sábado, 16 de abril de 2016

(fotos de locais por onde passei, fiquei um pouco, fui feliz, e espero voltar um dia)

Todas as fotos são da minha autoria, não as subtraí a ninguém - achei melhor deixar esta parte bem assente logo à partida. Umas foram tiradas no Alentejo, um amor para a vida. Outra foi num Algarve profundo, um Algarve que não está na moda e que nos permite outro tipo de tranquilidade. Uma outra foi aqui bem mais perto, uma descida numa serra que me fez acreditar que não sairia dali viva. A última, a da piscina, é de um sitio fabuloso, acho que se aquela piscina e tudo à volta falasse, muito teria para dizer. De bom, evidentemente. Quando tudo à volta falha, existe sempre o andar por aí de mão dada com o amor da nossa vida. O amor do momento. Porque a vida é feita de momentos - dizem. Eu corroboro.

Deixo nestas cinco fotos, assim meio discretamente, uma fatia pequena da minha vida. O prazer de conhecer cada recanto deste país onde um dia tive o privilégio de nascer, embora ache que muito ainda há a fazer para que se torne num país que me orgulhe. Espero estar viva para assistir a algumas mudanças. Mudanças urgentes. Mudanças nas pessoas. Mudanças naqueles que nos dizem que são capazes de nos levar a bom porto.





10 comentários :

  1. Fotografias de locais que nos transportam rapidamente para um ambiente tranquilo, onde a respiração se processa com maior facilidade, a alma agradece e o corpo relaxa.
    Maria habituou-nos a abordar pequenos pormenores da sua vida e, deixe-me que lhe diga, transpira sensações agradabilíssimas.
    " (...) andar por aí de mão dada com o amor da nossa vida. O amor do momento". É bom, desde que não nos surja alguém de caçadeira em punho e ... fogo neles!
    " (...) a vida é feita de momentos - dizem. Eu corroboro". Concordo, acrescentando que corroborar é uma coisa maravilhosa :)))

    Curiosidade, mesmo sabendo que 'curiosity killed the cat': que máquina fotográfica usa?

    Espero que a jardinagem tenha corrido/esteja a correr bem, deixo-lhe um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estas foram escolhidas a dedo, mas deixe-me que lhe diga que aquela primeira foto esconde uma zanga fenomenal que se deu nesse dia aquando da visita a um dos mais belos sítios deste nosso Portugal. Aborrecemo-nos um com o outro e cada qual foi para o seu canto. Acabei por visitar o sitio sozinha, sabendo que ele me espreitava a cada canto, a cada esquina. Como só existia um carro, lá tivemos que o partilhar na viagem de regresso, o facto de estarmos sentados lado a lado na viagem, em silêncio, contribuiu para que as pazes se dessem... voltou-se para mim e disse-me que tinha saudades da minha voz, lá tive que falar o tempo todo :)))

      Este post não deixa entrar caçadeiras, cruzes credo. Corroborar é uma palavra com muito sumo de uva :DDD

      Quantos às máq.fotográficas, tenho duas, uma daquelas baratinhas que uso na mala de mão no dia-a-dia (recuso-me a tirar fotos com o smartphone), e outra de uma marca que toda a gente conhece, parece profissional e tudo e tudo ;)

      Beijinho e continuação de bom sábado.

      PS: O dia acabou por se vestir de perfeito para tratar de algumas coisas ao ar livre. E "biba" o sol e o céu azul :))))))

      Eliminar
  2. Fotografias lindíssimas e fiquei com vontade de ir para dentro dessa piscina :) (desde que fosse dia e estivesse calor)
    um beijinho e um bom Domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gábi, esta foto da piscina passa-se no Alentejo, nesta semana que lá estive a temperatura, se não rondava os 40 graus, provavelmente estaria lá perto. Logo a seguir à hora do almoço nem dentro da piscina se conseguia estar. Foi nessa semana que me foi apresentado um doce típico do Alentejo que, confesso, desconhecia, a sericaia.

      Beijinho e bom domingo também:)

      Eliminar
  3. Bonitos e tranquilos locais.
    Passear de mãos dadas com o amor da nossa vida é das melhores coisas que a vida nos dá. Se o amor é de momento, ou da vida inteira, não interessa. O que interessa verdadeiramente é amar e ser amado. Da Arrábida o panorama é fabuloso.
    Abraço e bom Domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não consigo conceber um amor sem ser de mãos dadas enquanto se passeia com o amor do momento, pode até não ser para a vida, mas naquele momento é, e isso é o que interessa. A Elvira tem toda a razão.
      ...
      Os meus pais estiveram casados 30 anos - se a minha mãe não tivesse morrido acho que nada os separaria - e continuavam a passear de mão dada. Para mim, como filha, era um orgulho. Normalmente só se vê casais com tantos de casamento, na rua, com o marido a andar muito à frente e a mulher lá atrás, como se estivessem fartos um do outro. Não gosto. Faz-me confusão aquela frieza toda, aquele distanciamento. Acho que até se vê em casais mais novos, não entendo. Parece que o gesto de andar de mão dada é só para fase em que se namora. Estranho...

      Na Arrábida apanhei um susto daqueles, nem lhe conto. Mas a vista é fabulosa, sim senhora.

      Um abraço para si também, Elvira. Bom domingo.

      Eliminar
  4. Cenários da nossa envolvência com a vida. E que belos cenários, Maria!
    Seja feliz, ouviu?

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Neste momento a gaveta destinada à felicidade está em modo espera. Esta espera mata uma pessoa por dentro, é o que é.

      AC, cada foto destas que aqui publiquei tem uma história por trás. Tem vida por trás. E não deixou de ser curioso que ao publicar cada uma, fui como que obrigada a reviver cada momento. As fotos dizem muito, revelam pedaços de vida ao mundo, mas continuo a achar que a nossa memória é das máquinas fotográficas mais sofisticadas que existe. Para além de guardar imagens, dá-lhes vida, vida que só nós temos acesso. Gosto muito disso.

      Beijinho e obrigada pela energia boa que passa para o lado de cá :)

      Eliminar
  5. Que cenários de tirar o fôlego de tão belas que são. Escolher uma fica difícil porque todas têm um conjunto de pormenores que me enchem a alma. Parabéns!

    Um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São pedaços de vida que nos fazem a acreditar que existem momentos em que podemos relaxar e viver um pouco. A não ser assim enlouquecemos, Fatyly. Eu pelo menos enlouqueceria.

      Tenha também um óptimo dia.

      Eliminar