quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Diapausa. E o que raio é diapausa? Acho que tem a ver com esta paranóia do medo de envelhecer

Mais um estudo e, temo que este, leve as pessoas a fecharem-se dentro dos seus próprios frigoríficos só naquela de evitar o mais possível o envelhecimento.



Mas que raio se passa com as pessoas que entraram numa qualquer obsessão de não querer envelhecer? Uma coisa é manter-se o melhor possível de forma a que o aspecto seja agradável, uma questão de auto-estima também, outra bem diferente é ver mulheres num processo lento de auto-destruição, nalguns casos de completa destruição de alguma beleza que ainda exista ao se submeterem a cirurgias estéticas que as deixam muito estranhas, repuxadas até ao infinito, com uns lábios muito inchados como se uma abelha lá tivesse poisado e tungas, picadela para cima, ao contrário do que supostamente é desejado, aquilo não traz beleza alguma, é feio que dói ver uma mulher em modo lábios-bolha-prestes-a-rebentar. Às tantas olhamos para algumas mulheres e parecem todas iguais, acabadas de sair de uma fábrica em que o modelo é sempre igual. E aquilo lembra-me zombies. Não existe outra forma mais simpática de o dizer, parecem zombies e pronto. Corro a trancar as portas de casa e fico só a espreitar por um buraco muito pequeno de uma persiana qualquer. Nestes momentos gosto muito de persianas. 

Estive a ler esta notícia e não sei que diga:
Investigadores do Instituto de Inovação e Investigação em Saúde (I3S) verificaram que uma espécie de mosca quando sujeita a temperaturas mais baixas ou a restrição calórica é capaz de reduzir a velocidade de envelhecimento. No estudo, a que a Lusa teve acesso, os investigadores verificaram que em determinadas condições, neste caso o frio, estas moscas (Drosophila América) entram num processo de envelhecimento tão lento que quando colocadas novamente em condições óptimas estão quase tão jovens como no dia em que começaram o período de frio. Os insectos são considerados “excelentes modelos” para estes estudos pois, em condições adversas, “são capazes de alterar o metabolismo de tal forma que os órgãos reprodutores, os músculos e outros tecidos não envelhecem. A este período chama-se diapausa”. Uma das moscas criadas por este grupo de investigadores viveu 11 meses em condições de diapausa, embora a esperança média de vida desta espécie seja de apenas dois meses. “Se extrapolarmos para a espécie humana, assumindo uma esperança média de vida de 90 anos, esta mosca viveu o equivalente a 495 anos".

Mas o que é que uma mosca faz com 495 anos de vida? Já agora, se nos fosse dada a possibilidade de viver 495 anos, o que é que fazíamos com tanto ano pela frente? Acho que de repente fiquei com uma dor de cabeça do lado direito de quem não sabe subir só porque tem medo de escorregar.

6 comentários :

  1. Acho que a moda dos estudos pegou e dali não sai. E sempre a piorar.
    Cada vez tenho menos pachorra para as problemáticas da malta dos estudos.

    Um pêessezinho só para dizer que diapausa é o período em que há interrupção ou redução do desenvolvimento de alguns animais, em geral insectos.
    A menos que se queira chamar animais a algumas pessoas - vontade não falta - é isto.

    Maria, os limões estão a acabar :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Observador, conhece, com certeza, aquela máxima de que se deve manter os amigos perto de nós e os inimigos mais perto ainda. Mal "acomparado" é como os estudos, convém uma pessoa manter-se alerta não vá um qualquer estudo, a uma nossa pequena distracção, fugir com todo o nosso stock de discernimento.

      Definição de diapausa segundo o dicionário da je: momento do "dia" em que se faz uma "pausa" para descansar de assuntos capazes de provocar avc's em catadupa.

      PS: Lamento que esteja pobre de limões. Isto não está fácil para ninguém :)))

      Eliminar
    2. E eu a contar com as dezenas de limões que Maria tem no grande quintal :)
      Forreta!

      Eliminar
    3. Qual grande? E eu lá sou pessoa de coisas grandes. Aquilo é do tamanho da unha mais pequena que é dona do dedo mais pequeno :))

      Eliminar
  2. O não aceitar o envelhecimento é caso para dizer que "algo vai mal no mundo de sua majestade". É algo com que não me preocupo e aceito naturalmente o percurso da vida. Cirurgias plásticas é a loucura do século, puxam as mamas para cima, aumentam rabos, diminuem o nariz, esticam-a-beiça-que-quando-sorriem-levantam-a-perna. Também há homens que entram nessa roda viva. Depois com os anos tudo aquilo começa a dar de si e voltam a si num abrir e fechar de olhos. Uns por pura beleza, que não condeno, o corpo é dessa malta e não tenho nada a ver com o que fazem dele.

    Agora o que me tira do sério é haver tanta gente a precisar de cirurgias plásticas por terem sido apanhados "numa esquina negra da vida" e esperam e desesperam.

    Quanto a este estudo achei-o interessante porque cada vez mais, temos menos insectos. Agora extrapolar para os humanos é algo para dizer...que Deus me acuda, excepto de mudarem o calendário:)))))))

    Uma boa tarde ou o que resta dela:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "esticam-a-beiça-que-quando-sorriem-levantam-a-perna"... ahahahahahaha. Findo este momento hilariante vamos lá ao lado um pouco mais sério do tema. É que o tema pode soar a light, mas de light nada tem, (leia-se por light, superficial) eu é que gosto de trazer a debate determinados temas de forma simples. Que acho ser a melhor forma das pessoas se entenderem. Conversarem.

      Entrámos realmente numa paranóia qualquer, numa obsessão qualquer, que leva as pessoas a pensar que só sendo jovens, lindas e magras é que vale a pena viver. Entretanto nessa perseguição pela perfeição deixam de ser felizes. Ninguém é feliz evitando sorrir só porque causa rugas. Sim, é verdade, vi uma reportagem algures lá mais para trás em que uma mulher disse que evitava sorrir, ou não sorria/ria de facto, há vários anos, porque não queria ter rugas. E uma pessoa ouve coisas destas e percebe o quanto o universo está doente.

      Não estou a condenar ninguém, acho apenas que tudo o que entra no patamar da obsessão não é coisa boa, saudável. Saudável é perceber que a lei natural da vida é envelhecer, morrer, dar espaço a outros para que um dia também eles envelheçam, morram e, assim, possam dar espaço a outros.

      Fatyly, quem faz determinados tipos de cirurgia estética paga do seu bolso, ou consegue uma vendendo um niquinho da alma. Nada é grátis neste mundo. Os outros, os que têm acidentes e precisam, esses ficam lá mais para trás, aguardam na fila de espera que é imensa. Duvido que se consiga mudar essa parte do mundo. Por muito que alguns lutem de forma limpa, os outros têm umas armas que rendem muito mais. E é isto. O dinheiro é sempre... isto.

      Resto de um bom dia. De chuva. Mas bom na mesma :)

      Eliminar