medo ao susto.

    Não percebo nada de moda, mas li para ter uma ideia e poder deixar a minha modesta opinião caso viesses, o que ocorreu agorinha!

    Um bom dia e o sol já se faz sentir...vou dar uma volta a pé e depois ver ténis:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A bem dizer não era para falar dos Globos de Ouro nem de vestidos, mas entretanto vi a Inês Castel-Branco e a Mariana Monteiro e pensei cá para mim: não posso deixar de alindar a minha casa virtual, leia-se blog, sem pendurar três fotos que transbordam elegância :))

      A Mariana Pacheco estava elegante, sim senhora, com o seu "smoking", mas eu continuo a achar mais elegante ver em determinadas cerimónias vestidos compridos. O vestido comprido tem aquela coisa do glamour que as calças ou vestidos curtos não têm. Entretanto uma mulher sente-se muito feminina ao usar um vestido comprido, se for esvoaçante melhor ainda. Sim, também uso sempre que a situação assim o exige, será esporadicamente, mas uso.

      Quanto aso vestidos e jóias emprestados, neste género de eventos é normal proceder assim. Normalmente são emprestados por grandes marcas que assim promovem o seu trabalho. Não me parece mal, antes pelo contrário.

      Quanto aos homens, admito que o que menos gosto e acho de um tremendo mau gosto, é ver em cerimónias deste género homens sem meias. Raios, aquilo parece que vão para a praia. Sem meias e de calças curtas, alguém, por favor, ensine os homens a vestir-se de forma elegante em eventos deste género.

      Desculpe, Fatyly, discordar um pouquinho na parte da Regina Duarte, é que não gostei nadica de nada, estava somente bem vestida de sorriso, como sempre, aliás. A Lili Caneças, bom, gostava de dizer algo sobre a Lili Caneças só que de momento não me ocorre nada ;)
      ...

      Na vida faz parte tudo um pouco, família, amigos, amores, trabalho, política, cinema, teatro, livros, animais de estimação, música, moda e por aí fora. A moda também é uma forma de exteriorizar, de alguma forma, a forma como estamos na vida. Não falo de luxo, falo de linguagem corporal através dos "trapos".

      Tenha também um bom dia, Fatyly. Ténis parece-me bem, melhor do que ver é mesmo jogar :)

      Eliminar
  3. Antes que me esqueça, Maria, o que é um "olhar de cama"? Estou cansado de pensar e não me ocorre nada de jeito.

    Uma mulher consegue "despir-se de excessos" sem tirar (a) roupa. As coisas querem-se com classe mas simples.
    Gosto da Inês, por si própria e por ser filha da mãe. Bem, nada de mal entendidos, é filha de Luisa que por inerência é mãe de Inês. Simples assim! Ou não?
    A Mariana está com ar de enjoada. Não me parece que a fotografia tenha sido tirada depois da festa!?!?

    Chega de dizer coisas e tal. Vou andando, parece que há algo ali em cima para ler :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba, caro Observador, tive o cuidado de escrever isso em letras bem pequeninininhas só naquela de passar despercebido e, tungas, estragou-me o cenário todo. A bem dizer não sei o que quer dizer olhar de... local onde se dorme e tem lençóis, se quiser dou-lhe o contacto deste meu amigo e fala directamente com ele, é um engenheiro muito malandro, que a sabe toda, muito tenho eu aprendido com ele :)))

      Despir-se de excessos é fundamental quando não se quer ser vulgar. Já deu para perceber que vulgaridade é coisa para me deixar à beira de um ataque de nervos (eheheh).

      Simpatizo muito com a Inês. Acho tudo aquilo muito genuíno. São as minhas pessoas preferidas, normalmente não são as pessoas mais fáceis que existem, mas são as que valem a pena. Pelo menos para mim, valem.

      O ar da Mariana não interessa muito nisto dos vestidos e tal, o que interessa é a elegância no trajar. Nesse aspecto conseguiu. Palminhas, palminhas :)

      Eliminar