terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Também estive a ouvir atentamente José Sócrates ontem à noite...

E gostasteS? Não sei, não me lembro. Só me lembro de quase ter colado o nariz ao écran e ter tentado respirar baixinho para não acordar o meu lado mais selvagem. Ah, e lembro-me vagamente de ter ouvido muitas vezes a palavra mail. Mail para aqui e mail para ali. Penso que se tratou de uma entrevista direccionada para o lado electrónico da vida. E é isto. Espero que não façam um segundo round. Sinto-me muito fraquinha no momento. Preciso de um tempo para recuperar do primeiro.

Já agora antes de me ir embora daqui para fora: ké-ké-isso de "ódio pessoal?". É que, lembro-me muito bem dessa parte do ódio pessoal e fiquei para ali a pensar, a pensar, e não consegui chegar a lado algum. Sinto-me muito mal nestes momentos em que sim, comprovo, que a inteligência não abunda muito para os meus lados. O que me vale é que sou linda de morrer... (um, dois, três, vai começar).

19 comentários :

  1. Não ouvi. Cá em casa o marido gosta de futebol, e eu de escrever e de ler. De modo que ele Fica com a TV e o futebol, e eu com o pc, e os blogues. Tudo muito democrático.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Palmas para esse regime democrático :)

      Eu não sei de quem herdei este gosto, mas, a verdade, é que gosto desta coisa da política. Gosto de os ouvir, pelo menos gosto de ficar atenta a tudo o que andam para aí a fazer. Não gosto de ser apanhada desprevenida. Uma pessoa mesmo estando atenta é o que é.

      Boa noite, Elvira.

      Eliminar
  2. A entrevista tem duas partes. Ontem, em directo, hoje gravada. Qua nesta altura já deve ter acabado.
    Gostei da entrevista. Por José Sócrates, homem inteligente e pouco dado a falinhas mansas, e por José Alberto de Carvalho, muito bem a 'defrontar' uma pessoa que por vezes o deixava sem palavras.
    Parece que na PGR foi uma noite de indisposição colectiva, só porque Sócrates disse, com razão, que tinha sido vítima de terrorismo verbal.
    A malta da PGR só deve conhecer o significado de terrorismo e não achou por bem ligar as palavras: 'terrorismo verbal'. Joana Marques Vidal, a procuradora geral, não gostou que os seus meninos fossemm tocados e resolveu criar um ambiente de ... 'terrorismo verbal' para discordar do que se tinha passado.
    Depois, uma pessoa certamente ligada ao 'forró' da PGR, resolveu vir falar com vozinha de menino de coro, pretendendo dizer que tudo o que José Sócrates havia dito era falso, que o homem não tinha pingo de vergonha e mais isto e aquilo.

    Esqueça lá isso, Maria. A beleza não rima com inteligência. Se eu fosse tão bonito como inteligente, já tinha sido convidado por António Horta Osório para dar uns conselhos sobre beleza às elegantes funcionárias do Loyd's Bank.

    Pronto, já passou. Volto ao estado normal dentro de escassos segundos.
    .... Já está :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também vi a segunda parte que passou hoje, embora ache que uma entrevista em directo tem outro impacto. Lá está, ao incluir este tipo de entrevista num jornal da noite o factor tempo é limitado e acaba por cortar, de alguma forma, o interessa da mesma. Penso eu.

      Ninguém põe em causa que José Sócrates é um homem inteligente. Esta parte está arrumada. O que me aflige é um político estar, eventualmente, associado a um crime de corrupção. Seja Sócrates, seja outro político qualquer. É muito grave. Dizem que ainda não existem provas contra José Sócrates, muito bem (ou não), mas também sabemos que crimes de corrupção são dos crimes mais difíceis de provar. Ainda se queixam de que as pessoas estão cada vez mais desinteressadas da política e dos políticos. Ora, com casos destes e outros que tais, não admira. Isto é uma vergonha para qualquer país.

      Sabe que uma grande parte das pessoas não está do lado de José Sócrates. Uma grande parte acha que ele é realmente culpado. Aquela coisa de "onde há fumo, há fogo"... O importante no final de tudo isto era que os portugueses ficassem esclarecidos. Que este caso ficasse fechado, fosse o desfecho favorável ou não para o lado de José Sócrates. Isso sim, seria de valor.

      Tenha uma boa noite, caro Observador.

      Eliminar
    2. Eu gostaria de estar ao lado da verdade, da justiça.
      Não posso porque a nossa Justiça não quer.
      Uma pessoa, seja lá quem for, praticamente um ano na prisão ... sem provas?
      É assim que querem que se acredite nela, na Justiça?

      Eliminar
    3. A verdade, essa, nunca a saberemos (isto é só um palpite), essa parte é que deixa uma pessoa preocupada. Eu, muito francamente, achei que a entrevista dividida em dois não acrescentou rigorosamente nada. Ou, a acrescentar, é capaz de ter sido na parte do tiro no pé. Mas pronto, não percebo nada de política...

      Eliminar
  3. Pronto, decididamente sou um caso perdido.
    Por pontos.
    Ponto um: não ouvi a entrevista, logo não posso opinar sobre a mesma.
    Ponto dois: não ouvi por incapacidade de aturar, mais um segundo que seja, estas criaturas.
    Ponto três: estou cansada, mas tão cansada, de gente que não oferece um mínimo de credibilidade.
    Ponto quatro: haverá por aí alguém que ajude o país, a Europa, o mundo, a sair deste buraco?
    Ponto final.

    Continuação de uma boa noite, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nesta sua parte do comentário:
      "haverá por aí alguém que ajude o país, a Europa, o mundo, a sair deste buraco?"
      Reportando-me só à parte do país diria que muita gente em Portugal garante que este novo governo vai ajudar a sair do "buraco". Eu, que gosto de pensar pela minha cabeça, sou daquelas pessoas que prefere esperar para ver.

      Tenha um bom dia, GL.

      Eliminar
  4. O
    Ainda não vi a segunda parte (a tal que foi gravada) só vi a primeira... Uma hora que podia ter sido reduzida a 10 ou 15 minutos... Ou até nem ter existido... Nada trouxe de novo. A conversa é a que já se conhece, por aquilo que ele foi dizendo em entrevistas que sempre foi fando e pelo que os advogados foram também dizendo. Não há provas? Pois não, ele até pode ter deixado o país com um défice daqueles e ter feito tudo dentro da legalidade... As PPS não são coisas ilegais. O homem até pode estar inocente, teoricamente falando, pois se não há acusação formal...

    ResponderEliminar
  5. Enviei o comentário a meio sem querer, peço desculpa, Maria... Havia mais palavreado, mas cortei não sei como e enviou...

    Abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que me faz confusão é a palavra corrupção (alegadamente, claro) ligada a um político, neste caso a um ex-primeiro-ministro, o que torna tudo bem mais grave. E tal como não se pode afirmar que José Sócrates é culpado, faz-me confusão as pessoas que garantem que é inocente.

      Abraço, São :)

      PS. Não se preocupe com o comentário cortado, se calhar até foi melhor assim, estes assuntos arrastam sempre enormes confusões, ódios e coisas muito indigestas.

      Eliminar
    2. Sim... É verdade... E este em especial... Por acaso ainda gostava de saber porquê, mas isso...

      Sabe... Às vezes criticamos as pessoas que defendem com unhas e dentes e que idolatram pessoas que nunca viram, como as fãs do Justino do Bibe ou do Tony Carreira, ou até a tal Marta, que tanto queris um bilhete para ir ver a Adele... Então e que tal estes? Aquelas romarias a Évora? A forma como põem as mãos no fogo? Porque é assim, pelo menos sobre esses não recaem as suspeitas que recaem sobre José Sócrates...

      A questão, Maria, é que, infelizmente, este tempo todo sem acusação formal tem jogado a favor dele e dos seguidores dele... Aliás, a entrevista andou muito à volta disso também (como é óbvio, se há um ponto a favor, usa-se e abusa-se dele)... Porque se há muitas pessoas a dizer que para se prender um ex-primeiro ministro é porque os indícios são muito fortes, também as há a dizer que, se não há acusação formal é porque não há fundamento para isso...

      Acho que finalmente, os socráticos,mais a guarda costeira, tiveram o entrevistador ideal, que é aquele que vai dizendo amén a tudo...

      Eu ainda estou a pensar se vejo a segunda parte ou não... Sabe, estou a viver nesta cidade há apenas uma semana e ainda não arranjei trabalho... O RSI tem que ser muito esticadinho e eu tenho receio de começar a maldizer alguma das minhas despesas fixas e achar que era melhor gastar o dinheiro todo em comida!! Se calhar, até começar a maldizer mais do que uma até...

      Não sabia que ia ser preso? Pronto, agora já sabe... Nós também já sabemos há muuuuuito tempo que diz que não sabia... A família tem sofrido pressões? Também já ouvimos essa conversa... Não sei o que é que alguma dessas coisas podia alterar fosse o que fosse em caso de culpa, mas ok...

      É assim... Este senhor deixou o país de tanga... Fala-se em 11% de défice... Resta saber se conseguiu que tudo parecesse legal ou não...

      Retórica nunca lhe faltou..

      Abraço :)

      Eliminar
    3. Vou só colar aqui a sua última frase que me parece muito pertinente. Esta: "Retórica nunca lhe faltou...". E é isto.

      Abraço, São :)

      Eliminar
    4. Maria... Eu acabei de lhe enviar um vídeo de dois minutos e tal que me leva às lágrimas de tanto rir , de cada vez que o vejo... O vídeo já tem mais de cinco anos, mas sempre que estou mal disposta, vejo-o e é tiro e queda... Rio que nem uma desalmada :D

      Se puder ,veja ,porque acho que vale a pena... São dois minutos e pouco...

      É que, realmente, não falta retórica ao homem, mas nem todos vão na retórica dele

      :)

      Eliminar
    5. Chegou a ver, Maria? :D
      Aquele vídeo tem o poder de me pôr a rir quando estou no maior estado de tensão que se possa imaginar... Não só pela pessoa que fala, mas também pela pessoa (ou pessoas) de quem fala... Acho que é essencialmente pela naturalidade, a espontaneidade da pessoa... É aquilo que mais me atrai nele, aliás :)

      :)

      Eliminar
    6. Não consegui ver ontem à noite. Como está aí o fim-de-semana, vejo com mais calma ou amanhã, ou no domingo :)

      Eliminar
  6. Ouvi as duas partes e detestei o José Alberto Carvalho que entupiu perante "um tubarão" em termos de oralidade. O mais engraçado de tudo isto é que ele "provou e ainda prova do veneno para não dizer merda (olha já disse)" das famosas leis alteradas com apensos atrás de apensos etc e tal onde uma simples vírgula poderá mudar o contexto das mesmas, no tempo do seu reinado, incluído o uso da pulseira electrónica. Pior do que isso é a política meter-se na justiça e os intervenientes desta, deixarem-se politizar-se, o que ocorre frequentemente.

    Pior, são as fugas de informação e nisso ele tem toda a razão no que disse: mais ou menos isto - pagam o que pedem para subirem as audiências e venderem mais jornais e revistas, originando os famosos "julgamentos em praça pública" o que é mau, muito mau e que jamais pratico, porque teria de ler e ouvir ambas as partes, porque na maioria dos casos o "criminoso até aos olhos de todos, quando o verdadeiro está a rir atrás da barricada".

    Os de corrupção são os mais difíceis e demoram muito tempo e por cá ainda mais, porque os cortes em termos de pessoal foram por demais e as nomeações para agradarem ao Sr. que governa...pois...pois!

    Para já eu tenho umas certezas:

    - intervenção política ou de politiqueiros
    - preso, ganharam e muito os dois super-mercaditos e um cafézito com "as excursões" a Évora.
    - que um dos advogados dele deveria ter tido outra postura e não a que teve e que bem sabes.
    - o balde de água fria que levaram todos os que o queriam calar!

    e por fim
    - estou completamente enjoada por casos destes que se arrastam há anos e em alguns há presos lá fora e cá dentro tudo absolvido como manda o figurino e arquivados em "nenhures"!!!!

    Um bom serão


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fatyly, acho que este vai ser mais um dos casos que nunca iremos saber se o principal envolvido é culpado ou inocente. Espero bem que não aconteça, mas não sei não. Eu gostava de saber a verdade, e gostava porque existe corrupção bem no centro do caso. Se foi estudar para Paris, se morou no apartamento x ou y, não me interessa, o que me interessa é a parte da corrupção. Isso sim, é muito grave. É aí que nos deveríamos concentrar, digo eu, mas que sei eu?!...

      Tenha uma boa noite.

      Eliminar