domingo, 1 de novembro de 2015

Última entrevista que reedito. Duas ficam de fora pelos motivos mais que conhecidos

Uma fica de fora, não porque a "senhora" em questão assim o exigiu, estou-me nas tintas para isso, mas porque não quero lixo cá em casa. A outra entrevista de um blogger que gostava de ler apenas não é publicada porque numa das respostas a uma minha pergunta estão nomes de variados blogs que não me apetece fazer publicidade. Com uns identifico-me, com outros já me identifiquei e agora nem por isso, com outros não me identifico de todo. E é isto.

Agora vamos à conversa com o caro Observador que não esteve muito bem neste desafio. Desculpe, caro Observador, já me conhece, aquela coisa da frontalidade que não pretende ofender ninguém, apenas digo as coisas na cara das pessoas e nunca nas costas. Não tenho por hábito atraiçoar ninguém. No entanto dou um passo atrás e rectifico... não foi não estar bem, foi ter dado muito pouquinho de si. Economizou em letras, palavras, opiniões, quando acho que se existe alguém que poderia ter feito um brilharete neste desafio, esse alguém seria o senhor que gere o sitio do reflexos village. Fica para a próxima. Para a próxima puxo mais um pouco. Aliás, puxo bastante. Será a doer no sitio do dedo mais que mindinho. Fica prometido. 

***

Maria entrevista o digníssimo Observador do blog Reflexos. Maria no papel de entrevistadora educada e correcta usará sempre o senhor de ora em diante.


Senhor digníssimo, o que dizem os seus quintos, quartos e sextos sentidos?
Não uso os 4º e 5º sentidos. Dão muito trabalho. O 6º, esse, tem dias. Nesta altura, por exemplo, diz-me duas coisas: que o partido político em que vou votar ganha as eleições e que se não me portar bem na resposta a estas perguntas, poderei ser excomungado.

Senhor digníssimo, alguém lhe deve um pedido de desculpas aqui neste vasto mundo que é a blogosfera?
Sim, muita gente. Exactamente os bloggers que não visitam o meu blogue e os que visitando não comentam.

Senhor digníssimo, também faz parte do grupo dos que querem acabar com o amanhecer que tarda e por vezes também falha?
Não, de todo. Porque não tenho motivo para o fazer.

Senhor digníssimo, o que tem a dizer do senhor também digníssimo primeiro ministro? (é obrigatório fazê-lo de forma elegante, usando palavras delicadas, caso contrário a resposta será automaticamente eliminada).
Vou ser mais elegante do que o próprio primeiro ministro tem sido. É uma pessoa sem classe, ‘nascida’ dos ‘jotinhas laranja’, com pouca moral para estar à frente de um País que merece muito melhor. O seu passado como cidadão resume-se a malabarices – Tecnoforma e Segurança Social entre outras – e a outras situações que envergonham o cidadão mais descarado.

Senhor digníssimo, alguma vez comentou em blogs de forma anónima ou usando um outro nick name? (respostas de não, serão automaticamente entendidas como: pronto, já fui...).
Nunca o fiz nem nunca o farei. Anonimato não faz parte do meu ADN.

Senhor digníssimo, matematicamente falando, quantos anos de macaco com calo na cauda é que tem? (se quiser passar esta pergunta por ser intimista demais, eu compreendo).
A minha pele está imaculada. Imagino que a pergunta tem outro fim e se assim for, sugiro-lhe objectividade.

Senhor digníssimo, se tivesse que mandar alguém à merda, quem seria? (por favor tenha em atenção que entrevistadoras educadas e correctas não contam... eu, portanto).
Resposta tranquila. Exactamente a pessoa referida no ponto 4.


-/-

PS: Tentei de alguma forma colocar um travão nalgumas respostas, pensando eu, ingenuamente, que seriam exactamente essas mesmas respostas em que o acelerador por parte do entrevistado seria usado como se não houvesse amanhã. Pois não aconteceu. Lá está, caindo no erro de me repetir, fica para a próxima.

10 comentários :

  1. Voltei a reler e como sempre digo que é de facto um Sir com "S" grande. Foi sucinto, mas esclarecedor. Gostei imenso!

    Abraços aos dois

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fatyly, nos comentários anteriores, não sei se se lembra, quase todas as pessoas que comentaram, disseram exactamente isto que aqui escrevi, que o caro Observador "encolheu-se" um pouco nesta conversa em forma de entrevista. Lembro-me do comentário da São, do AC, e penso que que mais um ou dois, não me recordo ao certo de quem, no final o caro Observador foi o próprio a confirmar que sim, que poderia ter aprofundado mais as respostas. Portanto, esta minha introdução nada mais é do que um resumo dos comentários que não consegui reeditar.

      Ser amigo de alguém, ainda que de uma forma virtual, não é dizer sempre a tudo que sim, ser amigo de alguém, ainda que de uma forma virtual (volto a repetir) é ser honesto, sem insultar quem quer que seja.

      Boa semana, Fatyly.

      Eliminar
  2. Resposta ao comentário da blogger Picante que não aprovei:

    Ó Picante, darling (usando o mesmo termo de alguém aqui dos blogs) não seja parva e vá tratar dos seus filhos. Deixe de perseguir pessoas, largue a internet e faça alguma coisa da sua vida. Raios, mulher, trate-se.

    Deve estar maluca a senhora se achava que alguma vez lhe aprovaria algum comentário, não me chamo PMD a quem já perseguiu e quando foi aquela coisa do IPO lhe foi lamber as botas ao blogue. Aquilo provocou-me umas náuseas que nem lhe conto. Fosse comigo e o seu comentário teria o caminho do caixote de lixo. Para além de perseguir pessoas e ser a parasita disto dos blogs - só vive do que os outros escrevem - é uma engraxadora que não se aguenta. Desprezo profundamente gente assim. Já lhe disse para se tratar? Não.Então digo agora: trate-se e arranje um homem que a ame e faça outras coisa também para ver se se acalma e deixa as pessoas em paz. Raio de mulher...

    ResponderEliminar
  3. Dou-me muito bem com a frontalidade. Gosto de pessoas frontais, das que dizem o que têm a dizer e está o assunto arrumado.
    É verdade, reconheci-o na altura, que podia ter ido mais longe nas respostas. Não fui, já não há nada a fazer e fico à espera da sua promessa: 'Para a próxima puxo mais um pouco. Aliás, puxo bastante. Será a doer no sitio do dedo mais que mindinho'.
    Ó p'ra mim assustado e já agarrado ao dedo mais que mindinho :)

    A Fatyly teima em dizer que sou 'de facto um Sir com "S" grande'. Mesmo sabendo que o AO permite escrever muita coisa com letra minúscula, o Sir com maiúscula, é outra coisa.
    Obrigado, Fatyly, a senhora que refila e tem 'ares' de camião TIR :)))

    Maria, permita-me que diga, em abono da verdade, que não sou fã de coisas picantes. Sobre isto, tenho dito e só falo na presença da minha advogada.

    Boa semana, beijinho sem picante ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Observador, quando escrevi esta introdução, sabia, à partida, que estava protegida pelas suas respostas aos comentários na primeira publicação da entrevista. Soube reagir muito bem às criticas menos positivas. Teve poder de encaixe. Criticas essas de pessoas que souberam dizer o que pensam, mas que não tiveram como intenção derrubar quem quer que seja. Talvez porque o conheçam do seu blog e tenham achado que podia dar mais, muito mais. Essa é a grande diferença nisto os blogs. De um lado estão os que gozam e humilham gente, do outro estão apenas aqueles que gostam de "blogar" de forma saudável. Tenho aprendido aos poucos a perceber a diferença entre uns e outros, embora vá existir sempre quem saiba muito bem da nobre arte de bem saber camuflar. Tirei dali da minha lista de blogs uma blogger que me decepcionou bastante, gostava de a ler, achava que escrevia bem, à primeira vista pareceu-me uma coisa, olhei mais atentamente e, com o andar da carruagem, descobri outra. É a vida sempre a mostrar-nos o lado obscuro dos outros.

      Não me parece muito seguro essa coisa de se agarrar ao dedo mindinho. Mude lá de dedo :)))

      Boa semana. Beijinho para si também.

      ...

      PS: Esta coisa picante está estragada e já passou há muito o prazo de validade. Precisa de algo para se entreter. Já estou a empacotar pilinhas para lhe enviar no Natal. Ups! Se calhar não deveria ter dito isto. Agora já está.

      Eliminar
    2. A Maria disse pilinhas? Hummm ... fez muito bem :)

      Eliminar
    3. Ainda pensei escrever objectos fálicos, mas como não sou intelectual nem nada fiquei-me pelas pilinhas. Entretanto o Natal está quase aí e temos que ser "cridos" uns para os outros. Um inhas fica sempre bem. Não destoa :)

      Eliminar
  4. Fui descendo a caixa de comentários e... achei-a viva, colorida. Vale-nos que está tudo contextualizado, bem arrumadinho, que com expressões como "Sir", "camião TIR", "picante", homem que a ame", "dedo mais que mindinho", "pilinhas", dava para escrever uma história bem interessante. :)
    Ah, reafirmo, o Observador é um cavalheiro.

    Tenha uma boa noite, Maria :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AC, este seu comentário, foi dos comentários mais deliciosos, com mais sentido de humor, que li por aqui nos últimos tempos. Acho que há muito tempo que não dava uma gargalhada ao ler um comentário. Esteve muito bem. Palmas para si.

      Tenha também uma boa noite :)

      PS. É um cavalheiro sim senhor, que ninguém se atreva a negar.

      Eliminar
    2. Simpatia da sua parte, AC. Que aliada ao humor, cai muitíssimo bem.
      Obrigado

      Eliminar