quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Em tempos de cofres "pró-bué-da-cheio" uma pessoa tem que saber estar à mesa

Eu sei que os tempos não estão fáceis e mal dá para comprar uma latinha de atum deitado em marca branca, um pacote de arroz com gorgulho, só que, como os que mandam no nosso país dizem que os cofres estão assim "pró-bué-da-cheio", pus-me para aqui a pensar, a pensar, e resolvi dar uma ajuda para os tempos que se avizinham. Tempos esses de uma vida plena e abundante. Uma pessoa vai poder frequentar os melhores restaurantes e estando quase a caminho desse tempo de restaurantes onde brilham mais de cinco estrelas michelin, no mínimo, uma pessoa tem que saber, obrigatoriamente, estar à mesa. Treinar, desde já, é palavra obrigatória. Portanto, treinemos com quem parece que sabe da coisa. Embora aquela parte em que este senhor ensina a prender o guardanapo ao cinto me suscite muitas dúvidas, tenho algum receio de começar a ver homens por aí, que no esquecimento, vão a reuniões importantíssimas de guardanapo pendurado nas calças. Sai imagem. Sai.

(diz que a mesa é o sitio onde se percebe a educação das pessoas... se o dizem...)