quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Verdade verdadinha.


"Quem luta nem sempre ganha, 
mas quem não luta perde sempre"

(não é bem a este tipo de luta que me refiro)

9 comentários :

  1. No essa verdade, aplica-se a todo o tipo de lutas na vida. E temos que saber perder e aprender a lição. Bem como saborear uma vitória. Boa noite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As lutas interiores são as piores. Nem todos sobrevivem. Outros sobrevivem com mazelas que os vão consumindo lentamente. Saber perder diz muito de nós. As vitórias saboreiam-se por cinco minutos e guardam-se logo de seguida numa gaveta, longe do olhar, só naquela de não nos deixarmos deslumbrar.

      Boa noite, pink.

      Eliminar
    2. Saber saborear é mesmo não nos deixarmos deslumbrar e perder, perdemos tantas vezes que aprendemos à força, quase. Interiormente sim, concordo, são as piores, porque tendemos a não as expor e não partilhando, ninguém nos pode ajudar , Bjs

      Eliminar
  2. As piores e as que deixam marcas mais profundas, só que por vezes tornam-se quase obrigatórias, a não ser que queiramos passar o resto da vida com uma série de "ses" que não nos deixam em paz.

    Tenha uma boa noite, Maria, de preferência liberta dos ditos "ses".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho algumas dúvidas na parte do "obrigatórias", GL.

      Bom fim-de-semana :)

      Eliminar
  3. Quem vai à luta dá e leva. Quem não vai é derrotado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há dar e dar, há ir, e por vezes não voltar. Eu cá gosto de voltar sempre, ainda que derrotada.

      Eliminar
  4. As piores lutas são as interiores, mas que rapidamente tento tratá-la por "tu" "ir à luta", mesmo que venha toda feita em fanicos, mas com a certeza que ganhei:)

    Esta frase é imensamente profunda e verdadeira como dizes...e se não me falha a memória (sim porque às vezes a dita anda em ebulição) foi dita/escrita/cantada por um senhor que admirei e admiro muito num legado excelente que nos deixou: Ary dos Santos:) O poema? hummm não me vem à ideia e logo talvez saberei:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Algumas minhas lutas interiores ganharam-me, admito. São lutas que por vezes nos chegam muito bem armadilhadas, não conseguimos vencê-las por muito que se tente. Consegue-se no entanto viver mais ou menos bem com algumas dessas derrotas.

      É uma das minhas frases preferidas. Ouvia-a uma vez e memorizei. Não sei, francamente, quem é o autor. Ary dos Santos é (sempre no presente) um dos grandes na arte de bem saber declamar.

      Eliminar