quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

As coisas que eu aprendo ao ler jornais... coisas do BFF

Aprendo que BFF quer dizer best friends forever. Numa tradução mais cá do nosso Portugal quer dizer "amigos para sempre". O que me anda a escapar pelas ruas amarguradas da vida!? Isto do amarguradas até que não me saiu nada mal. É poético e não sei quê. Adiante.

Fui ao jornal Expresso e trouxe de lá este pedacinho de texto. Pedacinho terminado em inho porque não pretendo incomodar as pessoas. O excerto termina em LOL mas, não fui eu. Juro! Tenho cá para mim que aquilo lá para os lados do Parlamento deve ser muito divertido...


A minha contribuição é modesta. É tão somente música. Para sempre.


6 comentários :

  1. Olá, Maria... Gosto da música.. Já ouvi várias versões e gosto sempre... Cada uma no seu estilo...

    Quanto à ideia... Aprendi que o "para sempre" não existe... Ou melhor, todas as coisas são para sempre, enquanto esse sempre durar... Tudo é eterno até chegar ao fim... Mesmo quando as amizades e mesmo os amores duram até à morte das pessoas (ou seja, um para sempre, de certa forma literal) nunca são iguais ao que foram no início... As relações sofrem sempre mutações... Mas também, mal de nós se não acreditarmos que os sentimentos são eternos... É por isso que eu digo que são eternos até chegar ao fim...

    Agora... Na política??? Amigos para sempre... Na política?? A sério?? Obviamente que o texto tinha que terminar em Lol

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá São,

      Também gosto da música, só que neste contexto fui buscá-la para acompanhar o excerto da notícia. Daí ser um vídeo com tradução em português. Existem partes da letra que coladas ao panorama político que se vive no momento em Portugal, adequa-se muito bem. Haja imaginação. :)))
      ...

      Quanto ao para sempre em assuntos como amor e amizade. Pela minha experiência fica mesmo para sempre ainda que as relações terminem. Quando foi forte, intenso, quando nos tocou de forma especial e nos partiu aos bocadinhos, não há como arrancar o que quer que seja de cá de dentro. Muda apenas o que se sente. Agora, o que se viveu com aquela pessoa, o que se sentiu na altura, isso, fica para sempre. Daí a memória ser a nossa melhor máquina fotográfica. E das mais sofisticadas, suponho.

      Beijinho para si também :)

      Eliminar
  2. Olá, Maria, a música é um clássico que adoro! Quanto ao Sr. Paulo Portas, acho que anda muito inspirado para quem saiu do governo e passou para um papel menor, na oposição. Já conhecia a expressão mas nunca pensei em ouvi-la no Parlamento! As sessões estão a ficar cada vez mais... como é que vou dizer? Interessantes!!! Agora Portas esqueceu-se de uma coisa. Será que Catarina e Jerónimo também são BFF. Algo me diz que não e que haverá mais capítulos desta novela ao longo da legislatura.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carpe, que belo resumo. Eu, mesmo que me esforçasse, era bem capaz de não escrever um comentário tão bom. Foi bem captada a intenção deste meu "inocente" post. Nada a acrescentar.

      Beijinho e uma boa noite :)

      Eliminar
  3. Esta música é lindíssima. Estive a ouvir o debate e olha que até alguns da esquerda sorriram quanto a intervenção do "dinossauro Portas"! e nunca pensei na sua capacidade de improvisar com este BFF. Vi alguns de esquerda a sorrirem e digo-te sinceramente que foi a única coisa que me fez sorrir nas horas que perdi a ver o "bailado parlamentar".

    O que me irritou solenemente foi o comportamento irreverente, para não dizer "mal educado" de alguns deputados, sobretudo do que se encontrava à direita de PPC, um secretário qualquer da coligação que agora se me varreu o nome, que de PAF só via PUF!!!!!

    Só agora começou a novela "guerra dos tronos à portuguesa" e vou ver se consigo acompanhar os imenso capítulos que por aí vêm!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também vi o vídeo e sim, alguns, arriscaria escrever muitos de esquerda sorriram. Também era só o que nos faltava agora começarem à batatada uns aos outros... ahahahahah.

      Se eu lhe disser que por vezes dou por mim quando estou em casa a assistir deliciada aos debates/intervenções no Parlamento. E sim, tem momentos que uma pessoa não tem como não rir. Não é que a situação do país dê para rir mas, à falta de melhor... uma pessoa ora se irrita, ora... isso.

      Acho que sei de quem está a falar. Se for quem eu penso foi uma intervenção nada feliz. Tentou ser irónico e o tiro saiu-lhe ao lado.

      Uma novela daquelas...

      Eliminar