quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

(fui dar à Costa)

E pergunto se aquilo de o Primeiro-Ministro aconselhar as pessoas a andar mais de transportes públicos, é para ser levado a sério (?). Eu estou à vontade neste campo porque tanto utilizo transportes públicos, como carro. Aliás, para o trabalho e visto que aquilo se faz em 15 minutos, sempre utilizei transportes públicos e, sim, até consigo andar de saltos e, não, não costumo chegar atrasada. Portanto acho que posso falar de transportes públicos na maior. Vamos lá ao que realmente interessa. Ou àquela minha mania de questionar.

Como é que uma classe política, neste caso pelo mão do actual Primeiro-Ministro, dá conselhos destes, que até fariam muito sentido, não fosse o pequeno grande pormenor de que, em Portugal, toda uma classe política não utilizar esses mesmos transportes públicos?!? Ao contrário de alguns países em que os políticos ao abrir a boca para oferecer conselhos búeda-bons, são os primeiros a salvaguardar a sua retaguarda. Não só andam de transportes públicos, ali, junto do povo que os elegeu, como utilizam bicicletas. Vai na volta até têm barrigas muito mais pequenas...

(eu até poderia ter começado a escrever este post pela parte da falta de limpeza que existe nos transportes públicos, que aqueles estofos não devem ser limpos... nunca, mas se calhar é melhor não aborrecer o senhor Primeiro-Ministro, é melhor a malta começar a levar sabão azul e branco, um balde e, toca de limpar que não fazem mais do que a vossa obrigação, tenho para mim que se fosse mulher de algum Primeiro-Ministro e tendo em conta o facto de utilizar transportes públicos, muitas melhorias seriam feitas num curto espaço de tempo).

12 comentários :

  1. "Como é que uma classe política, neste caso pelo mão do actual Primeiro-Ministro, dá conselhos destes (...)"
    Pois, lembrei-me do outro, o que foi primeiro ministro e aconselhou a malta a emigrar.
    Estes senhores têm uma tendência quase suicida para aconselhar.
    Sendo que no caso do outro, o que foi primeiro ministro, a coisa foi má, muito má, com direito a assobiadelas e pateadas e outros castigos ainda mais pesados.

    Quem quer utilizar os transportes públicos utiliza, quem não quer não utiliza. Não vejo mal algum um primeiro ministro sugerir o seu uso.
    E chamar os hábitos de políticos de outros países para, com eles, fazer comparação, não me parece boa ideia.
    Lá, nesses países, utilizar os transportes públicos é uma questão de princípio, de hábito, que se aplica há muitos anos a toda a gente. Não se pense que os de lá, desses países, o fazem para dar o exemplo. Não, essa situação tem história, faz parte dos hábitos que vêm de longe. Não creio que essas pessoas, desses países, o façam em formato demagógico mas quem sabe?

    Quanto à (falta de) limpeza, lá está, outro hábito. No nosso caso também muito antigo. Assim, de repente, atrever-me-ei a dizer que este mau costume tem uns 41 anos, quase a fazer 42.

    Um beijinho que assenta melhor no dia da reabertura dos comentários.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá está, só que o outro (leia-se ex-primeiro-ministro) já era, este (leia-se actual-primeiro-ministro) se não for credível, se não der o exemplo, palpita-me que é bem capaz de se juntar ao grupo dos "já era", ou "já fosteS".

      Eu vejo mal porque num país em que se diz que o povo está cada vez mais pobre, em que se taxa tudo e mais alguma coisa e os ordenados ficam na mesma, dizia eu que, é um bocadito-ito-ito arriscado dizer este tipo de coisas, tendo em conta que se fazem transportar em carros topo de gama, alguns, inclusive, conduzidos por motoristas. Os exemplos têm que vir de cima. Portanto, há aqui qualquer coisa que não joga. Ou então eles sabem jogar muito bem. É capaz de ser isso.

      Caro Observador, tenho para mim que só crescemos em bom se conseguirmos "copiar" bons hábitos. Logo, este tipo de comparações, na minha opinião, são bem-vindas. Se os políticos desses países os praticam há muito tempo, se calhar está na hora de os nossos políticos, também, começarem a praticar os tais dos bons princípios. Dos bons hábitos. Não sei se se lembra de um post que escrevi sobre a abstenção... em que defendia que é nosso dever votar, com certeza que sim, mas também é dever dos políticos mudar. Se não muda de um lado, é bem capaz de não mudar do outro. É por aí...

      O mau costume centra-se no facto de não existir limpeza nos transportes públicos. Ou muito pouca. Nada mais do que isso. De um lado são as pessoas (algumas, muitas) que têm péssimos hábitos de higiene, do outro é o facto de ser da responsabilidade municipal proceder à manutenção dos mesmos.

      Aceite também um beijinho.

      Eliminar
    2. Não é tarde nem é cedo. Vou já falar com aquele ex ministro Pedro Mota Soares que chegou ao governo de motorizada e saíu de carro topo de gama.
      Só para tirar umas dúvidas :))))

      Eliminar
    3. Pois, nem sequer vou dizer nada... Eu cá punha-os todos a andar de transportes públicos, fossem de direita, de esquerda, do centro, ou mais ao lado. Eles e suas respectivas esponZas. Quer apostar que, com isto, a qualidade dos transportes públicos melhoraria a duzentos por cento enquanto o diabo vai ali e esfrega um olho? :))

      Eliminar
  2. OS nossos ministros, ao longo dos anos têm mostrado duas coisas, são invariavelmente maus governantes, e têm a mania de aconselhar os portugueses, como se não fossemos capazes de raciocinar pela nossa próxima cabeça. Vai daí, uns mandam-nos emigrar, os outros andar de transporte público, só para lembrar os últimos dois.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elvira, eu acho que, muito honestamente, nos tratam como se fôssemos uma cambada de imbecis. É carneirada e está a andar. Carneirada come tudo. Carneirada diz a tudo que sim. Carneirada não tem vontade própria, vive dos ais e dos uis dos outros. Posso estar a ser dura demais, mas por vezes é essa a impressão que passa. Com certeza que este Governo ainda é muito recente, temos que dar tempo ao tempo, no entanto convém é que não comecem a dar muitos tiros nos pés. Só têm dois, a saber.

      Um abraço para si também.

      Eliminar
  3. Bom dia, Maria :)
    Obviamente que me lembrei do Passos Coelho e da sugestão de emigrar... Acho que toda a gente se lembrou... É assim... Faz um bocado lembrar aquele patriarca quem vê o negócio da família a ruir , vê que está quase nas lonas e diz para os filhos e netos "Olhem, desenrasquem-se... Desenrasquem-se como puderem e souberem , que isto já deu o que tinha a dar ... Já vos ajudei ao ao almoço, agora o jantar é convosco"

    Porque parece mesmo que é como quem se está a... Borrifar. Que se desenrasquem... Ora, eu já sei os transportes que tenho à minha disposição, também já sei que não estou com termo de identidade e residência, portanto, se quiser ir para o estrangeiro posso ir... Nem preciso de dizer nada a ninguém, que é diferente...

    Ter governantes a dizer isto é , no mínimo, insólito...

    Agora... Até aí já se sabe... O que vou vendo é que cada vez mais a política me enoja . As pessoas estão cegas com as cores políticas. Não vejo muita gente achar que se trata de dois exemplos até certo ponto semelhantes e ambos infelizes. Vi pessoas que acharam muito normal Passos Coelho ter falado da emigração e agora se mostram muito chocadas. Curiosamente ( ou obviamente?) , as que ficaram muito escandalizadas aquando das "sugestões" de Passos Coelho, agora dizem "Ah e Tal ,é compreensível.... Pois... Coiso..."
    Óbvio que não é toda a gente, mas vejo muita gente assim. As coisas são graves ou deixam de ser dependendo de quem as diz, sendo assim... É isto que me enojam cada vez mais: a falta de objectividade das pessoas... É como aquelas pessoas que dizem que os filhos delas têm sempre razão...

    Boa Sexta-Feira :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá São,

      O que vejo que não muda, ainda que mude a cor política de quem nos governa, é a forma arrogante como "sugerem" isto ou aquilo às pessoas, quando os próprios não dão o exemplo. E acho que neste campo, no campo dos transportes públicos, começa a estar na altura (já deveria ter começado há muito tempo...) de fazer mudanças. Não é só andar na rua, andar de eléctrico, de comboio, de autocarro, quando estão em campanha eleitoral, é fazê-lo diariamente na hora de maior aperto.

      Quanto à história de emigrar e da sugestão de Passos Coelho, o ex-primeiro-ministro tem filhos, e nestas coisas, a vida, por vezes, tende a ser irónica.

      Bom fim-de-semana, São :)

      Eliminar
  4. Concordo inteiramente contigo e acrescentaria todos os secretários, directores, dóóóótores e alguns, bastantes empregados versus trabalhadores que levam o popó de serviço para casa.

    António Costa ao ter proferido tal discursos só mostra que não conhece a realidade do país, porque Lisboa é Lisboa e o resto que compõe a Grande Lisboa??? Sintra é Sintra e o resto que compõe o Concelho de Sintra.

    Mas pior do que isso é não saber fazer continhas, porque ir de Sintra a Lisboa de comboio+metro+carris...vai lá vai. A partir de uma determinada hora cadê os autocarros? Pois em Lisboa há muitos sobretudo para transportar a malta da borga (não tenho nada contra) mas quem regressa do trabalho vai a butes ou fica a dormir na estação das camionetas.

    Um manda emigrar e continuam dezenas e dezenas, este manda andar de transportes públicos, deixar de fumar e outra coisa que não me recordo.

    Juntam tudo na obtenção de rendimento X de milhões de euros...tal como o anterior previa que a cobrança dos sacos de plástico renderia 40 milhões e nem a um milhão chegou.

    Já agora pagarem do seu bolso os cafés, águas e a gasolina que gastam. Pagarem seguro e IUC porque SIM

    Julgam que o povo é parvo, estúpido e burro...enfim fico-me por aqui para não sair mais do sério!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fatyly, eu até nem acho que estes conselhos sejam de todo despropositados, isto se fossem noutro contexto. O que passa nisto do aconselhar a andar mais de transportes públicos é arrogante, é triste, é como se as pessoas só tivessem direito a sacrifícios, é um género de: tu aguenta-te ó pobrezinho, poupa mas é se queres, que eu vou continuar a andar de carro... (no meu caso não se justifica carro quando a distância é curta, portanto não sofro com isso de andar de transportes públicos, excepto na parte da limpeza) acho que os políticos estão um pouco desfasados de algumas realidades, portanto nada melhor do que contactar com a realidade para que algumas melhorias aconteçam. Quando a coisa nos toca de perto e não é agradável, as melhorias acontecem, penso eu...

      Eliminar
  5. Maria, os conselhos até são bons mas os exemplos lá em cima não abundam. Falou-se de Pedro Mota Soares que no Governo Anterior, era muito falado por vir de mota para a Assembleia. Sei que imensa gente olhava de forma depreciativa para isso. Não é assim que vamos lá. Sou a favor de "copiar" o que de melhor se faz lá fora mas há que dar o exemplo. Gostava de ver os Ministros a pouparem o ambiente em vez de apenas nos sugerirem a fazê-lo! E incentivos para usar os transportes públicos? Do género poupanças em termos de bilhetes e passes? Poderia ser uma belíssima ideia!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta parte desconhecia: "Falou-se de Pedro Mota Soares que no Governo Anterior, era muito falado por vir de mota para a Assembleia. Sei que imensa gente olhava de forma depreciativa para isso".

      Ora essa! Depreciativa porquê?!? Ele há com cada uma!
      O que eu não achei bem foi o que foi dito a seguir, é que Pedro Mota Soares às tantas acabou por deixar de utilizar a mota e acabou por funcionar como os demais. A ser verdade, essa é a parte negativa, deveria ter-se mantido igual a si próprio. Se usava mota, era mota que deveria ter continuado a usar. Isso sim, teria sido um excelente exemplo.

      Lá está, sugerir qualquer um faz, agora, dar o exemplo, está bem, está. Dá muito trabalho.

      Beijinho, Carpe.

      Eliminar